sábado, 25 de março de 2017

O SOBRENATURAL DE DEUS NA CONTRIBUIÇÃO


“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, 2 Coríntios 9.6-8

Introdução: Hoje é o nosso último dia da Campanha “Experimentando o Sobrenatural de Deus”. Através de cada ministração temos aprendido que quando Deus age sobrenaturalmente em nossas vidas aquilo que era impossível a nós se torna possível. Durante estas semanas aprendemos sobre: 

1) Sobrenatural de Deus em nossas batalhas.
2) Sobrenatural de Deus na experiência pessoal.
3) Sobrenatural de Deus para Testemunharmos.
4) Sobrenatural de Deus na Oração.

E hoje vamos aprender sobre o sobrenatural de Deus na contribuição!  

Para que entendamos melhor sobre o sobrenatural de Deus na contribuição precisamos aprender que nossa contribuição é tão espiritual quanto nossas orações; não há como separar os assuntos em natural e espiritual.

Quando um anjo do Senhor apareceu ao centurião Cornélio (Atos 10:4), lhe disse: “As tuas orações e as tuas esmolas subiram para memória diante de Deus” (At. 10:4).

Veja que o anjo diz que orações e esmolas subiram igualmente perante Deus; contribuição é um ato espiritual!

A esmola é apenas um nível de contribuição, mas a Bíblia fala de outros dois níveis: o dízimo e a oferta.

Para todos os níveis de contribuição que fazemos para o Reino de Deus há alguns princípios que precisamos obedecer.

Através destes princípios Deus irá se manifestar em nossa vida de maneira sobrenatural. O que não quer dizer que ficaremos ricos ou que sejam apenas bênçãos financeiras.

1- O PRINCÍPIO DA ACEITAÇÃO.
Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou...”  Gênesis 4:3-5ª

Por que a oferta de Caim não agradou a Deus e sim a oferta de Abel ?

Esta é a pergunta de muitos que leem este texto.

Observe que a oferta de Caim foi entrega ‘no fim de uns tempos’.

Não sabemos se este tempo foi no fim do tempo da colheita ou das ofertas, enfim, Caim não honrou a Deus com os primeiros frutos que são as primícias.

A entrega das primícias é uma forma de reconhecer Deus em primeiro lugar em nossas vidas.

Ao ordenar que o Seu povo Lhe entregasse os primeiros frutos, Deus queria ser distinguido no coração de Seus filhos. A entrega das primícias é uma forma de se dar honra ao Senhor.

“Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.” (Pv 3.9,10)

“buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça…” (Mateus 6.33). Aqui também temos o conceito de “priorizar” encontrado nas primícias.

Quem cumpre esses mandamentos está dando a Deus as primícias em todas as áreas de sua vida! E o Senhor se agrada muito dessa nossa atitude!

Deixar Deus para o fim significa não dar a Ele o primeiro lugar. É por isso que Deus não se agradou de Caim e nem aceitou a sua oferta.

Da mesma forma Ele não irá se agradar e nem tão pouco aceitar da oferta daqueles que entregam só o resto para ele. Sabe porque?

Porque a oferta é um retrato fiel do coração do ofertante para com Deus. Ela irá mostrar se o nosso coração é egoísta ou generoso!  

A atitude e o coração do ofertante são mais importantes para Deus do que a oferta.

Entenda isso! Depois de 30 dias de trabalho, o que devo fazer antes mesmo de pagar uma conta ou alguém é separar meu dízimo seguido de uma oferta.

Fazendo isso de coração e com alegria como diz Paulo em 2 Cor:9: 7  eu demonstrarei para Deus a importância que Ele tem em minha vida, e o quanto dependo da Sua proteção em minha vida financeira.

“Não dê como algo imposto, nem porque será recompensado. Faça-o com alegria, com contentamento. Podemos contribuir até doer, a ponto de chorar, mas no coração deve haver alegria”.

Perceba que Prov. 3:9,10 está em perfeita conexão com Malaquias 3:10-12

10 Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.
11 Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.
12 Todas as nações vos chamarão felizes, porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.

2- PRINCÍCIO DA SEMEADURA.
“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará”. 2 Cor. 9:6

A Palavra de Deus diz que dar é como semear. Quando o fazendeiro faz a semeadura, por todo o período de crescimento ele está aparentemente perdendo.

No entanto, se ele não semear, não poderá colher.
- Se a semeadura for escassa, a colheita também o será;
- Se a semeadura for liberal, assim será a colheita.
- Quanto mais você retiver, menos terá; quanto mais der, mais receberá, porque Deus verá seu despojamento, sua disposição de dar mais.

É importante sabemos que há muitas leis que regem o universo físico (leis físicas, químicas, biológicas, etc.)

A semeadura, por exemplo, é uma lei que funciona da mesma forma que a lei da gravidade e tantas outras leis naturais. Aquilo que plantarmos, certamente colheremos.

Porém, muitas vezes vamos semear com lágrimas nos olhos.

Salmo 126.5,6  “Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”.

Eu creio amados que se quisermos experimentar uma colheita sobrenatural de Deus em todas as áreas de nossas vidas precisamos aprender sim a contribuir para a obra de Deus mesmo em meio à crise!

