segunda-feira, 22 de maio de 2017

PAIXÃO MISSIONÁRIA – O que move a Igreja para avançar!


TEXTO: 1 Coríntios 9:16-23.
16 Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!
17 Se o faço de livre vontade, tenho galardão; mas, se constrangido, é, então, a responsabilidade de despenseiro que me está confiada.
18 Nesse caso, qual é o meu galardão? É que, evangelizando, proponha, de graça, o evangelho, para não me valer do direito que ele me dá.
19 Porque, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível.
20 Procedi, para com os judeus, como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da lei, embora não esteja eu debaixo da lei.
21 Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo, para ganhar os que vivem fora do regime da lei.
22 Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.
23 Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele.

Introdução: Graça e Paz! Eu gostaria de conversar com vocês hoje sobre Paixão Missionária!

Mas o que é paixão? Em linhas gerais, paixão é aquilo que mais amamos; a nossa maior paixão é aquilo a que mais dedicamos o nosso tempo e dinheiro; a nossa maior paixão é aquilo que mais nos entusiasma.

Uma pesquisa realizada pelo Ibope revela que a maior paixão dos homens brasileiros é o futebol (77%). Em segundo lugar, aparece a cerveja (35%), seguida de carnaval (30%), mulher (22%), churrasco (20%) e praia (13%). A pesquisa mostra ainda que a família aparece em oitavo lugar, com 9%, empatada com carro e novela.

E para a Igreja? Qual é a sua maior paixão?

1- A palavra “paixão” na bíblia pode ser usada no sentido negativo, como “um desejo intenso pelo que é proibido”.

1 Pedro 2:11 “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma”

2 Timóteo 2:22  “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor”.

2- Mas podemos usá-la também de maneira positiva. Quando temos um desejo intenso por aquilo que é aprovado por Deus, aquilo que o agrada, principalmente aquilo que é o seu maior desejo!
- Você sabe qual é o maior desejo de Deus? – Olhe para a sua volta!

 “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido”. Lucas 19:10

“o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. 1 Timóteo 2:4

 “Acaso, tenho eu prazer na morte do perverso? — Diz o SENHOR Deus; não desejo eu, antes, que ele se converta dos seus caminhos e viva? “.Ezequiel 18:23 

Com base na experiência de Paulo, vamos aprender o que realmente significa ter paixão missionária:

1ª TER PAIXÃO MISSIONÁRIA É
SER APAIXONADO PELAS ALMAS!

Creio que esse era o lema de Paulo. Paulo era apaixonado pela salvação de almas!

22 Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.

Será que podemos dizer: Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns?

Este texto, isoladamente e mal interpretado, dá a entender que, para ganhar vidas para Cristo, vale tudo.

Vamos ver as outras afirmativas de Paulo nos versículos anteriores: (19-21)

19 Porque, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível.
20 Procedi, para com os judeus, como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da lei, embora não esteja eu debaixo da lei.
21 Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo, para ganhar os que vivem fora do regime da lei.

Primeiramente, nós observamos o apóstolo Paulo revestindo-se da característica mais autêntica de Cristo: a de um servo.

“Fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível”

5 “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,”
6 “pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;”
7 “antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo...” Fp. 2:5-7

Jesus "esvaziou-se a si mesmo por tomar a forma de servo". Quando foi a última vez que você se esvaziou em benefício dos outros?

