segunda-feira, 23 de abril de 2018

VIVENDO E VENCENDO SOB PRESSÃO (2ª Parte)



Salmo 116:1-9
1 Amo o SENHOR, porque ele ouve a minha voz e as minhas súplicas.
2 Porque inclinou para mim os seus ouvidos, invocá-lo-ei enquanto eu viver.
3 Laços de morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; caí em tribulação e tristeza.
4 Então, invoquei o nome do SENHOR: ó SENHOR, livra-me a alma.
5 Compassivo e justo é o SENHOR; o nosso Deus é misericordioso.
6 O SENHOR vela pelos simples; achava-me prostrado, e ele me salvou.
7 Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o SENHOR tem sido generoso para contigo.
8 Pois livraste da morte a minha alma, das lágrimas, os meus olhos, da queda, os meus pés.
9 Andarei na presença do SENHOR, na terra dos viventes.

Introdução: Na quinta-feira desta semana refletimos durante o culto de Libertação o tema: Vivendo e Vencendo sob pressão. Com base na vivência do apóstolo Paulo, podemos perceber que ele sabia bem o que era viver debaixo de muitas pressões.

Depois de sua conversão ele passou de perseguidor dos cristãos à perseguido por conta de sua fé em Cristo. Ele foi preso, açoitado e traído a ponto dele dizer em 2 Cor. 2:8: “Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida”.

Aprendemos também que as pressões são importantes para o nosso crescimento e firmeza espiritual por três razões: (1) A pressão mostra a nossa condição espiritual. Deuteronômio, 8.2 (2) A pressão produz mudança espiritual. Salmo 119:67 (3) A pressão produz poder espiritual.
Atos 4:29-31

Hoje vamos usar como base o Salmo 116 para falarmos sobre as atitudes que devemos tomar quando estamos sob pressão.

O Salmo 116, conhecido como salmo messiânico, é um dos salmos de Páscoa (SI 113— 118). Segundo alguns comentaristas, esta Salmo foi provavelmente o hino entoado por Jesus e os discípulos na noite em que Ele foi preso, noite em que Ele celebrou a Páscoa com os seus discípulos (Lc 22.15).

Certamente o Salmista estava também vivendo sob intensas pressões!  

O versículo 3 nos certifica disso:

“Laços de morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; caí em tribulação e tristeza”.

Neste versículo podemos encontrar também algumas circunstâncias de intensas pressões:

1ª Situação de Pressão - Quando laços de morte nos cercam.
A figura do laço pode ser usada como símbolo dos vínculos relacionados à vida humana. Alguns são necessários e importantes. Outros são prejudiciais.

Laços de morte são as armadilhas preparadas para nos levar à morte espiritual.

a- Davi caiu no laço do relacionamento com Bateseba, causando grandes problemas para si e para outros.

b- Sansão caiu no laço de Dalila e assim encontrou a prisão e a morte.

2ª Situação de Pressão - Quando angústias do inferno se apoderam de nós.

O Rev. Hernandes Dias Lopes diz que “A angústia é um sentimento democrático, pois alcança a grandes e pequenos, pobres e ricos, doutores e analfabetos e, muitas vezes, nos asfixia, nos atormenta, tirando nosso sono, nossa paz, nosso foco”.

Há angústias leves, moderadas e severas. Mas as angústias do inferno é uma sensação de estar próximo ao inferno.

- Inferno é um lugar tormento, um lugar onde não há paz!
- Inferno é um lugar sem esperança

3ª Situação de Pressão- Quando caímos em tribulação e tristeza.

Durante a nossa vida, temos momentos de tribulação e tristeza.

 "Tribulação" é o termo geral na Bíblia para designar o sofrimento do povo de Deus. E as tristezas são momentos tão desagradáveis que a gente não gostaria de passar.

“No mundo passais por aflições, mas tende bom animo, eu venci o mundo” (João 16:33).

Diante destas três situações de pressões que enfrentamos temos que tomar as seguintes atitudes.

1- BUSQUE A AJUDA DO ALTO.
Como? – Clamando ao Senhor!
VS. 4 “Então, invoquei o nome do SENHOR: ó SENHOR, livra-me a alma”.

Vivemos na época do “auto”. Da autoajuda, da autoestima, da autoanálise  e da autoconfiança.

A ciência do comportamento está estimulando milhões de pessoas a buscarem uma solução centrada no homem.

Isso significa que haverá uma geração que vai frustrar-se de buscar ajuda em homens, em indivíduos, em coisas e em situações que só Deus pode resolver.

A AUTOAJUDA ENSINA A VOCÊ CONFIAR EM SI MESMO – MAS A PALAVRA NOS ENSINARÁ A CONFIAR EM DEUS.