Por isso precisamos vencer a tentação de comer todas as sementes que Deus nos dá.

Exemplo do Maná: Os que quiseram armazenar e guardar o maná, logo descobriram que isso não seria possível, pois o alimento se deterioraria e cheiraria mal (Êx 16.20).

A lição é clara: devemos guardar o que precisamos e compartilhar o que podemos. A semente que multiplicará não é a que comemos, mas a que semeamos.

“Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça” (2 Coríntios 9:10).

A semente sai de nossas mãos, porém quem envia a colheita é Deus! 

“Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”.
1 Cor. 3:6,7

A sua semente causará uma invasão do sobrenatural em todas as áreas.


3- O PRINCÍPIO DA GRAÇA.
(2 Coríntios 8:1-5)
1 Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia;
2 porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade.
3 Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários,
4 pedindo-nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos.
5 E não somente fizeram como nós esperávamos, mas também deram-se a si mesmos primeiro ao Senhor, depois a nós, pela vontade de Deus;

Ofertar para a obra do Senhor é um favor que nenhum de nós merece. É uma GRAÇA. Se você entender isso, sua atitude com relação às contribuições sejam dízimos ou ofertas, nunca mais será a mesma.

É Deus quem nos dá o privilégio de socorrermos aos irmãos, os necessitados e sermos seus cooperadores no avanço de sua obra.

QUANDO TEMOS ESTA VISÃO A OFERTA NÃO SERÁ UM PESO PARA NÓS E SIM UM GRANDE PRIVILÉGIO.

Paulo ao falar para a Igreja em Éfeso recorda as palavras de Jesus para os seus discípulos:

Atos 20:35  “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber”.

As igrejas da Macedônia mesmo em meio à pobreza e necessidades, insistiram em participar da oferta aos santos porque tinham entendido a graça de dar! (Dar é um grande privilégio)

Quando entendemos a revelação da graça de contribuir todo o egoísmo e a ganância são retirados de nós, nos levando-nos a uma atitude de generosidade.

É por isso que Paulo diz que A PROFUNDA POBREZA DELES SUPERABUNDOU EM GRANDE RIQUEZA DA SUA GENEROSIDADE.

Uma das grandes marcas do cristão, se não a mais importante de todas, é a generosidade. Porque generosidade tem haver com o maior de todos os dons, o AMOR.

Por falta deste amor a Deus e Sua obra muitos cristãos são omissos. Por isso os missionários padecem os pobres não são socorridos e a Igreja deixa de avançar e expandir.                      

O cristianismo todo está baseado nesta qualidade de fazer não somente aquilo que é esperado, mas ultrapassar e em muito o mínimo que se espera de nós.

A generosidade é algo natural que pode produzir fruto sobrenatural. Não se trata da oferta, mas do coração generoso. “A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda. A alma generosa prosperará, e quem dá a beber será dessedentado”. Provérbios 11:24,25

A Bíblia diz que eles Ofertaram na medida de suas posses e mesmo acima delas.

Ser rico não é requisito para alguém contribuir. E ser pobre não é motivo para deixar de contribuir.

Se havia uma igreja necessitando pedir oferta era a da Macedônia. Eles eram quase tão pobres, ou mais, quanto àqueles aos quais resolveram ajudar.

Na realidade, proporcionalmente e estatisticamente os pobres ofertam muito mais que os ricos.

Com algumas exceções é claro, os pobres ofertam do seu sustento enquanto que os ricos das sobras (Ex,: Oferta da viúva pobre em Mc. 12:41-44 ).

CONCLUSÃO: Queridos! É bem provável que quem não contribui no pouco também não contribuirá no muito. Se você não dá nada para a obra do Senhor por se julgar pobre, se vier a ter muito é bem provável que continue sem contribuir.
Existem vários irmãos esperando alcançar uma boa situação financeira para então começarem a contribuir com a obra de Deus. Não espere pagar todas as contas, ficar rico ou bem empregado para começar a contribuir. Faça-o a partir de hoje, ainda que as circunstâncias não sejam favoráveis. Olhe o que diz Habacuque 3:17-18:

“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação.”

Pr. Gilberto Oliveira Rehder

Igreja Metodista em Catalão-GO

sexta-feira, 10 de março de 2017

O SOBRENATURAL DE DEUS NA ORAÇÃO


1 Reis 18.30-39

30 Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; Elias restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas.
31 Tomou doze pedras, segundo o número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual viera a palavra do SENHOR, dizendo: Israel será o teu nome.
32 Com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; depois, fez um rego em redor do altar tão grande como para semear duas medidas de sementes.
33 Então, armou a lenha, dividiu o novilho em pedaços, pô-lo sobre a lenha
34 e disse: Enchei de água quatro cântaros e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. Disse ainda: Fazei-o segunda vez; e o fizeram. Disse mais: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez.
35 De maneira que a água corria ao redor do altar; ele encheu também de água o rego.
36 No devido tempo, para se apresentar a oferta de manjares, aproximou-se o profeta Elias e disse: Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, fique, hoje, sabido que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo e que, segundo a tua palavra, fiz todas estas coisas.
37 Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo saiba que tu, SENHOR, és Deus e que a ti fizeste retroceder o coração deles.
38 Então, caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego.
39 O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!