Dois jovens Moravianos, de 20 anos ouviram sobre uma ilha no Leste da Índia cujo dono era um Britânico agricultor e ateu, este tinha tomado das florestas da África mais de 2000 pessoas e feito delas seus escravos, essas pessoas iriam viver e morrer sem nunca ouvirem falar de Cristo.
Esses jovens fizeram contato com o dono da ilha e perguntaram se poderiam ir para lá como missionários, a resposta do dono foi imediata: ” Nenhum pregador e nenhum clérico chegaria a essa ilha para falar sobre essa coisa sem sentido”. Então eles voltaram a orar e fizeram uma nova proposta: “E se fossemos a sua ilha como seus escravos para sempre?”, o homem disse que aceitaria, mas não pagaria nem mesmo o transporte deles. Então os jovens usaram o valor de sua própria venda para custear sua viagem.
No dia que estavam no porto se despedindo do grupo de oração e de suas famílias o choro de todos era intenso, pois sabiam que nunca mais veriam aqueles irmãos tão queridos, quando o navio tomou certa distância eles dois se abraçaram e gritaram suas ultimas palavras que foram ouvidas:

“QUE O CORDEIRO QUE FOI IMOLADO RECEBA A RECOMPENSA DO SEU SOFRIMENTO“.

- “Eu não posso falar de paixão por almas se não estiver disposto a ser um servo por amor a Cristo”

Jesus colocou-se no lugar do homem/pecador, passando a compreender o pecador. Paulo, de mesmo modo, sensibilizou-se com as causas daqueles a quem ele queria alcançar.

Paulo, por se tornar sensível colocou-se no lugar deles, compreendeu-os, identificou-se com seus sofrimentos, gastou tempo com eles, se dispôs a pregar o evangelho.

Você não pode ser um servo se estiver cheio de si mesmo. Sendo servos, passamos a considerar os outros superiores a nós mesmos e isso é essencial para a propagação do evangelho!

Chegando-se a essa conclusão, podemos agora compreender os versos seguintes. Segundo o contexto, fazer-se de judeu, ou se fazer de fraco, significa colocar-se no lugar do judeu ou do fraco. Isso foi exatamente o que Cristo fez.

Paulo era imitador de Cristo, e não um imitador de homens.

Agora começamos a entender o que é Paixão Missionária! Paixão missionária tem haver com vidas que são resgatadas para Cristo!

John Wesley, o fundador do movimento metodista “Não temos outro negócio nesta terra a não ser ganhar almas”.

Paulo diz que usava de todos os modos para salvar alguns!

Jesus disse que uma alma vale mais que o mundo inteiro!!!

TER PAIXÃO MISSIONÁRIA É
SER APAIXONADO PELO EVANGELHO.

Eu me considero uma pessoa apaixonada pelo evangelho de Cristo porque além de mudar a minha vida o tenho visto mudando outras tantas!

16 “Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!”

17 “Se o faço de livre vontade, tenho galardão; mas, se constrangido, é, então, a responsabilidade de despenseiro que me está confiada”.

23 “Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele”.

Quando eu leio estes versículos eu entendo que Paulo era uma pessoa apaixonada também pela mensagem do Evangelho!

A mensagem do Evangelho é a mensagem mais poderosa que existe, pois além de salvação ela é capaz de trazer transformação onde ela é aceita!

- Para os que se sentem esmagados pela culpa, o evangelho oferece perdão!

- Para os que não se sentem amados, o evangelho fala de um amor incondicional!

- Para os que se sentem perdidos, o evangelho fala de salvação!  

“Porque a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”.  1 Cor. 1:18

Por isso ele encarava o anuncio do evangelho com grande responsabilidade e intensidade!

Romanos 1:16 “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.”

Se nós queremos ter paixão missionária precisamos também ser apaixonados pelo evangelho.

O significado da palavra Evangelho no original grego significa literalmente “anúncio de boas notícias”

Paulo respirava evangelho. Era um apaixonado pela mensagem do Evangelho.

Qual era o evangelho que Paulo pregava? - Ele pregava o evangelho da graça de Deus. Alguém já disse que se fosse definir, diria que o evangelho “é o anúncio da graça”.

É por isso que o evangelho é boa notícia, a melhor das notícias, porque não traz em si qualquer juízo condenatório, a salvação que é oferecida pela graça, e obtida mediante a fé, não é para condenar, mas para libertar da escravidão ao pecado.