 “Melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar no homem.” Salmo 118:8

 “Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará”. Salmo 37.5  

Nós precisamos de Deus. Todo clamor deve ser direcionado para o Pai. A Bíblia diz que, quando Jesus orava pela ressurreição de Lázaro olhava para o alto e dizia:

“Pai, eu sei que tu sempre me ouves! E Jesus, levantando os olhos para cima, disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido. Eu bem sei que sempre me ouves…” (Jo 11:41-42)

A Palavra diz em Jeremias 33:3 “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que ainda não sabes”

No Salmo 18:5-6 vemos uma semelhança com o Salmo 116.

Cadeias infernais me cingiram, e tramas de morte me surpreenderam. Na minha aflição clamei ao Senhor; gritei por socorro ao meu Deus. Do seu templo ele ouviu a minha voz; meu grito chegou à sua presença, aos seus ouvidos” (Salmo 18.5-6).


2- NÃO DUVIDE DO CARÁTER DE DEUS.
5 Compassivo e justo é o SENHOR; o nosso Deus é misericordioso.
6 O SENHOR vela pelos simples; achava-me prostrado, e ele me salvou.

O Salmista não tinha dúvidas de que o Senhor é Compassivo, Justo e Misericordioso!

Precisamos saber quem é o nosso Deus! Precisamos reconhecer que ela cuida de nós.. ”Ele vela pelos simples” e Ele é a nossa Salvação!

Nos momentos de pressões somos tentados pelo nosso inimigo a desconfiar, ou duvidar do caráter de Deus!

Assim como a serpente enganou a Eva, satanás continua tentando nos enganar para corromper nossa mente a fim de nos fazer desviar, nos afastar da simplicidade e pureza devidas a Cristo.

“Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo”. (2Co 11.3)

Em Gn 3.1-13 Satanás, por meio da serpente enganou a Eva com os seguintes questionamentos:

a- ELA QUESTIONOU A DEUS “É assim que Deus disse?” (v. 1)
Satanás sempre usará pessoas que parecem inteligentes e sábias, professores, ativistas usando uma sabedoria ilusória, para questionar Deus e o evangelho de Cristo, para corromper sua mente e fazê-lo SE AFASTAR DO CAMINHO.

O inimigo sempre tentará questionar Deus, questionar a “lógica” de Deus, a bondade, o caráter, os caminhos de Deus. E, porque muitas vezes você não conhece o Senhor ainda de uma maneira plena, como Eva não conhecia, não consegue raciocinar da maneira correta sobre Deus e sua bondade.

b- QUESTIONOU A BONDADE DE DEUS. “[…] e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal” (v. 5)

A ideia que satanás usou contra Deus para convencer Eva era que Deus não era bom e por isso estava negando-lhes os benefícios daquela árvore, o conhecimento do bem e do mal, o ser igual a Deus.

Olhando a história, parece fazer sentido, mas perceba que isso não é verdade, pois a vontade de Deus era que eles não apenas se tornassem conhecedores do bem e do mal, mas também se tornassem semelhantes a Ele, recebendo sua própria vida, porém através da outra árvore, a árvore da vida.

Quando Deus nos nega algo, não é porque Ele está nos impedindo de desfrutar de algo bom, mas porque Ele tem algo muito melhor para nós e porque o que nos parecia agradável provavelmente nos destruiria, como foi com Eva. Isso é sutil e está sempre por trás dos pensamentos do inimigo.

Não permita que satanás questione a bondade de Deus a respeito da sua vida. Quando parecer que o argumento contra Deus faz sentido, lembre-se de que é uma ilusão, e ainda que naquele momento você não consiga explicar, certamente há algo melhor que o Senhor lhe mostrará na frente.

Portanto, não duvide do caráter de Deus, suspeitando da validade de suas promessas; também, Não tenha medo de provar que o Senhor é bom (Sl 34.8).

3- APRENDA A SOSSEGAR A TUA ALMA
7 Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o SENHOR tem sido generoso para contigo.

Para quem não sabe, este texto apresenta um solilóquio! Uma conversa consigo mesmo.

É importante desenvolvermos o hábito de falarmos conosco, falar o que edifica, o que nos traz esperança e equilíbrio.

O salmista nos conta que caiu em tribulação e tristeza, que laços de morte o cercaram e se apoderaram dele. Tratava-se de um sofrimento físico, mental e espiritual.

Ele Busca a Deus e Sabe que Deus é bom, mas agora ele usa um imperativo!

“Volta, minha alma, ao teu sossego” “Pois o Senhor tem sido generoso para contigo”

Ao invés de prostrados, ficaremos confiantes, sossegados em um Deus que é generoso, e que cumpre as suas promessas.