Tiago 5:17-18

17 Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu.
18 E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos.

Introdução: Eu quero compartilhar com a igreja nesta noite sobre o Sobrenatural de Deus na oração.

Em Tiago 6.16b nos diz que “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”

Essa afirmativa bíblica coloca o justo em uma posição muito especial, pois à sua disposição há um recurso espiritual e sobrenatural para enfrentar qualquer situação, por mais difícil que seja.

O fato de que “a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” é algo assombroso para Satanás.

Billy Graham - "O diabo ri de nossa sabedoria, zomba de nossas pregações, mas treme diante de nossas orações" 

É por isso que ele nos tenta a todo custo nos afastar de uma vida de oração.

Para experimentarmos o sobrenatural de Deus em nossas vidas precisamos priorizar uma vida de oração! 

Elias viveu o sobrenatural em sua vida não porque ele era um grande homem de Deus, mas porque ele servia a um Deus que é Grande.  

Pelo contrário Tiago diz que ele era um “homem sujeito à mesmas paixões que nós”

“...e, orando, pediu que não chovesse, e, por três anos e seis meses não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto” (Tiago 5.17, 18).

Tiago afirma que Elias orou para não chover, e o fez de uma maneira fervorosa. Houve três anos e meio de seca, o que trouxe muita escassez na terra. Depois orou para que chovesse.

Não parece estranho isso? Orar para não chover! Depois orar para chover!

Vamos entender o que acontecia naquele tempo.  A nação de Israel era governada por Acabe, um rei que fazia o que era mau aos olhos do Senhor. Este rei casou-se com Jezabel, mulher de origem cananita, que influenciou perversamente todo o reino de Israel.

Em 1 Reis 16:30-33 vemos em detalhes o que aconteceu...

30 Fez Acabe, filho de Onri, o que era mau perante o SENHOR, mais do que todos os que foram antes dele.
31 Como se fora coisa de somenos andar ele nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a Baal, e o adorou.
32 Levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria.
33 Também Acabe fez um poste-ídolo, de maneira que cometeu mais abominações para irritar ao SENHOR, Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele.

Por causa dessa aliança, Israel se afastou de Deus e se voltou para a idolatria e o culto a Baal.  

Jezabel abrigava no palácio 450 profetas de Baal e 400 profetas de Aserá.

Baal, no hebraico, significa senhor, dono. Acreditava-se que essa potestade controlava a chuva, a fertilidade e a vegetação. Algumas vezes também era conhecido como deus do fogo.

Quando Elias ora para não chover trazendo uma longa estiagem, era para mostrar ao seu povo que Baal não era nada, não podia controlar a chuva nem a vegetação.

1 Rs 17:1 "Ora, Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Tão certo como vive o Senhor, Deus de Israel, perante cuja face estou, nem orvalho, nem chuva haverá nestes anos senão segundo a minha palavra."

E assim aconteceu! Por três anos não choveu sobre a terra.

Mas mesmo assim o Povo de Deus estava dividido entre o Senhor e Baal.

1 Reis 18.21   “Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu”.

É interessante também notarmos que três anos depois Elias faz o que chamamos de desafio dos deuses. Ele convoca a todos os profetas de Baal no monte Carmelo e diz o seguinte:

24 “Então, invocai o nome de vosso deus, e eu invocarei o nome do SENHOR; e há de ser que o deus que responder por fogo esse é que é Deus. E todo o povo respondeu e disse: É boa esta palavra”.

À partir deste desafio dos deuses, nos vamos aprender como podemos orar para mover o sobrenatural de Deus.

TRÊS RAZÕES PORQUE DEUS RESPONDEU A ORAÇÃO DE ELIAS:

1ª ELIAS RESTAUROU O ALTAR DO SENHOR
30 “Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; Elias restaurou o altar do SENHOR, que estava em ruínas”.

Saiba da importância do altar:

(1) O altar é uma palavra que vem do latim “Altus” e quer dizer “O Lugar mais Alto”

Coloque Deus no lugar mais alto em sua vida e você vai experimentar o sobrenatural na oração!

“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33)

Se o Senhor estiver em primeiro lugar na sua vida tenha certeza de que tudo o que você precisa o Senhor te dará!

(2) Altar é também o lugar do sacrifício de morte. É ali que nossa vida é colocada como um sacrifício para Deus. No altar nós morremos para as nossas próprias convicções, vontades, desejos, expectativas, etc... No altar morremos para a nossa velha natureza a fim de podermos viver uma nova vida para com Deus. No altar tem fim o velho homem!

(3) Altar é também lugar de comunhão. (representado pelas 12 pedras = 12 tribos de Israel).

Portanto a restauração do altar é você colocar a Deus no lugar mais alto de sua vida, morrendo para o pecado e vivendo em plena comunhão com o Senhor!

A ORAÇÃO QUE MOVE O SOBRENATURAL DE DEUS É AQUELA QUE VALORIZA O ALTAR RESTAURADO!