Veja como Paulo era apaixonado pelo Evangelho da Graça! “Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus”.  Atos 20:24.

Mas o que é a Graça? Graça é favor imerecido de Deus para as pessoas pecadoras como eu e você.

Philip Yancey resume graça em duas frases: “Graça significa que não há nada que possamos fazer para que Deus nos ame mais. E a Graça significa que não há nada que possamos fazer para Deus nos amar menos”

 “Portanto quero pregar como se CRISTO tivesse morrido ontem, ressuscitado hoje e voltasse a qualquer momento” (Martinho Lutero).

3ª TER PAIXÃO MISSIONÁRIA É
SER APAIXONADO EM COOPERAR.
23 “Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele”.

Na perspectiva teológica de Paulo (e de todos os apóstolos), todos os verdadeiros filhos de Deus são cooperadores, na propagação do evangelho.

Tanto no grego, assim como no latim, e em português, o verbo “cooperar” é um verbo composto.

Cooperar significa: “trabalhar com”, “trabalhar juntamente com”, “edificar em conjunto”, “erguer num esforço comum”.

Exemplo: Projeto Uma Semana Pra Jesus!

Isso leva-nos a uma clara compreensão do que significa “ser um cooperador”. Portanto, um cooperador é:

1- alguém que participa e não mede esforços para contribuir para o alcance do objetivo comum; (essa contribuição pode ser através do seu dinheiro, de suas orações, de seus dons, talentos ou serviço)

Exemplo: A Igreja Brasileira investe em missões anualmente cerca de R$1,80 por membro.

"Os evangélicos brasileiros gastam mais com Coca-Cola do que investem naquilo que dizem acreditar: MISSÕES.” (David Botelho)

O que mais comumente vemos é que a igreja muito se alegra com o despertar de uma vocação em seu meio, ora por aquele irmão e diz para ele ir.... Mas quando chega o momento de assumir o compromisso financeiro regular e decente, ela se silencia, como se isso não fosse problema dela.

“Deus quer a evangelização do mundo, mas se você se recusa a sustentar as missões, você se opõe à vontade de Deus.” (Oswald Smith)

2- alguém que apoia aqueles que estão na linha de frente, enfrentando todos os ataques do inimigo e dificuldades da missão.


3- alguém que reconhece as suas limitações e, por isso, respeita e valoriza a contribuição dos outros e o trabalho em equipe.

Quem não sabe valorizar a cooperação dos outros e tem dificuldade de se relacionar com as pessoas não serve para ser missionário (a)

1 Cor. 12:14-18, 25

14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.
15 Se disser o pé: Porque não sou mão, não sou do corpo; nem por isso deixa de ser do corpo.
16 Se o ouvido disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixa de o ser.
17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde, o olfato?
18 Mas Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve.

25 “para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros”.

 Paulo sempre se cercava de cooperadores:

“Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão,  e cooperador, companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades.” (Filipenses 2:25)

Visando prover a necessidade do apóstolo que se encontrava na prisão, a igreja de Filipos realizou uma coleta para ajudá-lo nas necessidades, e a Epafrodito coube a missão de ser o portador desta oferta missionária.

“Saudai a Priscila e a Áqüila, meus cooperadores em Cristo Jesus,” Romanos 16:3

“Saudai a Urbano, nosso COOPERADOR em Cristo, e a Estáquis, meu amado”. Romanos 16:9

“Saúdam-vos Timóteo, meu COOPERADOR, e Lúcio, Jasom e Sosípatro, meus parentes”. Romanos 16:21


CONCLUSÃO: Paixão missionária é paixão pelas almas; Paixão missionária é paixão pelo evangelho; Paixão missionária é paixão em Cooperar. 
- Será que Deus pode encontrar em nosso meio pessoas apaixonadas pela Sua missão?
- Você está disposto a dizer eis-me aqui Senhor, usa-me? 

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO

sábado, 25 de março de 2017

O SOBRENATURAL DE DEUS NA CONTRIBUIÇÃO


“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, 2 Coríntios 9.6-8

Introdução: Hoje é o nosso último dia da Campanha “Experimentando o Sobrenatural de Deus”. Através de cada ministração temos aprendido que quando Deus age sobrenaturalmente em nossas vidas aquilo que era impossível a nós se torna possível. Durante estas semanas aprendemos sobre: 

1) Sobrenatural de Deus em nossas batalhas.
2) Sobrenatural de Deus na experiência pessoal.
3) Sobrenatural de Deus para Testemunharmos.
4) Sobrenatural de Deus na Oração.

E hoje vamos aprender sobre o sobrenatural de Deus na contribuição!  

Para que entendamos melhor sobre o sobrenatural de Deus na contribuição precisamos aprender que nossa contribuição é tão espiritual quanto nossas orações; não há como separar os assuntos em natural e espiritual.

Quando um anjo do Senhor apareceu ao centurião Cornélio (Atos 10:4), lhe disse: “As tuas orações e as tuas esmolas subiram para memória diante de Deus” (At. 10:4).

Veja que o anjo diz que orações e esmolas subiram igualmente perante Deus; contribuição é um ato espiritual!

A esmola é apenas um nível de contribuição, mas a Bíblia fala de outros dois níveis: o dízimo e a oferta.

Para todos os níveis de contribuição que fazemos para o Reino de Deus há alguns princípios que precisamos obedecer.

Através destes princípios Deus irá se manifestar em nossa vida de maneira sobrenatural. O que não quer dizer que ficaremos ricos ou que sejam apenas bênçãos financeiras.

1- O PRINCÍPIO DA ACEITAÇÃO.
Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou...”  Gênesis 4:3-5ª

Por que a oferta de Caim não agradou a Deus e sim a oferta de Abel ?

Esta é a pergunta de muitos que leem este texto.

Observe que a oferta de Caim foi entrega ‘no fim de uns tempos’.

Não sabemos se este tempo foi no fim do tempo da colheita ou das ofertas, enfim, Caim não honrou a Deus com os primeiros frutos que são as primícias.

A entrega das primícias é uma forma de reconhecer Deus em primeiro lugar em nossas vidas.

Ao ordenar que o Seu povo Lhe entregasse os primeiros frutos, Deus queria ser distinguido no coração de Seus filhos. A entrega das primícias é uma forma de se dar honra ao Senhor.

“Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.” (Pv 3.9,10)

“buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça…” (Mateus 6.33). Aqui também temos o conceito de “priorizar” encontrado nas primícias.

Quem cumpre esses mandamentos está dando a Deus as primícias em todas as áreas de sua vida! E o Senhor se agrada muito dessa nossa atitude!

Deixar Deus para o fim significa não dar a Ele o primeiro lugar. É por isso que Deus não se agradou de Caim e nem aceitou a sua oferta.

Da mesma forma Ele não irá se agradar e nem tão pouco aceitar da oferta daqueles que entregam só o resto para ele. Sabe porque?

Porque a oferta é um retrato fiel do coração do ofertante para com Deus. Ela irá mostrar se o nosso coração é egoísta ou generoso!  

A atitude e o coração do ofertante são mais importantes para Deus do que a oferta.

Entenda isso! Depois de 30 dias de trabalho, o que devo fazer antes mesmo de pagar uma conta ou alguém é separar meu dízimo seguido de uma oferta.

Fazendo isso de coração e com alegria como diz Paulo em 2 Cor:9: 7  eu demonstrarei para Deus a importância que Ele tem em minha vida, e o quanto dependo da Sua proteção em minha vida financeira.

“Não dê como algo imposto, nem porque será recompensado. Faça-o com alegria, com contentamento. Podemos contribuir até doer, a ponto de chorar, mas no coração deve haver alegria”.

Perceba que Prov. 3:9,10 está em perfeita conexão com Malaquias 3:10-12

10 Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.
11 Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.
12 Todas as nações vos chamarão felizes, porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.

2- PRINCÍCIO DA SEMEADURA.
“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará”. 2 Cor. 9:6

A Palavra de Deus diz que dar é como semear. Quando o fazendeiro faz a semeadura, por todo o período de crescimento ele está aparentemente perdendo.

No entanto, se ele não semear, não poderá colher.
- Se a semeadura for escassa, a colheita também o será;
- Se a semeadura for liberal, assim será a colheita.
- Quanto mais você retiver, menos terá; quanto mais der, mais receberá, porque Deus verá seu despojamento, sua disposição de dar mais.

É importante sabemos que há muitas leis que regem o universo físico (leis físicas, químicas, biológicas, etc.)

A semeadura, por exemplo, é uma lei que funciona da mesma forma que a lei da gravidade e tantas outras leis naturais. Aquilo que plantarmos, certamente colheremos.

Porém, muitas vezes vamos semear com lágrimas nos olhos.

Salmo 126.5,6  “Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”.

Eu creio amados que se quisermos experimentar uma colheita sobrenatural de Deus em todas as áreas de nossas vidas precisamos aprender sim a contribuir para a obra de Deus mesmo em meio à crise!

Por isso precisamos vencer a tentação de comer todas as sementes que Deus nos dá.

Exemplo do Maná: Os que quiseram armazenar e guardar o maná, logo descobriram que isso não seria possível, pois o alimento se deterioraria e cheiraria mal (Êx 16.20).

A lição é clara: devemos guardar o que precisamos e compartilhar o que podemos. A semente que multiplicará não é a que comemos, mas a que semeamos.

“Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça” (2 Coríntios 9:10).

A semente sai de nossas mãos, porém quem envia a colheita é Deus! 

“Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”.
1 Cor. 3:6,7

A sua semente causará uma invasão do sobrenatural em todas as áreas.


3- O PRINCÍPIO DA GRAÇA.
(2 Coríntios 8:1-5)
1 Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia;
2 porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade.
3 Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários,
4 pedindo-nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos.
5 E não somente fizeram como nós esperávamos, mas também deram-se a si mesmos primeiro ao Senhor, depois a nós, pela vontade de Deus;

Ofertar para a obra do Senhor é um favor que nenhum de nós merece. É uma GRAÇA. Se você entender isso, sua atitude com relação às contribuições sejam dízimos ou ofertas, nunca mais será a mesma.

É Deus quem nos dá o privilégio de socorrermos aos irmãos, os necessitados e sermos seus cooperadores no avanço de sua obra.

QUANDO TEMOS ESTA VISÃO A OFERTA NÃO SERÁ UM PESO PARA NÓS E SIM UM GRANDE PRIVILÉGIO.

Paulo ao falar para a Igreja em Éfeso recorda as palavras de Jesus para os seus discípulos:

Atos 20:35  “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber”.

As igrejas da Macedônia mesmo em meio à pobreza e necessidades, insistiram em participar da oferta aos santos porque tinham entendido a graça de dar! (Dar é um grande privilégio)

Quando entendemos a revelação da graça de contribuir todo o egoísmo e a ganância são retirados de nós, nos levando-nos a uma atitude de generosidade.

É por isso que Paulo diz que A PROFUNDA POBREZA DELES SUPERABUNDOU EM GRANDE RIQUEZA DA SUA GENEROSIDADE.

Uma das grandes marcas do cristão, se não a mais importante de todas, é a generosidade. Porque generosidade tem haver com o maior de todos os dons, o AMOR.

Por falta deste amor a Deus e Sua obra muitos cristãos são omissos. Por isso os missionários padecem os pobres não são socorridos e a Igreja deixa de avançar e expandir.                      

O cristianismo todo está baseado nesta qualidade de fazer não somente aquilo que é esperado, mas ultrapassar e em muito o mínimo que se espera de nós.

A generosidade é algo natural que pode produzir fruto sobrenatural. Não se trata da oferta, mas do coração generoso. “A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado”. Provérbios 11:24,25

A Bíblia diz que eles Ofertaram na medida de suas posses e mesmo acima delas.

Ser rico não é requisito para alguém contribuir. E ser pobre não é motivo para deixar de contribuir.

Se havia uma igreja necessitando pedir oferta era a da Macedônia. Eles eram quase tão pobres, ou mais, quanto àqueles aos quais resolveram ajudar.

Na realidade, proporcionalmente e estatisticamente os pobres ofertam muito mais que os ricos.

Com algumas exceções é claro, os pobres ofertam do seu sustento enquanto que os ricos das sobras (Ex,: Oferta da viúva pobre em Mc. 12:41-44 ).

CONCLUSÃO: Queridos! É bem provável que quem não contribui no pouco também não contribuirá no muito. Se você não dá nada para a obra do Senhor por se julgar pobre, se vier a ter muito é bem provável que continue sem contribuir.
Existem vários irmãos esperando alcançar uma boa situação financeira para então começarem a contribuir com a obra de Deus. Não espere pagar todas as contas, ficar rico ou bem empregado para começar a contribuir. Faça-o a partir de hoje, ainda que as circunstâncias não sejam favoráveis. Olhe o que diz Habacuque 3:17-18:

“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação.”

Pr. Gilberto Oliveira Rehder

Igreja Metodista em Catalão-GO

sexta-feira, 10 de março de 2017

O SOBRENATURAL DE DEUS NA ORAÇÃO


1 Reis 18.30-39

30 Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; Elias restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas.
31 Tomou doze pedras, segundo o número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual viera a palavra do SENHOR, dizendo: Israel será o teu nome.
32 Com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; depois, fez um rego em redor do altar tão grande como para semear duas medidas de sementes.
33 Então, armou a lenha, dividiu o novilho em pedaços, pô-lo sobre a lenha
34 e disse: Enchei de água quatro cântaros e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. Disse ainda: Fazei-o segunda vez; e o fizeram. Disse mais: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez.
35 De maneira que a água corria ao redor do altar; ele encheu também de água o rego.
36 No devido tempo, para se apresentar a oferta de manjares, aproximou-se o profeta Elias e disse: Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, fique, hoje, sabido que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo e que, segundo a tua palavra, fiz todas estas coisas.
37 Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo saiba que tu, SENHOR, és Deus e que a ti fizeste retroceder o coração deles.
38 Então, caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego.
39 O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!

Tiago 5:17-18

17 Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu.
18 E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos.

Introdução: Eu quero compartilhar com a igreja nesta noite sobre o Sobrenatural de Deus na oração.

Em Tiago 6.16b nos diz que “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”

Essa afirmativa bíblica coloca o justo em uma posição muito especial, pois à sua disposição há um recurso espiritual e sobrenatural para enfrentar qualquer situação, por mais difícil que seja.

O fato de que “a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” é algo assombroso para Satanás.

Billy Graham - "O diabo ri de nossa sabedoria, zomba de nossas pregações, mas treme diante de nossas orações" 

É por isso que ele nos tenta a todo custo nos afastar de uma vida de oração.

Para experimentarmos o sobrenatural de Deus em nossas vidas precisamos priorizar uma vida de oração! 

Elias viveu o sobrenatural em sua vida não porque ele era um grande homem de Deus, mas porque ele servia a um Deus que é Grande.  

Pelo contrário Tiago diz que ele era um “homem sujeito à mesmas paixões que nós”

“...e, orando, pediu que não chovesse, e, por três anos e seis meses não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto” (Tiago 5.17, 18).

Tiago afirma que Elias orou para não chover, e o fez de uma maneira fervorosa. Houve três anos e meio de seca, o que trouxe muita escassez na terra. Depois orou para que chovesse.

Não parece estranho isso? Orar para não chover! Depois orar para chover!

Vamos entender o que acontecia naquele tempo.  A nação de Israel era governada por Acabe, um rei que fazia o que era mau aos olhos do Senhor. Este rei casou-se com Jezabel, mulher de origem cananita, que influenciou perversamente todo o reino de Israel.

Em 1 Reis 16:30-33 vemos em detalhes o que aconteceu...

30 Fez Acabe, filho de Onri, o que era mau perante o SENHOR, mais do que todos os que foram antes dele.
31 Como se fora coisa de somenos andar ele nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a Baal, e o adorou.
32 Levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria.
33 Também Acabe fez um poste-ídolo, de maneira que cometeu mais abominações para irritar ao SENHOR, Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele.

Por causa dessa aliança, Israel se afastou de Deus e se voltou para a idolatria e o culto a Baal.  

Jezabel abrigava no palácio 450 profetas de Baal e 400 profetas de Aserá.

Baal, no hebraico, significa senhor, dono. Acreditava-se que essa potestade controlava a chuva, a fertilidade e a vegetação. Algumas vezes também era conhecido como deus do fogo.

Quando Elias ora para não chover trazendo uma longa estiagem, era para mostrar ao seu povo que Baal não era nada, não podia controlar a chuva nem a vegetação.

1 Rs 17:1 "Ora, Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Tão certo como vive o Senhor, Deus de Israel, perante cuja face estou, nem orvalho, nem chuva haverá nestes anos senão segundo a minha palavra."

E assim aconteceu! Por três anos não choveu sobre a terra.

Mas mesmo assim o Povo de Deus estava dividido entre o Senhor e Baal.

1 Reis 18.21   “Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu”.

É interessante também notarmos que três anos depois Elias faz o que chamamos de desafio dos deuses. Ele convoca a todos os profetas de Baal no monte Carmelo e diz o seguinte:

24 “Então, invocai o nome de vosso deus, e eu invocarei o nome do SENHOR; e há de ser que o deus que responder por fogo esse é que é Deus. E todo o povo respondeu e disse: É boa esta palavra”.

À partir deste desafio dos deuses, nos vamos aprender como podemos orar para mover o sobrenatural de Deus.

TRÊS RAZÕES PORQUE DEUS RESPONDEU A ORAÇÃO DE ELIAS:

1ª ELIAS RESTAUROU O ALTAR DO SENHOR
30 “Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; Elias restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas”.

Saiba da importância do altar:

(1) O altar é uma palavra que vem do latim “Altus” e quer dizer “O Lugar mais Alto”

Coloque Deus no lugar mais alto em sua vida e você vai experimentar o sobrenatural na oração!

“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33)

Se o Senhor estiver em primeiro lugar na sua vida tenha certeza de que tudo o que você precisa o Senhor te dará!

(2) Altar é também o lugar do sacrifício de morte. É ali que nossa vida é colocada como um sacrifício para Deus. No altar nós morremos para as nossas próprias convicções, vontades, desejos, expectativas, etc... No altar morremos para a nossa velha natureza a fim de podermos viver uma nova vida para com Deus. No altar tem fim o velho homem!

(3) Altar é também lugar de comunhão. (representado pelas 12 pedras = 12 tribos de Israel).

Portanto a restauração do altar é você colocar a Deus no lugar mais alto de sua vida, morrendo para o pecado e vivendo em plena comunhão com o Senhor!

A ORAÇÃO QUE MOVE O SOBRENATURAL DE DEUS É AQUELA QUE VALORIZA O ALTAR RESTAURADO!

2ª ELIAS PROCEDEU CONFORME A PALAVRA DO SENHOR.
36 No devido tempo, para se apresentar a oferta de manjares, aproximou-se o profeta Elias e disse: Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, fique, hoje, sabido que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo e que, segundo a tua palavra, fiz todas estas coisas.

Tudo o que fazemos para Deus precisa ser feito conforme Ele quer, conforme a sua Palavra.

QUANDO FAZEMOS ALGO “PARA DEUS” À NOSSA MANEIRA, NÃO TEM VALOR NO MUNDO ESPIRITUAL.

Caim quis ofertar a seu modo e sua oferta não foi aceita. Nossas orações, nossas ofertas, nossa adoração, nosso culto, precisam ser conforme a Palavra de Deus.

Quando se trata de oração devemos entender que a própria Palavra de Deus nos instrui como nós devemos orar:

(1) Jesus ao ensinar os discípulos orarem, ensinou que a oração deveria ser feita a Deus, em seu nome.

"Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra" (João 16:24).

Este é um dos pontos primordiais para que sua oração esteja em conformidade com a Palavra de Deus: orar a Deus Pai em nome de Jesus.

Ele, Jesus, é o único caminho para Deus; único intercessor reconhecido por Deus; único Salvador; único advogado das nossas questões!

(2) Um segundo princípio importantíssimo é que devemos orar de conformidade com a vontade de Deus!

" E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito”.1 João 5:14-15

A ORAÇÃO QUE MOVE O SOBRENATURAL DE DEUS É SEMPRE DE ACORDO COM A PALAVRA DE DEUS!

3ª ELIAS TEVE COMO MOTIVAÇÃO A GLÓRIA DO SENHOR
37 Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo saiba que tu, SENHOR, és Deus e que a ti fizeste retroceder o coração deles.

Elias suplica pelo milagre, mas não há nada de pessoal nisto. Elias está preocupado tão somente que o povo contemple a Glória de Deus.

“Responde-me Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu és o Senhor Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração”.

Tudo o que Elias queria era que aquele povo tivesse os olhos desvendados, saísse do engano, tivesse uma experiência tal que o fizesse discernir quem era o Deus verdadeiro. Que o povo percebesse a diferença entre Baal e o Deus de Israel.

A principal motivação das nossas súplicas precisa ser a Glória de Deus.

Tiago exorta dizendo: “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres”. Tiago 4:3

Quantos crentes têm jejuado, clamado, suplicado, por coisas que irão afastá-los de Deus Sua motivação é esbanjar em seus próprios prazeres.

Esbanjar=Gastar excessivamente; gastar sem necessidade; excesso; desperdício.

Devemos aprender a pedir movidos não só pela nossa necessidade, mas também para as necessidades do Reino!

Você sabe qual a diferença da oração do ímpio com a do justo?

O ímpio ora buscando coisas, o justo ora buscando a Glória de Deus!

Jesus ao nos ensinar sobre a oração fala deste mesmo princípio:

"E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei." João 14:13-14

A ORAÇÃO QUE MOVE O SOBRENATURAL DE DEUS SEMPRE BUSCA A GLÓRIA DE DEUS!

CONCLUSÃO:

38 “Então, caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego”.
39 “O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!”

Sabe o que aprendi com Elias sobre oração?

Duas coisas eu aprendi:

1- A vontade de Deus na terra é gerada pela oração!

“Seja feita a Tua vontade assim na terra como nos céus” (Jesus)

Elias foi um instrumento de Deus para que a vontade fosse feita na terra.

Através da oração a vontade de Deus foi “gerada”, primeiramente orando pela seca, depois orando pelo Fogo de Deus e por último orando pela chuva.

"A oração é um instrumento poderoso não para fazer com que a vontade do homem seja feita no céu, mas para fazer com que a vontade de Deus seja feita na terra" (Robert Law).

2- As bênção da oração respondida só acontece em reconhecimento de que só o Senhor é Deus!!

39 “O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!”

Agora Elias podia pedir que Deus mandasse a chuva para por fim àquela seca prolongada.

É importante que saibamos que o recurso sobrenatural da oração pode oferecer aquilo que pelos meios naturais não é possível alcançar.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista Catalão-GO