A frase não é poderosa em si mesma, nem é proveniente de alguma coisa mística, pelo contrário, o poder vem do Deus que invocamos, vem da fé que temos nele, como nosso protetor, sua bondade é real e virá sobre nós.

Posicione a sua vida e no que você crê baseado nas Escrituras, sabendo que não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

Se você já entregou sua vida pra Jesus, então você também pode descansar em Deus e lançar suas inquietações diante Dele.

Há muitas coisas que não podemos controlar, que não podemos interferir, porém Deus continua firme no controle de nossa vida!

“O que a mim me concerne o SENHOR levará a bom termo; a tua misericórdia, ó SENHOR, dura para sempre; não desampares as obras das tuas mãos”. Salmos 138:8

CONCLUSÃO:

8 Pois livraste da morte a minha alma, das lágrimas, os meus olhos, da queda, os meus pés. 9 Andarei na presença do SENHOR, na terra dos viventes.

A presença de Deus é maravilhosa, ela nos garante uma boa jornada em nossa vida. Portanto saiba que andar na presença do Senhor e se fortalecer Nele fará que de alguma forma as pressões também colaborem para o nosso amadurecimento e crescimento!


Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO

sábado, 21 de abril de 2018

VIVENDO E VENCENDO SOB PRESSÃO



2 Coríntios 1:8-10
8 Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.
9 Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos;
10 o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos,

Introdução:  No texto que acabamos de ler e também em outros que o apóstolo Paulo escreveu, podemos perceber que ele sabia bem o que era viver debaixo de muitas pressões. Dentre elas eu destaco as perseguições, cadeias, açoites e traições a ponto dele dizer neste texto: “Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida”.

Todos nós vivemos debaixo de pressão embora não desejamos!

É pressão do diabo, da família, financeira, no trabalho e assim vai. E por mais que tentamos fugir dela, ela sempre esta por perto.

Eu creio que com a proximidade do final dos tempos, vamos sofrer uma pressão cada vez maior para desistirmos. As distrações e o engano, por exemplo, tentarão nos desviar do caminho.

O Diabo sabendo que lhe resta pouco tempo está usando todos os mecanismos possíveis para desencaminhar o Homem, razão pela qual as coisas que antigamente eram Proibidas agora são normais.

Por isso, precisamos aprender a lidar com estas pressões e usá-las para o nosso crescimento e solidificação de nossa fé!

Três razões porque as pressões são importantes para o nosso crescimento e firmeza espiritual:

1- A PRESSÃO MOSTRA A NOSSA CONDIÇÃO ESPIRITUAL.
“Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual, o SENHOR, teu Deus, te Guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os Seus mandamentos.” (Deuteronômio, 8.2)

Muitas vezes podemos estar sob a pressão de um deserto. Três tipos de pressões você encontra no deserto:
1- A pressão do Diabo
2- A pressão do Sofrimento
3- A pressão do Conflito

O deserto revela quem nós somos.  “... para saber o que estava no teu coração...”.

Na verdade, não há nada como um deserto para nos ajudar a conhecer o nosso próprio eu.

O Que é Deserto? Fase de amadurecimento e aprofundamento de Deus para conosco, vem para golpear a carne e quebrantar o ego.

Na verdade nós só conhecemos alguém de fato quando a vemos debaixo de pressão.

Não se pode avaliar alguém em dia de festa, mas, com certeza, as atitudes e reações de uma pessoa serão mais bem avaliadas diante das adversidades.

As pressões que sofremos são como o fogo. 

“O ouro e a prata são provados pelo fogo, mas é o SENHOR que revela quem as pessoas realmente são”. Prov. 17:3

A Palavra de Deus nos diz que há um fogo que vem para testar a nossa realidade. Esse fogo é o fogo da pressão. Tal fogo apenas realça o ouro e a prata, tornando-os ainda mais puros.

Você conhece alguém que só ora e vem na igreja quando esta debaixo de pressão?  

Essa atitude não é a mais correta, mas esse tipo de pessoa mostra por um lado que tem um pouco de temor a Deus e o busca em tempos de luta.

Ao contrário dessas pessoas existem outras que quando estão debaixo de pressão só sabem ficar sentada assistindo TV e reclamando da vida sem tomar nenhuma atitude contrária a situação que está passando.  

Deus jamais nos põe na fornalha ardente do deserto para nos destruir.

Ele apenas nos refina e nos torna melhores.


2 – A PRESSÃO PRODUZ MUDANÇA ESPIRITUAL.
 “Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a tua palavra”. Salmo 119:67

A pressão, além de mostrar a nossa verdadeira condição espiritual ela bem canalizada produz também uma mudança espiritual.

Foi exatamente isso que o Salmista experimentou! Enquanto ele andava errado, certamente desprezava as orientações da Palavra de Deus para a sua vida.