2ª ELIAS PROCEDEU CONFORME A PALAVRA DO SENHOR.
36 No devido tempo, para se apresentar a oferta de manjares, aproximou-se o profeta Elias e disse: Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, fique, hoje, sabido que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo e que, segundo a tua palavra, fiz todas estas coisas.

Tudo o que fazemos para Deus precisa ser feito conforme Ele quer, conforme a sua Palavra.

QUANDO FAZEMOS ALGO “PARA DEUS” À NOSSA MANEIRA, NÃO TEM VALOR NO MUNDO ESPIRITUAL.

Caim quis ofertar a seu modo e sua oferta não foi aceita. Nossas orações, nossas ofertas, nossa adoração, nosso culto, precisam ser conforme a Palavra de Deus.

Quando se trata de oração devemos entender que a própria Palavra de Deus nos instrui como nós devemos orar:

(1) Jesus ao ensinar os discípulos orarem, ensinou que a oração deveria ser feita a Deus, em seu nome.

"Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra" (João 16:24).

Este é um dos pontos primordiais para que sua oração esteja em conformidade com a Palavra de Deus: orar a Deus Pai em nome de Jesus.

Ele, Jesus, é o único caminho para Deus; único intercessor reconhecido por Deus; único Salvador; único advogado das nossas questões!

(2) Um segundo princípio importantíssimo é que devemos orar de conformidade com a vontade de Deus!

" E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito”.1 João 5:14-15

A ORAÇÃO QUE MOVE O SOBRENATURAL DE DEUS É SEMPRE DE ACORDO COM A PALAVRA DE DEUS!

3ª ELIAS TEVE COMO MOTIVAÇÃO A GLÓRIA DO SENHOR
37 Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo saiba que tu, SENHOR, és Deus e que a ti fizeste retroceder o coração deles.

Elias suplica pelo milagre, mas não há nada de pessoal nisto. Elias está preocupado tão somente que o povo contemple a Glória de Deus.

“Responde-me Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu és o Senhor Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração”.

Tudo o que Elias queria era que aquele povo tivesse os olhos desvendados, saísse do engano, tivesse uma experiência tal que o fizesse discernir quem era o Deus verdadeiro. Que o povo percebesse a diferença entre Baal e o Deus de Israel.

A principal motivação das nossas súplicas precisa ser a Glória de Deus.

Tiago exorta dizendo: “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres”. Tiago 4:3

Quantos crentes têm jejuado, clamado, suplicado, por coisas que irão afastá-los de Deus Sua motivação é esbanjar em seus próprios prazeres.

Esbanjar=Gastar excessivamente; gastar sem necessidade; excesso; desperdício.

Devemos aprender a pedir movidos não só pela nossa necessidade, mas também para as necessidades do Reino!

Você sabe qual a diferença da oração do ímpio com a do justo?

O ímpio ora buscando coisas, o justo ora buscando a Glória de Deus!

Jesus ao nos ensinar sobre a oração fala deste mesmo princípio:

"E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei." João 14:13-14

A ORAÇÃO QUE MOVE O SOBRENATURAL DE DEUS SEMPRE BUSCA A GLÓRIA DE DEUS!

CONCLUSÃO:

38 “Então, caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego”.
39 “O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!”

Sabe o que aprendi com Elias sobre oração?

Duas coisas eu aprendi:

1- A vontade de Deus na terra é gerada pela oração!

“Seja feita a Tua vontade assim na terra como nos céus” (Jesus)

Elias foi um instrumento de Deus para que a vontade fosse feita na terra.

Através da oração a vontade de Deus foi “gerada”, primeiramente orando pela seca, depois orando pelo Fogo de Deus e por último orando pela chuva.

"A oração é um instrumento poderoso não para fazer com que a vontade do homem seja feita no céu, mas para fazer com que a vontade de Deus seja feita na terra" (Robert Law).

2- As bênção da oração respondida só acontece em reconhecimento de que só o Senhor é Deus!!

39 “O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!”

Agora Elias podia pedir que Deus mandasse a chuva para por fim àquela seca prolongada.

É importante que saibamos que o recurso sobrenatural da oração pode oferecer aquilo que pelos meios naturais não é possível alcançar.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista Catalão-GO





sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

O SOBRENATURAL DE DEUS PARA TESTEMUNHAR


"Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder."  (Lucas 24:49)

 “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. (Atos 1:8).

Introdução:

Graça e Paz irmãos, estamos na terceira ministração sobre o sobrenatural de Deus em nossas vidas e glória a Deus o Senhor tem manifestado a Sua presença de forma tremenda em nosso meio!

Na primeira semana aprendemos que Deus manifesta o seu poder sobrenatural em nossas lutas.

Na segunda semana falamos sobre o sobrenatural de Deus em nossa experiência pessoal. Assim como Senhor se manifestou pessoalmente a Moisés no deserto através de uma sarça que ardia e não se consumia, Ele o faz também a cada um de nós de maneira singular!

Hoje nós vamos aprender que o sobrenatural de Deus nos capacita para testemunharmos de Jesus de forma poderosa! E este sobrenatural tem nome: O ESPÍRITO SANTO!

Uma das promessas mais importantes da vida cristã é precisamente isto:

Termos em nós o Espírito Santo que nos capacita a viver uma vida sobrenatural e a testemunhar de Jesus.