Mas quando ele passou uma aflição (pressão) ele passou a guardar a Palavra do Senhor!

E não somente isso; ele percebeu que bom passar pelo que passou para aprender mais de Deus!

“Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos”. Salmo 119:71

Deus usa a pressão para nos transformar. Em outras palavras: as pressões colaboram com o nosso processo de crescimento.

Não há crescimento em Deus, sem o fogo da pressão. As pessoas tornam-se diferentes, depois de um período de provas e tribulações.

A pressão tem poder de mudar a nossa vida!

Você sabe como é feito o diamante, ele é feito do carvão depois de muito fogo e pressão.

Mas como duas coisas tão diferentes podem ter a mesma composição?

A diferença está no processo. O que os torna diferentes é o fato de que o diamante foi submetido a altas pressões e temperaturas durante um longo tempo, e isto mudou a sua consistência.

A combinação de três elementos forma o diamante: fogo, pressão e tempo.  

O diamante é uma pedra preciosa que tem três características básicas: beleza, raridade e durabilidade.

- A beleza do caráter de Cristo
- A raridade de uma vida totalmente entregue a Deus
- A durabilidade de uma fé que não desiste

O Senhor também deseja que sejamos fortes e resistentes como o diamante.

O diamante é a substancia mais dura encontrado na natureza, o que significa que só um diamante pode cortar ou riscar outro diamante.  Nenhum outro tipo de metal, ferro ou aço pode arranhar o diamante.

Em Ezequiel 3:7-9 temos um texto bem interessante sobre o Profeta Ezequiel que foi enviado por Deus para falar ao povo de Israel durante o seu cativeiro, aquele povo era de duro coração!

7 “Mas a casa de Israel não te dará ouvidos, porque não me quer dar ouvidos a mim; pois toda a casa de Israel é de fronte obstinada e dura de coração”.

Certamente Ezequiel estava pressionado e não se sentia capaz para tal missão. Nele mesmo não havia estrutura espiritual e emocional para suportar as afrontas de um povo duro de coração, mas o Senhor já havia transformado o Profeta e feito ele como um forte diamante!  O Senhor estava lhe dando a estrutura de um diamante!

Ezequiel 3:8,9

8 Eis que fiz duro o teu rosto contra o rosto deles e dura a tua fronte, contra a sua fronte.
9 Fiz a tua fronte como o diamante, mais dura do que a pederneira; não os temas, pois, nem te assustes com o seu rosto, porque são casa rebelde.

O que Deus está dizendo para Ezequiel é que: ninguém poderia lhe causar dano!

3- A PRESSÃO PRODUZ PODER ESPIRITUAL.
Atos 4:29-31
29 agora, Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra,
30 enquanto estendes a mão para fazer curas, sinais e prodígios por intermédio do nome do teu santo Servo Jesus.
31 Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.

A Igreja primitiva estava debaixo da pressão da perseguição! As autoridades os proibiram de pregar a Palavra e foram ameaçados!

No entanto, eles não oraram para que fossem livres da pressão. Pelo contrário eles pediram ao Senhor, mais ousadia e coragem.

Como resposta o poder de Deus foi manifestado a ponto de tremer o local onde estavam reunidos. E mais que isso, esse poder do Espírito Santo os encheu de intrepidez para anunciar a Palavra de Deus.

“As pressões são as oportunidades que surgem na tua vida para que você possa conhecer o poder de Deus”.

Lembre-se: O patriarca Jó só conheceu o poder de Deus em sua vida, quando a carne do seu corpo estava podre.

Na Inglaterra, no séc. XVIII os físicos descobriram que a pressão condicionada gerava potência. Quando eles entenderam que pressão é igual a poder, o mundo foi revolucionado. Quer poder, então antes vai vir a pressão.

Você sabe como um carro, um trem ou um avião se move? Através do Combustível – Que gera uma Explosão – Que Gera uma Pressão – Pressão canalizada gera o movimento. Esse é o princípio que move as coisas.

Deus escolhe maneiras diferentes de gerar pressão em nós.
- Uns através das necessidades,
- outros através dos sonhos,
- outros através de lutas interiores.
- Outros através de suas fraquezas.

“A minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” 2 Cor 12:9

Portanto quando a pressão chegar em sua vida diga o seguinte:

“Esta é uma boa oportunidade para que o Senhor manifeste seu Poder”.

CONCLUSÃO:

Todo homem ou mulher que se tornaram vencedores enfrentaram pressões acima de suas forças e saíram com a vitória na mão.

Os vitoriosos são aqueles que levam a sério o seu relacionamento com Deus!

A Igreja precisa sair da religiosidade. Ir aos cultos uma vez na semana e achar que a Bíblia só deve ser lida lá não vai prepará-la para estas pressões dos últimos dias!

“Encha o seu tanque” todos os dias da Palavra de Deus! Esteja em contato com Deus o dia todo!

A nossa vida de relacionamento com Deus precisa ser mantida e, mais do que isso, precisa crescer e se solidificar.


Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO


segunda-feira, 16 de abril de 2018

Fracassei..E agora?



João  21:16,17
16 Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de João, tu me amas? Ele lhe respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Pastoreia as minhas ovelhas.
17 Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas.

INTRODUÇÃO:
Eu gostaria de ministrar uma Palavra nesta noite que tem como principal motivação te ajudar a superar os seus fracassos.
Fracassar, segundo o dicionário é não obter o resultado esperado.
Existem vários tipos de fracassos:
(1) fracasso relacional que envolve familiares, amigos, namoro, noivado.
Exemplo: Quando o casamento se acaba ou quando um filho se perde nas drogas dizemos que fracassamos...
(2) fracasso escolar ou profissional quando não conseguimos romper e crescer diante dos desafios de uma vida altamente competitiva.
(3) Mas o maior fracasso que eu quero enfatizar nesta noite é o fracasso espiritual. 
Para mim, o fracasso espiritual passa por duas vertentes.
A primeira é ser um cristão sem frutos.
Jesus disse aos seus discípulos: “Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome”. João 15:16
Todo cristão deveria entender que é chamado por Cristo para frutificar. A vida cristã é muito mais que salvação! É frutificação! Devemos oferecer a Deus uma vida frutífera. E esta frutificação segundo as palavras de Jesus, é comum a todo ramo que está ligado à videira que é Cristo.
"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda.” João 15:1,2
Você está vivendo uma vida sem frutos, uma vida infrutífera? Então você está fracassando espiritualmente.
A segunda é cair em pecado ou em tentação.
Oséias 14:1, 2 diz:  Volta, ó Israel, para o SENHOR, teu Deus, porque, pelos teus pecados, estás caído. Tende convosco palavras de arrependimento e convertei-vos ao SENHOR; dizei-lhe: Perdoa toda iniquidade, aceita o que é bom e, em vez de novilhos, os sacrifícios dos nossos lábios”.
MARTINHO LUTERO DISSE: "Não posso impedir que os pássaros voem sobre minha cabeça, mas posso impedir que eles façam ninho nela".  Ser tentado não é pecado. O pecado está em aceitar que a tentação faça "ninho em nossa cabeça"
“ Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar”. 1 Coríntios 10:13
Eu acredito que a maioria de nós já experimentou grandes fracassos na vida. Tanto na família, profissionais ou espirituais.
O fracasso faz parte da vida de qualquer pessoa. Ele é inevitável e inerente a natureza humana.
Mas a boa notícia é que ele não é um inimigo, uma “maldição hereditária”, um acontecimento irreversível ou definitivo.
“Porque sete vezes cairá o justo e se levantará; mas os perversos são derribados pela calamidade”. Provérbios 24:16

“O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão”.
                                                                                     Salmo 37:23,24

O Dr, Roberto Shinyashiki (médico-psiquiatra, conferencista, empresário e escritor brasileiro) disse uma palavra interessante sobre isso:
“Não confunda derrotas com fracasso nem vitórias com sucesso. Na vida de um campeão sempre haverá algumas derrotas, assim como na vida de um perdedor sempre haverá vitórias. A diferença é que, enquanto os campeões crescem nas derrotas, os perdedores se acomodam nas vitórias”.
Paul J. Meywr diz: “A vida é 10% daquilo que acontece comigo e 90% de como eu reajo a isto”.
Como você tem reagido diante de seus fracassos?
Nesta noite eu quero falar de dois dos homens mais chegados a Jesus que haviam tido fracassos gravíssimos. Judas e Pedro…Cada um deles reagiu de forma diferente diante de seus fracassos!
Judas Traiu o Senhor e passou por um remorso (não arrependimento) rejeitando a misericórdia e o perdão de Deus…Ele se auto-condenou e se enforcou…
Pedro também fracassou negando a Jesus, mas ele se arrependeu verdadeiramente e RECEBEU A MISERICÓRDIA E A GRAÇA DE DEUS E DEPOIS SE TORNOU UM LÍDER DA IGREJA!

Já que PEDRO soube receber a GRAÇA, MISERICÓRDIA e o FAVOR de DEUS na sua vida, vamos usar a sua experiência para responder a 3 Perguntas:

1) O que causa fracasso na vida de alguém?
2) O que devemos fazer ao depararmos com o fracasso?
3) Qual é a reação de jesus com o nosso fracasso?