O Espírito Santo nos dá poder para anunciarmos um evangelho de poder:

“Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo...Atos 1:8

“Porquanto não me envergonho do Evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que nele crê; primeiro do judeu, assim como do grego.” Romanos 1:16

O teólogo John Stott diz que antes de JESUS enviar a Igreja ao mundo, Jesus enviou o Espírito Santo à Igreja.

Essa ordem jamais pode ser alterada. Não existe testemunho eficaz sem o poder do Espírito Santo.

Nas palavras de Jesus este poder do Espírito Santo é chamado também de revestimento de poder!

Revestir é vestir-se novamente. Revestir de poder é se vestir de poder de novo.

A primeira vestimenta que recebemos de Deus é o novo nascimento. Nesta primeira vestimenta o Espírito Santo veio habitar em nós nos tornando em novas criaturas.

A segunda vestimenta que recebemos, é o batismo com fogo do Espírito Santo, é onde somos cheios pelo Espírito Santo.  

A 1ª vestimenta, o novo nascimento, tem como direcionamento a vida eterna. A nossa própria salvação.

A 2ª vestimenta, o revestimento de poder, tem como direcionamento a obra de Deus. A salvação de outras vidas através de nós.

Uma vez revestidos de poder temos força, coragem, ânimo, vigor, ousadia e intrepidez para enfrentarmos as hostes malignas do inferno e ganharmos as almas para Cristo!

Para vivermos uma vida revestida do poder de Deus, nós temos que seguir alguns critérios que a Palavra de Deus nos ensina.

O primeiro critério:
1) O PODER DO ESPÍRITO  É PARA QUEM OBEDECE.
Jesus mandou, lemos em At 1.4: “ Fiquem em Jerusalém e esperem...”

A ordem de Jesus foi dada a um grupo de pessoas que estava de passagem por Jerusalém, mas o Senhor disse que eles deveriam ficar... ficar ali até serem cheios do Espírito Santo.

E isso demorou várias semanas para acontecer... então eles tiveram que pagar um preço para obedecer.

Eles deveriam abrir mão de tudo naquele momento para ficar em Jerusalém e esperar.

Alguns comentaristas dizem que uma das partes mais difíceis da preparação para receberem a promessa era justamente a espera.

Os apóstolos não sabiam quanto tempo teriam de esperar. Jesus dissera que o Espírito Santo viria não muito depois daqueles dias (Atos 1:5), mas poderiam ser semanas, talvez até meses ou anos.
.
O versículo 14 fala de outras pessoas que esperavam com os apóstolos:

“Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, com Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele”.

Além dos apóstolos, de algumas mulheres, de Maria (mãe de Jesus- esta é a última menção dela nas Escrituras) e dos irmãos de Jesus no versículo seguinte o texto diz que havia uns 120 irmãos reunidos naquele lugar.

O que eles faziam ali reunidos naquele lugar? – Na primeira parte do vers.14 diz: “Todos estes perseveravam unânimes em oração...”

Essa é a primeira vez que lemos sobre os discípulos orando juntos, mas não será a última vez que isso ocorre.

Os que não ficaram naquela reunião de oração perderam... Mas, sobre os cento e vinte discípulos, que obedeceram, tiveram com Deus uma experiência sobrenatural.

Isso ilustra a verdade de que este poder é para quem obedece – é para quem ama ao Senhor.

Lemos em At 2.1-4:
1 Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;
2 de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados.
3 E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles.
4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem..

Os que obedeceram, receberam.

Será que nós temos vivido em obediência a Deus? O poder do Espírito Santo é para quem obedece!!!

O segundo critério:
2) O PODER DO ESPÍRITO É PARA QUEM CRÊ.

No vers. 4 Jesus lembra que havia uma promessa para aqueles discípulos, mas eles precisaram crer que a promessa iria ser cumprida.

Não havia nenhuma garantia humana, apenas uma palavra do Senhor... e eles resolveram crer, porque ficaram em Jerusalém... eles estavam de passagem por ali, mas decidiram ficar – creram na promessa.

A fé é uma condição para recebermos de Deus.  Gosto de lembrar do que Jesus falou para Marta, quando ela olhava para o túmulo de Lázaro “Se creres verás a glória de Deus”. João 11:40

O crente que duvida do poder de Deus não pode ser movido numa unção sobrenatural. (Tiago 1:5-8)

5 Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.
6 Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento.
7 Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa;
8 homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.

Se você quer testemunhar com poder creio que o Senhor vai te usar e te dar as palavras certas para falar com as pessoas!

João 14:26 “mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito”.

Além do poder do Espírito Santo para falar, para testemunhar de Jesus o Senhor te dará poder para fazer os sinais que acompanham a pregação do Evangelho!

Os sinais é para quem crê!

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados”. Marcos 16:17-18

O terceiro critério:
3) O PODER DO ESPÍRITO É PARA CONDUZIR PESSOAS A CRISTO.
Está escrito em At 1.8: “... e sereis minhas testemunhas...”