1.   O QUE CAUSA FRACASSO NA VIDA DE ALGUÉM?

4 causas principais:
1ª CAUSA: AUTOCONFIANÇA.
Marcos 14:29-31  
“29 Pedro declarou: Ainda que todos te abandonem, eu não te abandonarei! 
30 Respondeu Jesus: Asseguro-lhe que ainda hoje, esta noite, antes que duas vezes cante o galo, três vezes você me negará.
31 Mas Pedro insistia ainda mais: Mesmo que seja preciso que eu morra contigo, nunca te negarei. E todos os outros disseram o mesmo.”

Quando Jesus alertou Pedro acerca do plano de Satanás de peneirá-lo como trigo, Pedro respondeu que estava pronto a ir com Ele tanto para a prisão como para a morte. Pedro subestimou a ação do inimigo e superestimou a si mesmo. Ele pôs exagerada confiança no seu próprio “eu”, e aí começou sua derrota espiritual.

I Cor 10:12“Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia”.

(A Mensagem)  “Não sejam tão ingênuos e autoconfiantes. Vocês não são diferentes. Podem fracassar tão facilmente como qualquer um. Nada de confiar em vocês mesmos. Isso é inútil! Mantenham a confiança em Deus.”

Uma Verdade! A Autoconfiança é boa até não se tornar em soberba.

A soberba leva a pessoa a superestimar o seu valor e a sua competência. A causa básica do fracasso é a soberba.

"A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda." Provérbios 16:18

A autoconfiança tanto pode ser positiva como negativa. A autoconfiança positiva nos faz tomarmos iniciativas usando os nossos talentos e habilidades com firmeza; mas a autoconfiança é negativa quando nos leva ao orgulho.
A habilidade ou o talento humano só produz êxito com a benção de Deus. A dependência de Deus é o segredo do sucesso.
“Uma qualidade não vigiada é uma fraqueza dobrada”.
O pecado de orgulho é a força motora de todos os outros pecados. A soberba manobra o coração do adúltero; o orgulho comanda as intenções do mentiroso; a altivez dirige a vida do ladrão.
Paulo diz: “Não pense de si mesmo além do que convém…” (Rm 12.3)
Depois de grandes vitórias não se distraia! Permaneça humilde e dependente de Deus!!
2ª CAUSA: INDOLÊNCIA (Lc 22.45,46)
“Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos, e os achou dormindo de tristeza, 46 e disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação”.
O mesmo Pedro que prometeu fidelidade a Cristo e a disposição de ir com ele para a prisão e a morte, agora está cativo do sono no jardim do Getsemani no auge da batalha.
Faltou-lhe a percepção da gravidade do momento. Faltou-lhe vigilância espiritual. Estava entregue ao sono em vez de guerrear com Cristo contra as hostes do mal. A fraqueza espiritual de Pedro fê-lo dormir e, ao dormir, fracassou no teste da vigilância espiritual.
As palavras de Pedro eram de confiança, mas suas atitudes, frágeis. Promessas desprovidas de comprometimento evaporam na hora da crise. O sono substituiu a autoconfiança. O fracasso se estabeleceu
3. PRECIPITAÇÃO (João 18:10,11)
10 Então, Simão Pedro puxou da espada que trazia e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita; e o nome do servo era Malco.
11 Mas Jesus disse a Pedro: Mete a espada na bainha; não beberei, porventura, o cálice que o Pai me deu?

Quando os soldados romanos, liderados por Judas Iscariotes e pelos principais sacerdotes, prenderam a Jesus, Pedro sacou sua espada e cortou a orelha do sumo sacerdote.
SUA VALENTIA ERA CARNAL. Porque dormiu e não orou, entrou na batalha errada, com as armas erradas e a motivação errada. Pedro deu mais um passo na direção da queda. Ele deslizou mais um degrau rumo ao chão.
“Nossa luta não é contra carne e sangue”. Precisamos lutar não com armas carnais, mas sim com armas espirituais.
Precisamos entrar nessa guerra com os olhos no céu e os joelhos no chão.
Precisamos despojar-nos da autoconfiança para recebermos o socorro que vem do alto.
4ª CAUSA: SEGUIR A JESUS DE LONGE.

Mateus 26:58 – “E Pedro o seguiu de longe até o pátio do sumo sacerdote, entrou e sentou-se com os guardas, para ver o que aconteceria.” 

Mateus 26:69-70 – “69 Pedro estava sentado no pátio, e uma criada, aproximando-se dele, disse: Você também estava com Jesus, o galileu. 70 Mas ele o negou diante de todos, dizendo: Não sei do que você está falando.”

Depois que Cristo foi levado para a casa do sumo sacerdote, Pedro mergulhou nas sombras da noite e seguia a Jesus de longe.

Sua coragem desvaneceu. Sua valentia tornou-se covardia. Seu compromisso de ir com Jesus para a prisão e a morte foi quebrado. Sua fidelidade incondicional ao Filho de Deus começou a enfraquecer. Não queria perder Jesus de vista, mas também não estava disposto a assumir os riscos de sua ligação com Ele.

Ainda hoje há muitos crentes seguindo Jesus de longe. Ainda guardam certo temor de Deus, mas ao mesmo tempo anestesiam a consciência vivendo em práticas erradas.

Ao olharmos para a vida de Pedro, estamos diante do espelho. Muitas vezes somos como Pedro. Mostramos autoconfiança, não oramos, somos precipitados e, seguimos Jesus de longe. 

A Boa notícia é que Deus não desiste de nós!

(Segunda Pergunta:)
2.   O QUE DEVEMOS FAZER AO DEPARARMOS COM O FRACASSO?
Para superar o fracasso precisamos:


2.1- PRECISAMOS DO ARREPENDIMENTO.


No A.T. (hebraico), a palavra arrependimento tem o sentido de girar ou retornar. Sair do pecado e voltar-se para Deus. No N.T a palavra grega para arrependimento é metanoia que significa "mudança de mente".

Todavia o seu sentido bíblico vai além, significando uma mudança de rumo, mudança de direção, de atitude.

Precisamos entender que o arrependimento passa por algumas etapas:

1ª etapa- Consciência do Pecado

Mateus 26:75 – “ Então Pedro se lembrou da palavra que Jesus tinha dito: “Antes que o galo cante, você me negará três vezes”. E, saindo dali, chorou amargamente.”

Certamente Pedro ao Lembrar-se da palavra que Jesus lhe havia dito antes de sua queda percebeu que não havia dado o devido valor nas palavras do Senhor.

Com isso, ele assume a sua culpa e não a transfere para qualquer outra pessoa. Assim como fez Davi no Salmo 51:4 “Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar”.

Deus não espera respostas autojustificativas de transferências,  nenhum pecado pode ser justificado, não adianta dizer coisas do tipo:

·         Transferência- “Deus, eu não resisti porque suas roupas estavam muito provocante..” Jesus deve responder: “”Eu não disse que deveria arrancar seus olhos se eles te fizessem pecar.”

·         Minimizar a Culpa- “Deus é claro que eu deu uns gritos e xinguei mesmo, mas pelo menos eu não matei ninguém” Uma boa desculpa é encontrar sempre alguém pior que você.

·         “Jesus, eu pequei porque acabei ficando sozinho...” Jesus deve responder Sozinho, como assim? Eu não disse que estaria com você até o final dos séculos?

·         Temos que ter a coragem de assumir as responsabilidades de nossos atos.

2ª Confissão de Pecado.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:9

No versículo 5 do Salmo 32 Davi disse: “Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado”.

Deus não precisa de sua confissão para saber que você pecou, Ele já sabe todas as coisas, como diz Derek Cleave: Confessar pecados não é informar a Deus, é concordar com Ele” É chamar o pecado pelo nome correto.

“Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem da escuridade luz e da luz, escuridade; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!” Isaías 5.20 

Algumas pessoas chamam a luz de trevas e trevas de luz; o doce de amargo e o amargo de doce.  


3ª Abandono do Pecado.
“O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Provérbios 28.13).

O pecado, uma vez reconhecido e confessado, precisa ser abandonado.

Quando não há abandono fica estabelecido um vínculo, um círculo vicioso, que chamamos “prisão

Jesus disse para as pessoas a quem ele perdoou: “Vá, e não peques mais”. Isso é o abandono.

Não pecar mais, porém é bem difícil, mas não impossível.

Por isso creio que para abandonar de vez aquele pecado que tem nos levado a fracassar precisamos uma atitude fundamental

2.2PRECISAMOS TOMAR POSSE DO PERDÃO E DA MISERICÓRDIA DO SENHOR!!

…. Como o inimigo opera: antes de pecar: o diabo minimiza o nosso pecado, mas DEPOIS que pecamos ele MAXIMIZA…
A culpa do pecado tem se tornado pior para o ser humano que propriamente o pecado, pois, quando se confessa o pecado e não se livra da culpa, faz se uma vulnerabilidade pra que o pecado possa novamente criar raízes em sua vida e dificultar a sua comunhão com Deus.
FOCALIZE NA  MISERICÓRDIA DO SENHOR SOBRE SUA VIDA!!