Há pessoas que se relacionam com o poder do Espírito num nível emocional, buscando satisfazer a sua alma: “Oh! Maravilhoso! Senti o poder de Deus... Deus me tocou! Estou com a alma abastecida! Sou um abençoado!”.

Entretanto, o poder de Deus não é para nos satisfazer tão somente...

Quando o Espírito Santo nos visita com Sua unção... quando vem sobre nós com o Seu poder, é para nos levantar como testemunhas de Jesus. Nos tornamos “Ganhadores de Almas”

Se você recebe este poder de Deus, sob o seu impacto, você pode cair, pode cantar, pode rir, pode chorar, tremer, pular... como também pode receber esta unção e não acontecer nada disso...

MAS, EM ÚLTIMA INSTÂNCIA, SE ESSA UNÇÃO NÃO TE LEVANTAR PARA ABENÇOAR OUTRAS VIDAS E MANIFESTAR A SALVAÇÃO DE DEUS, ENTÃO ESSA UNÇÃO NÃO É UNÇÃO VERDADEIRA...

O profeta Isaías falou da unção verdadeira, lemos em Is 61.1-3, quando disse:

1 O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados;
2 a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram
3 e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória.

A unção é para conduzirmos pessoas a Cristo.

O quarto critério:
4) O PODER DO ESPÍRITO É PARA EXPANSÃO MISSIONÁRIA
“mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. (Atos 1:8).

Alguns pensam que o poder de Deus é para ser desfrutado apenas nos cultos de domingo, nos encontros com Deus ou no Acampamento.

No entanto, o propósito de Deus em revestir os Seus filhos com o poder do Espírito Santo, é fazer com que eles manifestem esse poder, essa unção, lá fora, no meio dos perdidos, nas situações do dia a dia, em casa, no trabalho, na rua, nas nações...

Ao lermos sobre a descida do Espírito Santo no dia de pentecostes temos a tendência de focalizar como mais importante o falar em línguas. Mas eu quero dizer a você que embora cremos no dom de línguas, essa não foi a coisa mais importante que aconteceu em Atos.

A coisa mais importante é que cada um os ouvia falar na sua própria língua (vers. 6:b) e o versículo 11 diz que eles ouviram falar em suas próprias línguas as grandezas de Deus. Amados, não adianta sairmos por ai falando uma língua que as pessoas não conhecem!

Os primeiros agentes da expansão missionária foram os convertidos do dia de Pentecostes (At:2:9-11) que levaram o evangelho consigo quando voltaram para casa. As regiões alistadas no texto já indicam a larga gama de países do mundo de então: os partos, medos, elamitas e os naturais da Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, os romanos, tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios.

Onde quer que estejamos, onde quer que haja uma necessidade, o poder de Deus deve estar fluindo em nós para tornarmos o evangelho conhecido em todos os lugares!

Mais que isso, devemos ir o mais longe possível... devemos ter uma atitude, de buscar aquele que precisa de Jesus, onde ele estiver e tocá-lo com este poder!

Conclusão: O ganhador de almas é alguém inflamado por Deus. Certa vez perguntaram a C. H. Spurgeon, qual era o sucesso do seu ministério, ele respondeu:  "inflame-se por Deus, e as pessoas virão para ver você queimar." O fogo de Deus queimando em nós deve atrair as pessoas a Cristo. Não somos nós que convencemos as pessoas à conversão, mas, o Espírito Santo. O poder que recebemos do Espírito Santo não pode ficar contido em nós.

Concluo esta ministração com uma palavra de John Wesley, o fundador do movimento metodista ““Não temos outro negócio nesta terra a não ser ganhar almas”.


Pr. Gilberto Oliveira Rehder



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O SOBRENATURAL DE DEUS EM NOSSA EXPERIÊNCIA PESSOAL


TEXTO: Êxodo 3:1-14

1 Apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Midiã; e, levando o rebanho para o lado ocidental do deserto, chegou ao monte de Deus, a Horebe.
2 Apareceu-lhe o Anjo do SENHOR numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia.
3 Então, disse consigo mesmo: Irei para lá e verei essa grande maravilha; por que a sarça não se queima?
4 Vendo o SENHOR que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui!
5 Deus continuou: Não te chegues para cá; tira as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa.
6 Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus.
7 Disse ainda o SENHOR: Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento;
8 por isso, desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e ampla, terra que mana leite e mel; o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu.
9 Pois o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo.
10 Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.
11 Então, disse Moisés a Deus: Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?
12 Deus lhe respondeu: Eu serei contigo; e este será o sinal de que eu te enviei: depois de haveres tirado o povo do Egito, servireis a Deus neste monte.
13 Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?
14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.

Introdução: Na semana passada falamos sobre o Sobrenatural de Deus em nossas Batalhas, focando a vida do rei Josafá quando três nações se uniram para os atacar. Neste episódio focalizamos a Ação Sobrenatural de Deus dando uma grande vitória a um povo que se se une na Batalha através da oração, do jejum e do louvor.

Hoje eu quero conversar contigo sobre o Sobrenatural de Deus em nossa experiência pessoal. Para isso nós vamos tomar como exemplo a experiência pessoal de Moisés na visão da Sarça Ardente.

Por isso nesta noite nós vamos aprender onde o sobrenatural na experiência pessoal com Deus pode nos levar!


1- O SOBRENATURAL NA EXPERIENCIA PESSOAL COM DEUS
NOS LEVA À REVELAÇÃO.

Revelação do que? – A revelação do próprio Deus! De quem é Deus!

O versículo 2ª diz: “Apareceu-lhe o Anjo do SENHOR numa chama de fogo, no meio de uma sarça..”

Moisés conduzia, sob os seus cuidados, o rebanho á lugares bem distantes e amplos na procura de bons pastos. Ao se aproximar do monte aonde mais tarde ele receberia a lei de Deus, ele vê uma sarça queimando, mas não se consumindo. Ao se aproximar para ver esta cena de perto, ele se encontra com o Eterno . Várias coisas aqui merecem atenção especial:

A primeira é a presença do Anjo do Senhor: O “anjo do SENHOR” era a própria revelação de Deus. É o que chamamos de Teofania.

Teofania é uma palavra composta por dois vocábulos, também gregos: Théos, “Deus” e phanei, “aparecer”.

Isto é, Teofania é o termo teológico utilizado para descrever alguma manifestação visível de Deus, na forma que Ele quiser. Alguns eruditos, definem Teofania como uma manifestação de Deus aparecendo, seja em forma humana ou através de fenômenos da natureza grandiosos e impressionantes.

O versículo 4 confirma que este Anjo do Senhor era o próprio Deus:

“Vendo o SENHOR que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui!”

A segunda coisa que merece a nossa atenção é a presença do fogo e de uma Sarça.

Nós sabemos que o fogo é um símbolo da glória de Deus e também do Espírito Santo.

O fogo de Deus é um fogo que queima sem destruir, ilumina e atrai e purifica.

E aquela sarça que era uma planta espinhosa comum naquela região; ela representa o homem comum. Mas quando este homem comum recebe o fogo de Deus em sua vida, coisas extraordinárias vão acontecer em seu coração!

A terceira coisa que merece a nossa atenção é que Deus fala no meio do fogo!  ELE SE FAZ CONHECIDO POR MOISÉS!

Como um menino hebreu que cresceu no palácio do Faraó, aprendendo da ciência da época e conhecendo todas as divindades do panteão egípcio, Moisés sabia muito pouco do Deus de seus pais. A lembrança do Deus de Israel era muito vaga em sua memória.
   
Deus então se apresenta a Moisés, e este percebe que se trata de uma apresentação do Deus de seus pais, que se dá a conhecer a ele:

No verso 6 “Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó”. (Êx 3.6)

Os agnósticos e os céticos afirmam que o conhecimento de Deus é algo impossível.

Na verdade, o conhecimento de Deus só é possível, porque Ele se dá a conhecer.  Por isso que Hebreus 1: 1,2 diz algo tremendo:

1 Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas,
2 nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.

Experiência pessoal com Deus é aquela em que Deus se revela a você de maneira íntima e singular como aconteceu com Moisés!

E ESTA EXPERIÊNCIA SOBRENATURAL NEM SEMPRE É ACOMPANHADA DE VISÕES, OU DE ANJOS, OU DE UMA LUZ QUE APARECE REPENTINAMENTE!

Mas com certeza esta é uma experiência que você percebe dentro de si.

Romanos 8:16 “O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.”

Relato do “Diário de Wesley”, 24 de maio de 1738

“À tarde fui, com pouca vontade, a uma reunião na Aldersgate Street (Londres); quando cheguei alguém estava lendo o prefácio de Lutero à Epístola de Paulo aos Romanos. Cerca das vinte horas e quarenta e cinco minutos, enquanto ele descrevia a mudança que Deus opera no coração mediante a fé em Cristo, senti o meu coração estranhamente aquecido. Eu senti que agora confiava realmente em Cristo, somente em Cristo, para salvação: e me foi dada a segurança de que Cristo havia perdoado os meus pecados, sim, os meus, e que eu estava salvo da lei do pecado e da morte.”

Alguém disse que a maior riqueza que carregamos em nossa vida Cristã chama-se Experiência pessoal com Deus!

E eu creio que seja sim, a maior riqueza que temos em nossa vida cristã!

Deus se revelou a Moisés nesta experiência pessoal e vai se revelar a você! Se é que já não se revelou!

2- O SOBRENATURAL NA EXPERIENCIA PESSOAL COM DEUS
NOS LEVA A SANTIFICAÇÃO!

É na Experiência Pessoal com Deus que a nossa vida é santificada!

Temos aprendido através do discipulado que a Santificação significa "tornar santo", "consagrar", "separar do mundo e do pecado" “separar para Deus”.

Ao nos convertermos ao Senhor automaticamente entramos em um processo de santificação.

“A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão.” João Wesley

A nossa santidade diante de Deus não ocorre em um grande ajuntamento de crentes, mas na privacidade e singularidade  de um encontro pessoal com Deus!

Para Moisés, a experiência da “sarça ardente” foi santificadora!

Sozinho naquele monte ele se aproxima de Deus e ouve sua voz!

4 Vendo o SENHOR que ele se voltava para ver, Deus, do meio da sarça, o chamou e disse: Moisés! Moisés! Ele respondeu: Eis-me aqui!
5 Deus continuou: Não te chegues para cá; tira as sandálias dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa.
Aqui nós temos algumas lições sobre a Santidade de Deus!

1ª Onde Deus Se manifesta o lugar se torna santo!
Deus então lhe ordena a remover suas sandálias em resposta à santidade criada pela presença de Deus naquele lugar!


2ª A retirada das sandálias de Moisés representa a remoção de tudo que possa servir de impedimento para se chegar à santidade.

As sandálias formavam uma proteção para os pés, uma barreira física entre os pés de Moisés e o solo santificado pela divina presença.

“Antes de Deus entregar nossas vitórias, ele espera que nós venhamos a tirar aquilo que vai nos impedir de recebê-las. Assim aconteceu com Josué, com Moisés e com todos os heróis da fé”.

Tiremos as sandálias da arrogância, da autossuficiência, dos enganos, das mágoas, das impurezas....

É por isso que Josué falou ao povo antes de atravessarem o Jordão:

“Disse Josué ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós”. Josué 3:5

O amanhã vitorioso depende do hoje consagrado. O amanhã vitorioso depende do hoje santificado!
Faremos grandes coisas amanhã se andarmos hoje na luz de Deus.
“Prefiro ser uma brasa acesa do que labaredas passageiras que se vão com qualquer vento”.

A experiência pessoal com Deus que nos leva à santificação nos ensina a arrancarmos tudo aquilo que ainda impede Deus de agir em nós, mesmo que tenhamos anos de igreja ou até façamos a obra de Deus.


3- O SOBRENATURAL NA EXPERIENCIA PESSOAL COM DEUS
NOS LEVA PARA A NOSSA MISSÃO!

7 Disse ainda o SENHOR: Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento;
8 por isso, desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e ampla, terra que mana leite e mel; o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu.
9 Pois o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo.
10 Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

Em primeiro lugar o texto nos dá a entender que Moisés era a resposta de um clamor de um povo aflito e que estava sofrendo terrivelmente no Egito!

Saiba amados, que nós somos a resposta de oração de alguém que está aflito procurando por Deus! É por isso que Deus quer nos usar!!

7 “Disse ainda o SENHOR: Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento..”

E no versículo 10 nos fica claro que o Deus que vê a clamor e a aflição do seu povo o envia para libertar o seu povo oprimido!

“Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito”.

Moisés entra no deserto como fugitivo de faraó, assassino e com uma sentença de morte sobre a sua cabeça e sai dali como um enviado de Deus para libertar o povo da escravidão no Egito.

É exatamente isso que Deus quer em nós. ELE SE REVELA A NÓS, NOS SANTIFICA E NOS ENVIA PARA A SUA MISSÃO!

A nossa missão como Igreja do Senhor é levar o evangelho que liberta a todos os cativos e oprimidos pelo diabo! Precisamos apresentar às pessoas que Jesus veio para salvar e libertar os oprimidos!

João 8:36 “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

Apesar de receber um chamado de Deus e entender qual a sua missão, Moisés não atendeu de pronto ao Senhor! Como a maioria de nós ele deu umas desculpas a Deus!

1ª Incapacidade- "Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?” (3.11)

Nota-se que Moisés olha para si mesmo, considera seus próprios recursos, sem contar com os recursos de DEUS. Logo, para corrigi-lo e refutar sua primeira desculpa, DEUS diz: "Eu estarei com você”  

2ª Ignorância. "13 Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.

Quando perguntou a Deus qual o Seu nome, o Senhor respondeu: “EU SOU O QUE SOU”. Moisés esperava ouvir um nome comum, mas Deus o surpreendeu dizendo ‘Eu sou o eterno, e sou tudo o que você precisa’.

EU SOU O QUE SOU. Esta expressão significa “Eu sou tudo aquilo que você precisar no momento”.

Da mesma forma Deus se revelou plenamente à humanidade através de Jesus, que também se apresentava como ‘EU SOU’ (João 8:58), dizendo: EU SOU a Vida, a Verdade, o Caminho, a Porta, o Pastor, o Pão e a Água da vida, a Videira verdadeira...

A verdade é amados que a nossa missão assim como a de Moisés poderia ser executada porque DEUS ESTÁ CONOSCO e TUDO O QUE PRECISAMOS NO MOMENTO, O Eterno Deus já nos deu! ALELUIA!!

Tenha certeza disso meu irmão! A experiência pessoal com Deus sempre nos conduzirá à Missão. Caso isso não ocorra é mero emocionalismo.

CONCLUSÃO: Busque ao Senhor de todo o teu coração experimentando uma experiência particular e íntima com Deus que poderemos chamar de “sarça ardente”,  momento único exclusivo, experiência inquestionável que o tempo não apaga e que nos traz certeza de que a nossa história se dividiu em duas, antes e depois dessa experiência com Deus.

“Nunca se levantou em Israel profeta algum como Moisés, com quem o Senhor houvesse tratado face a face” Dt 34.10


Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista Catalão-GO
Campanha: Experimentando o Sobrenatural de Deus
2ª Ministração:16 de fevereiro de 2017.