Se você se arrependeu, assumiu o erro e RECEBEU o perdão de Deus! Mas ainda faltava a Pedro mais uma atitude!
2.3- REASSUMA O TEU CHAMADO MINISTERIAL
Uma pergunta: Pedro teve consciência do pecado, o confessou e o abandonou, mas será que Pedro retomou o seu chamado ministerial?
Pedro foi pescar…
Pedro foi o primeiro a desistir. Ele deixou o chamado e voltou à antiga profissão, as velhas redes, dizendo: “Eu vou pescar” (João 21.3). O que Pedro estava realmente dizendo era: “Eu simplesmente não aguento isso. Para mim não dá mais”
No lago da Galiléia junto com Simão Pedro estavam Tomé, Natanael, Tiago, João e mais dois discípulos. Sete dos onze discípulos de Jesus estavam reunidos ali (João 21.2). Quando Pedro disse aos outros: “Eu vou pescar” estes discípulos se dispuseram: “Nós também vamos pescar com você!”
Todos somos sujeitos a influência. O que os discípulos estavam dizendo era: “Pedro sabe o que está fazendo. Nós esperávamos que ele fosse um líder maravilhoso. Mas ele desistiu. Se ele desistiu nós também podemos desistir”.
João 21:1-3
1 Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e foi assim que ele se manifestou:
2 estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu e mais dois dos seus discípulos.
3 Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Disseram-lhe os outros: Também nós vamos contigo. Saíram, e entraram no barco, e, naquela noite, nada apanharam.

Pedro foi perdoado por Jesus, mas, possivelmente ele deve ter achado que o seu chamado ministerial havia acabado por conta de seu fracasso.

Por não compreender o caráter de Jesus, por temer as provações e se sentir inseguro como líder, ele recuou para os seus antigos caminhos e voltou para as antigas redes.

Mas foi ali, diante das velhas redes e da antiga vida que Jesus apareceu novamente aos discípulos.

3.   QUAL É A REAÇÃO DE JESUS COM O NOSSO FRACASSO?

Naquela praia onde pescavam, logo após um jantar na presença de sete discípulos mudos, Jesus perguntou: “Simão, filho de João, você me ama mais do que estes outros?” (João 21.15).

Jesus não estava provocando Pedro pelo fato dele ter desistido. Pedro estava na verdade recebendo uma nova revelação, uma revelação para nunca mais desistir.

E que revelação era esta? A força para seguir Jesus em qualquer situação era o amor!
-O amor acima de qualquer medo.
-O amor acima de qualquer dúvida.
-O amor acima de qualquer situação.
- O amor a Jesus por aquilo que Ele é e não por aquilo que você acha que Ele está fazendo.

Jesus fez três vezes essa pergunta a Pedro. “Pedro tu me amas? - Em cada vez que ele respondia “sim, o senhor sabe que eu o amo, Senhor!”, Jesus acrescentava: “Tome conta das minhas ovelhas!” (João 21.15-17)

Na verdade, Jesus estava restaurando a vida de Pedro.

— Seu fracasso não pegou Deus de surpresa. (Sl.103:14)
— Ele ora por você!!
— Ele acredita na SUA RESTAURAÇÃO!!
Lucas 22:32 (NTLH) >> E QUANDO vc voltar para MIM!!! (Não SE vc voltar…)
Lucas 22:32 – “E, quando você voltar para mim, anime os seus irmãos.”
— Ele usa o seu fracasso para edificar a Sua Igreja!!!

Se você me ama, esqueça os seus erros e fracassos. Levante-se, abra a porta e volte para Mim. Eu te restauro. É possível recomeçar. Desista de viver para as suas falhas, para as suas dúvidas, para os seus problemas. Pare de se concentrar em fazer as suas próprias coisas. Seja corajoso, não tenha medo e nem se deixe perturbar pelo medo. Se você me ama, invista todas as suas forças na vida cristã: apascente as minhas ovelhas. Assim como o Pai me enviou, Eu também envio você. Estou com você todos os dias.”

Pedro não cabia mais naquela vida passada de pescador, e continuava a fracassar ao tentar voltara para esse ofício.

A maneira de lidarmos com nosso fracasso é usá-lo como uma oportunidade de servir os outros.
Isso é difícil, pois o fracasso quase sempre faz com que nos fechemos em nós mesmos.
CONCLUSÃO:

No livro de Apocalipse, vemos o Senhor Jesus levantando a sua Igreja, trazendo-a de volta a seu lugar:  Ap 2:5. “Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o meu candelabro do lugar dele.”

É interessante notar que nos versos anteriores deste capítulo, o Senhor elogia esta igreja por tantas coisas como o trabalho, a perseverança, etc. Porém em uma área havia caído. Perderam a excelência do primeiro amor!

O Senhor, ao ensinar esta igreja a se levantar esta, disse: “Lembre-se de onde caiu”, ou seja, busque saber onde, quando, e como caiu. Reconhecer a queda de alguma área é o ponto de partida para a restauração.

Hoje Deus pode transformar os teus fracassos em grandes bênçãos para a tua vida!

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO