quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

METODISTAS EM CATALÃO CELEBRAM NATAL E BATISMOS COM ALEGRIA!

“Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres”. Salmo 126:3

Estamos chegando a mais um fim de ano, A expectativa de um novo ano é de que ele seja para cada um de nós cheio de crescimento e frutos. Estamos alegres porque o Senhor fez grandes coisas em nosso meio durante este ano como igreja. É claro que houve dificuldades no caminho, alguns tropeços e tribulações, mas ao olharmos para o quadro completo deste ano nos alegramos, porque superamos muitas coisas e a igreja continua crescendo.
No dia 22 de dezembro fechamos o ano com mais cinco batismos. Nossos irmãos Joel e Isabel nos cederam a sua casa para a realização deste batismo e logo depois encerramos em comunhão com um gostoso café da manhã. À noite as irmãs que foram batizadas foram apresentadas à igreja durante o culto de natal. O Templo estava lindo e adornado para a ocasião e todas as gerações da igreja participaram com lindas canções resgatando o verdadeiro significado do natal. As crianças, o ministério de dança, o ministério de louvor e as mulheres da igreja se apresentaram ao nosso Emanuel ( Deus Conosco), de uma forma tão linda que tocou a todos nós e a mensagem pregada nos levou a refletir sobre os efeitos da vinda de Jesus ao nosso mundo, não apenas mudando a história da humanidade, mas a nossa própria história de vida pessoal.
Podemos dizer sim; “Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres”. Salmo 126:3 . 
Durante este ano foram onze batismos e mais dezessete irmãos que assumiram os votos de membro de nossa igreja, perfazendo um total de 28 novos discípulos e discípulas do Senhor Jesus. Sei que ainda é pouco perto da capacidade que cada um de nós tem para multiplicar e ganharmos vidas para Cristo; mas ainda sim nos alegramos no Senhor porque estamos caminhando e aprendendo a ser uma igreja cada dia mais comprometida com o ide e fazei discípulos.
Que a nossa alegria e satisfação de ver o agir de Deus em nós e através de nós, nos impulsione a cada dia a novas conquistas e que tenhamos em 2014 mais GRAÇA, mais FÉ e mais FRUTOS para a glória de Deus,

Em Cristo e Por Cristo,

Pr. Gilberto Oliveira Rehder












sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Podemos comemorar o Natal?

“O anjo, porém, lhes disse: Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor.” (Lc 2: 10)

Nesta época do ano, cristãos e não cristãos aproveitam o natal e fim de ano para comprar, viajar e festejar. Há uma frenética correria para se conseguir as melhores promoções porque é tempo de presentear os amigos e as pessoas a quem amamos. O Natal tem sido encarado pela maioria das pessoas apenas como uma data bonita, mágica e sem nenhuma referência a Jesus Cristo. Na verdade, o Natal que a humanidade comemora tem pouco a ver com o nascimento de Jesus. Biblicamente, Ele nasceu um dia em Belém da Judeia, seu nascimento foi singular, simples e humilde. O cristão deve ter em mente que Natal para ele tem um sentido profundamente espiritual, pois o verbo se fez carne e veio habitar entre os homens trazendo a salvação. Não podemos olhar para a manjedoura sem vislumbrar a cruz. A vinda de Cristo ao mundo teve como principal finalidade a sua obra de redenção, contudo sem a sua vinda, não haveria morte e ressurreição.
De alguns anos para cá alguns grupos evangélicos deixaram de comemorar o natal por conta de várias distorções que envolvem desde a data equivocada de 25 de dezembro até alguns símbolos que são associados ao paganismo. Por conta disso, raramente vemos as igrejas preparando aquelas maravilhosas cantatas ou uma peça natalina bem ensaiada anunciando o verdadeiro sentido do natal. Perdemos a oportunidade de anunciar a este mundo consumista o verdadeiro sentido da vinda de Jesus ao mundo.
Como disse o Rev. Hernandes dias Lopes: “Tão grave quando a distorção do Natal é a proibição da celebração do Natal. Na igreja primitiva a festa do ágape, realizada como prelúdio da santa ceia foi distorcida. A igreja não deixou de celebrar a ceia por causa dessa distorção. Ao contrário, aboliu a distorção e continuou com a ceia. Não podemos jogar a criança fora com a água da bacia. Não podemos considerar o Natal, o nascimento do Salvador, celebrado com entusiasmo tanto pelos anjos como pelos homens, uma festa pagã. Pagão são os acréscimos feitos pelos homens, não o Natal de Jesus. Não celebramos os acréscimos, celebramos Jesus! Não celebramos o Papai-Noel, celebramos o Filho de Deus”.
Que neste natal você possa se reunir com a sua família para agradecer a Deus pelo grande presente de Deus para nós: O seu próprio Filho! Saibamos comemorar o Natal de uma forma diferente da maioria das pessoas resgatando aquela alegria e adoração que homens e anjos manifestaram diante de Jesus. Um Feliz Natal!
Em Cristo e Por Cristo!


Pr. Gilberto Oliveira Rehder

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

ESCOLHA O MELHOR!

“ E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão! Tendo ele despertado do seu sono, disse consigo mesmo: Sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei; porque ele não sabia ainda que já o SENHOR se tinha retirado dele”. (Juízes 16:20)

Introdução: No domingo passado o Senhor nos deu uma Palavra sobre o profeta Jonas que não soube escolher o melhor de Deus para a sua vida e acabou fugindo da vontade de Deus; Jonas colheu as consequências amargas de suas decisões. Ele teve de aprender de uma forma mais dura que não se pode ser bem sucedido e feliz quando se está fora da vontade soberana de Deus.
Hoje nós vamos falar de um personagem que tinha tudo para ter êxito em sua vida; o seu nome era SANSÃO. Ele tinha um chamado de Deus de libertar o povo de Israel da opressão de seus inimigos; principalmente os Filisteus; mas no uso de sua liberdade, acabou fazendo escolhas erradas em sua vida, tornando-se o pior de todos os juízes antes da monarquia em Israel. Ao estudar sobre Sansão, achei algo interessante comparado ao profeta Jonas: Jonas fugiu da presença do Senhor e sofreu por isso; Sansão fez escolhas tão terríveis em sua vida que o Espírito de Deus é que fugi u dele (se retirou dele)

Uma das faculdades mais importantes que Deus nos deu, foi a capacidade de escolhermos. É exatamente pela capacidade de escolha que podemos fazer tanto o bem quanto o mal.

Deuteronômio 30:19,20 “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando o SENHOR, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade; para que habites na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó”.

A vontade livre é um bem concedido por Deus aos homens, sem esta capacidade de escolher, não haveria mérito nem demérito nas atitudes humanas, nem responsáveis e nem irresponsáveis, virtude ou vício.

Deus não conspira contra a liberdade humana, Ele a respeita. Deus é contra tudo o que nos escraviza; tudo o que nos rouba a capacidade de dizer sim ou não, querer ou não querer.  [...]  Deus está na origem do exercício de nossa liberdade.

- Sansão era conhecido por sua grande força física: quando o Espirito de Deus vinha sobre ele, ele se tornava o homem mais forte da Terra: imbatível, indestrutível, intocável, pois a graça, a misericórdia e o poder de Deus estavam sobre Sansão.

- Contudo, sabemos que POR ESCOLHER VIVER NO PECADO o Espírito do Senhor se retirou dele sendo grande a sua ruina.

O que podemos aprender sobre nossas escolhas através deste personagem?

I- AS MELHORES ESCOLHAS NÃO DEVEM SER FEITAS PELA APARÊNCIA.
(Juízes 14:1-3)
14.1   Desceu Sansão a Timna; vendo em Timna uma das filhas dos filisteus,
14.2   subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; tomai-ma, pois, por esposa.
14.3   Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos ou entre todo o meu povo, para que vás tomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos? Disse Sansão a seu pai: Toma-me esta, porque só desta me agrado.

Sansão começou a descer a ladeira da desgraça quando decidiu fazer de forma equivocada uma das escolhas mais importantes de sua vida, a saber: a escolha da esposa.

Orientado apenas pelos olhos e emoções, sem consultar a razão e sem ouvir a voz de seus pais e principalmente a voz de Deus, ele viu uma das filhas dos filisteus, povo que tinha lindas mulheres, contudo, povo idólatra, que oferecia sacrifício humano aos seus deuses, e isto ofendia a justiça de Deus, que o havia separado para uma missão nobre, santa e libertadora.

Seus pais tentam dissuadi-lo desta escolha, porém ele insiste em sua escolha emocional.

Jeremias 17.9  “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?”

1 Samuel 16.7  “...Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração”.

Da mesma forma somos tentados pelas escolhas que agradam os nossos olhos:
- Escolhas que levam em conta a cultura da beleza,
- Escolhas que levam em conta o externo em detrimento do interno,
- Escolhas que levam em conta mais a estética do que a ética.

Cuidado jovem! Lembre-se de Sansão: Nem sempre um rostinho bonito, é dono de um coração integro. Algumas escolhas vão influenciar nossa vida para sempre.


II- AS MELHORES ESCOLHAS NÃO DEVEM SER TOMADAS COM PRESSA.
 (Juízes 16.16) “Importunando-o ela todos os dias com as suas palavras e molestando-o, apoderou-se da alma dele uma impaciência de matar”

Sansão era o tipo de pessoa que gostava de resolver as suas questões rapidamente! Saber esperar não era com ele. Por conta de sua impaciência ele caiu na armadilha de Dalila e o seu segredo foi descoberto.

( Juízes 16.17)  “Descobriu-lhe todo o coração e lhe disse: Nunca subiu navalha à minha cabeça, porque sou nazireu de Deus, desde o ventre de minha mãe; se vier a ser rapado, ir-se-á de mim a minha força, e me enfraquecerei e serei como qualquer outro homem”.

O verdadeiro teste de paciência aparece quando nossos direitos são violados ou quando estamos sobre pressão.

Algumas pessoas acham que têm o direito de ficar chateadas quando enfrentam irritações e provações. Impaciência é vista neste caso como uma ira justa.

A Bíblia, no entanto, fala que o impaciente sempre acaba mal.

Salmos 37:7-9  “Descansa no SENHOR e espera nele, não te irrites por causa do homem que prospera em seu caminho, por causa do que leva a cabo os seus maus desígnios. Deixa a ira, abandona o furor; não te impacientes; certamente, isso acabará mal. Porque os malfeitores serão exterminados, mas os que esperam no SENHOR possuirão a terra”.

Prov 21.5   “Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza”.

A Paciência revela nossa fé no fato de que Deus sabe qual o melhor tempo para tudo e que Ele é onipotente e amoroso. A frase usada no Antigo Testamento para ensinar como lidar com complexidades e desafios da vida é “esperar no Senhor”.

O salmista falou com sua própria alma ao enfrentar os desafios da vida dizendo: “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa; porque dele vem a minha esperança” (Salmo 62:1,5)

"Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que  trabalha para aquele que nele espera.” (Isaías 64:4)

III- AS MELHORES ESCOLHAS SÃO AQUELAS EM QUE CONSIDERAMOS OS GANHOS ESPIRITUAIS.
Existem escolhas que fazemos que nos levarão para longe de Deus.
Às vezes o sucesso profissional ou financeiro pode se tornar um grande fracasso espiritual.

O Jovem rico (Mateus 19) teve oportunidade de fazer uma escolha, mas o fez de forma errada: Ele escolheu pelo presente sem considerar o futuro.

Escolheu a riqueza de hoje sem considerar a riqueza espiritual do amanhã.

Muitos só se preocupam com o futuro quanto a coisas materiais, sem, contudo se preocuparem quanto a coisas espirituais.

O mundo conduz o homem a um protótipo regido por ele mesmo, ou seja, prosperidade, sucesso, prazer; mas tudo isso acaba.

“Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Marcos 8.36  

Sansão, desde sua infância possuía um voto com Deus ( de consagração) , chamado voto de nazireu (veja Nm 6.1-21),
- Através deste voto ele não podia beber vinho,
- Não podia tocar em um animal morto,
- Não podia se prostituir,
- E nem navalha poderia passar sobre sua cabeça.
Resumindo, Sansão era separado para o ministério: como juiz, deveria andar debaixo de um conjunto de normas e regras, tendo uma conduta exemplar diante de Israel e permanecendo obediente às leis de Deus.

No entanto, por conta de suas escolhas ele andou de forma contrária a todas as regras estabelecidas por Deus, quebrando todos os princípios.

Violando de tal maneira a Lei de Deus, Sansão pecou desenfreadamente e no livro de Juízes, do capítulo 13 ao 16 descreve claramente seus inúmeros delitos:

-Sansão dormiu com uma prostituta,
-Tocou no corpo de um animal morto,
-Casou-se com uma filisteia,
-Mentiu várias vezes e,
-Por último, em seu relacionamento com Dalila – mulher do vale de Soreque – revelou seu segredo tendo os cabelos cortados, quebrando totalmente seu voto de nazireu.

CONCLUSÃO:

Sobrevivendo Diante de Escolhas Erradas:

Podemos fazer algumas escolhas erradas e sobreviver: você pode escolher o trabalho errado, e sofrer por  essa decisão, mas não vai morrer por causa disso.
Você pode escolher a cidade errada onde morar, mas não vai morrer por causa disto.
Pode escolher o carro errado, mas não vai morrer por isto.
E até o cônjuge errado pode ser escolha (o que vai ser um desastre para o resto da sua vida), mas você não vai morrer por isso.
Existem escolhas erradas que fazemos e por isso pagamos por elas a vida toda. Se olharmos com atenção, veremos que uma escolha equivocada pode prejudicar todo um projeto de vida.

Diante da Bíblia, o ser humano precisa tomar a decisão mais importante de sua vida: Seguir ou não a Jesus Cristo. Essa decisão fará toda a diferença!

Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus”. João 3:36



Pr. Gilberto Oliveira Rehder
I.M.Catalão

sábado, 14 de dezembro de 2013

O CAMINHO DO RETORNO

“Então, Jonas, do ventre do peixe, orou ao SENHOR, seu Deus, e disse: Na minha angústia, clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do abismo, gritei, e tu me ouviste a voz”. Jonas 2:1,2.

Todos nós sabemos que quando uma pessoa se afasta de Deus e passa a satisfazer a sua própria vontade egoísta é muito difícil retornar, porém não é impossível. É difícil, porque retornar implica em arrependimento sincero; o que é muito humilhante para o arrogante e soberbo.  
No entanto, a possibilidade do retorno sempre será oferecida por Deus a todos os que se desviam de Seus planos. Na realidade este é o grande anseio de Deus, por isso ele diz a todos os que longe Dele estão: “Volta, ó Israel, para o SENHOR, teu Deus, porque, pelos teus pecados, estás caído.” Oséias 14:1; “Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar”. Isaías 55.7. 
Jonas fugiu da presença de Deus, mas retornou. O que podemos aprender com o retorno de Jonas?
Em primeiro lugar, aprendemos com Jonas, que todo retorno para Deus começa com um clamor (Jonas cap. 2). Creio que o clamor de Jonas foi de arrependimento. É impossível voltar para os caminhos de Deus sem saber de onde erramos ou quando erramos. Foi Jesus mesmo quem disse isso: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras..” Apoc. 2:5. É necessário o arrependimento para que os tempos de refrigério do Senhor cheguem a nós (Atos 3.19).
Em segundo lugar, aprendemos com Jonas, que todo retorno para Deus implica na retomada dos votos que um dia fizemos ao Senhor, mas que foram quebrados. “...o que votei pagarei. Ao SENHOR pertence a salvação!” Jonas 2.9.      
O profeta não apenas orou arrependido, mas se propôs a “pagar”; a honrar os votos que um dia fez ao Senhor. Jonas se encontrava numa grande angustia e não sabia o que fazer a não ser cumprir a Palavra de Deus, ou seja, fazer o que o senhor havia lhe outorgado; naquele momento não havia outra coisa se quer a não ser cumprir o voto que tinha feito a Deus para que Ele o livrasse da boca do grande peixe e, seguir a vereda que o Senhor lhe tinha mandado fazer, levar a palavra Dele pra Nínive.  Pague seu voto em quanto a tempo, não deixe Deus cobrar o voto que, você fez e não cumpriu. “Quando votares não tardes em cumprir melhor é que não votes do que votar e não cumprir”. Eclesiastes 5:5
Em terceiro lugar, aprendemos com Jonas, que todo retorno para Deus implica em aprender as lições que Deus continua a nos ensinar. Quando erramos e não procuramos aprender com os nossos erros, estamos propensos a cometê-los novamente. Se quisermos aprender a fazer a vontade de Deus, devemos orar sempre: “Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus; guie-me o teu bom Espírito por terreno plano”. Salmo 143.10. 
Foram três as lições que Jonas teve de aprender através de seu sofrimento:
1ª lição: Ninguém pode ser plenamente feliz fora da vontade de Deus. Jonas teve de aprender às duras penas que não há vantagens em prosseguir em um caminho de desobediência. “... Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar..” 1 Sam. 15:22
2ª lição: Deus permite uma situação de crise para nos levar a refletir e voltar ao centro de Sua vontade. “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos”. Salmos 119.71
3ª lição: Deus ensina que a misericórdia triunfa sobre o juízo e que o Seu amor é sempre maior que nossos pecados. (veja Tiago 2:13). Todas as contrariedades de Jonas tinham origem em seu próprio senso de justiça. Ele não queria que os Ninivitas se arrependessem, pois sabia que Deus os perdoaria (Jonas 4:10,11)
CONCLUSÃO: O Senhor conhece a nossa real situação; se estamos em seus caminhos ou não. Se você já conhece ao Senhor e por algum motivo estás longe Dele, aproveite a oportunidade que Deus lhe dá HOJE para retornar. Lembre-se do que a Sua Palavra diz: “Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniquidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O SENHOR não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia”. Miquéias 7:18

Pr. Gilberto Oliveira Rehder


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

A DECISÃO DE FAZER A VONTADE DE DEUS

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”. Mateus 7:21

Desde que me entreguei a Jesus em minha adolescência trago em meu coração uma clara convicção de que fazer a vontade de Deus é a decisão mais importante se desejo desfrutar do melhor de Deus para a minha vida. Paulo deixa claro isso quando disse: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12:2. 
Quando fazemos a vontade de Deus estamos mostrando ao mundo que a nossa fé em Cristo é autêntica; não adianta dizer: “Senhor, Senhor” e não fazer o que Deus quer.
Para ilustrar esta grande verdade, gostaria de falar de um personagem bíblico que se tornou conhecido como o “Profeta Fujão”; seu nome? Jonas.
Através da conhecida história de Jonas, vamos aprender o que acontece quando  tomamos uma direção oposta à vontade de Deus para nós.
Em primeiro lugar, nos tornamos fugitivos da presença de Deus. “Jonas se dispôs, mas para fugir da presença do SENHOR...”Jonas 1:3ª
Jonas foge de Deus para fugir de sua missão de profetizar em Nínive pegando um navio para Társis (Jonas 1:1-3). Na verdade, a fuga é sempre um caminho de desobediência. Quando queremos fazer a nossa própria vontade fugimos de Deus, deixando de congregar, nos afastando da Palavra de Deus, dos irmãos e de nossa responsabilidade com a obra de Deus.
Em segundo lugar, passamos a dormir o sono da indiferença. No vs. 4, a Bíblia diz que o SENHOR lançou sobre o mar um forte vento, e fez-se no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de se despedaçar. No meio daquela tempestade os marinheiros, cheios de medo, clamavam cada um ao seu deus; Jonas, porém, havia descido ao porão e se deitado; e dormia profundamente. (vs. 5) Deu o que fazer para despertar este profeta dorminhoco! O sono do porão representa o sono da negligência e da indiferença para com o chamado de Deus e o clamor dos perdidos e necessitados. O sono do porão é o sono do comodismo e da negligência. Quanto mais se precisa dele; está dormindo.
Em terceiro lugar, passamos a descer cada vez mais e a nossa vida entra em declínio. Jonas desce para Jope (vs. 3), para o porão (vs. 5) e para o profundo coração dos mares no ventre de um grande peixe (vs. 17). Lançado ao mar pelos marinheiros a tempestade que os assolava se acalmou, mas para o profeta fujão sua situação se tornou ainda pior. Isso nos faz lembrar, do declínio do filho pródigo da parábola que Jesus contou em Lucas cap. 15. O seu declínio foi espiritual, moral e financeiro porque quis satisfazer a sua vontade própria usando de forma errada a sua liberdade. Assim acontece com aqueles que se afastam do Senhor! Jonas permaneceu vivo no ventre daquele peixe por três dias e três noites (vs. 17) e só não morreu porque clamou ao Senhor (cap. 2).
Se você tem vivido esta realidade, saiba que o caminho do retorno para a vontade de Deus é a única forma de experimentar a graça do perdão e desfrutar novamente das bênçãos que o Senhor reservou para nós. Em Cristo e Por Cristo!

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Mensagem pregada na I.M.Catalão





sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

COMBATENDO O ANALFABETISMO BÍBLICO


 ”... Reúne este povo, e os farei ouvir as minhas palavras, a fim de que aprenda a temer-me todos os dias que na terra viver e as ensinará a seus filhos.” Deut. 4:10

Toda pessoa que procura se informar sobre os importantes temas que envolvem os problemas sociais no Brasil sabe que o analfabetismo ainda é um grave problema no Brasil. Segundo os dados do IBGE, o Brasil tem mais de 13 milhões de analfabetos. Essa realidade afeta diretamente a qualidade de vida das pessoas. Tirar as pessoas da ignorância parece não ser prioridade para grande parte dos políticos brasileiros. Um povo sem estudo e cultura com certeza é muito mais fácil de manipular.
Mas o que dizer do analfabetismo bíblico? Creio que o analfabetismo bíblico está mais relacionado com a falta do conhecimento e pratica da Palavra de Deus do que a sua leitura em si.
A maioria dos cristãos brasileiros reverenciam a bíblia, mas conhecem bem pouco as verdades fundamentais ensinadas por ela. A falta de compreensão e profundidade tem colaborado para uma geração sem compromisso e facilmente levada por todo vento de doutrina (Efésios 4:14). Para muitos, o simples fato de ir aos cultos no domingo a noite já é suficiente. O descaso para com a Escola Dominical, a vida devocional diária e o culto doméstico é prova evidente do que estou falando. São cada vez mais raros, os pais que vão juntos com seus filhos à Escola Dominical ou que leem a bíblia para eles, explorando as suas lindas histórias e aplicando ao seu dia a dia.
O que falta hoje é sede e aprofundamento espiritual, anseio pelo conhecimento de Deus. É difícil encontrar amantes das Escrituras.
Em uma pesquisa nos EUA, um país de berço cristão, nos dá um exemplo desse analfabetismo bíblico. Veja os resultados de uma recente pesquisa:
▪ Metade de todos os adultos não conseguem dar o nome dos 4 evangelhos.
▪ Muitos que se dizem crentes não conseguem identificar mais de 2 ou 3 dos 12 discípulos de Cristo.
▪ 60% dos americanos não conseguem citar nem 5 dos 10 mandamentos.
▪ 82% dos americanos creem que a frase “Deus ajuda quem cedo madruga” é um versículo da Bíblia.
▪ 12% dos americanos creem que Joana d'Arc era esposa de Noé.
▪ Uma pesquisa entre formandos do segundo grau revelou que 50% deles pensam que Sodoma e Gomorra eram marido e mulher.
▪ Um número considerável de entrevistados nesta pesquisa indicaram que o Sermão da Montanha foi pregado por Billy Graham.
Hoje é o dia da Bíblia, contudo diante deste quadro não há muito que comemorar. Precisamos urgente, reencontrar a Palavra de Deus e dar- lhe o devido lugar em nossas vidas, em nossos lares e em nossas igrejas.

Em Cristo e Por Cristo,

Pr. Gilberto Oliveira Rehder




quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Discípulos/ as nos Caminhos da Missão formam uma Comunidade de Fé, Comunhão e Serviço!

Nos dias 20 a 24 de novembro, a Igreja Metodista na 5ª Região Eclesiástica, se reuniu em seu 41º Concílio Regional em São José do Rio Preto- SP através de seus pastores (as) e delegados (as) de cada igreja local. Em todas as Regiões o tema da Igreja Metodista para o biênio 2014/2015 é: “Discípulos/ as nos Caminhos da Missão formam uma Comunidade de Fé, Comunhão e Serviço.”




Discípulos e Discípulas
Através do tema proposto, fica bem claro para nós que o discipulado é a grande ênfase de nossa igreja no Brasil. Não podemos nos esquecer disso; ser um discípulo de Jesus assumindo o seu projeto é a nossa principal prioridade. A palavra "discípulo" aparece centenas de vezes no Novo Testamento, onde é usada para descrever os seguidores de Jesus com muito mais frequência do que os termos "cristão" ou "crente". Um discípulo é uma "pessoa que segue os ensinamentos de um mestre" (Dicionário da Bíblia Almeida). Visto que o mestre dos cristãos é o próprio Jesus, o verdadeiro discípulo aprende e segue a vontade do Filho de Deus.
Nos Caminhos da Missão
Assim como Jesus, nós os seus discípulos estamos nos Caminhos da Missão. Jesus deixou este conceito bem claro quando disse: “... Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio.” João 20:21. Podemos então dizer que os discípulos são as mãos e os pés de Jesus Cristo; os pés se movem para anunciar as boas novas e as mãos que se abrem para ajudar os necessitados. 
Formam uma Comunidade de Fé, Comunhão e Serviço.
- COMO UMA COMUNIDADE DE FÉ, aprendemos que Jesus Cristo é o único caminho que nos conduz à salvação. A nossa fé não é colocada em rituais, obras, santos ou superstições; a fé salvadora é colocada em Cristo tão somente para a salvação.

- COMO UMA COMUNIDADE DE COMUNHÃO, entendemos que a fé em Cristo nos convida para vivermos como um corpo. Quando aceitamos a Jesus como o nosso Salvador, aceitamos também o povo que ele resgatou com o seu sangue. A igreja não é uma sala de aula de teologia ou uma galeria de santos. Ela mais se parece com um hospital; e é neste hospital em que somos tratados e curados por Deus. E Ele o faz por meio da comunhão (veja o Salmo 133). Imagine você se em um hospital os doentes fossem mandados embora porque são doentes? Assim nesta comunidade todos são tratados e valorizados.

- COMO UMA COMUNIDADE DE SERVIÇO, devemos estar juntos servindo ao Senhor. Jesus nos chama a atenção para o fato de que se quisermos ser o maior no Reino de Deus, precisamos aprender a servir, a trabalhar por Sua causa e pelos seres humanos.  É preciso entender que não somos chamados para sermos estrelas, ou melhores que os outros; também não devemos buscar o poder para mandar. Geralmente gostamos de ser servidos, mas é interessante notar que Cristo, ao vir a esta terra, disse que não veio ser servido, mas SERVIR. Ele, que é digno de toda honra, escolheu servir para nos dar o Exemplo. "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus" (Filipenses 2. 5)

A minha oração neste momento é para que, não nos desviemos de nosso foco principal: “Sermos Discípulos/ as nos Caminhos da Missão que formam uma Comunidade de Fé, Comunhão e Serviço!”.

Em Cristo e Por Cristo,

Pr. Gilberto Oliveira Rehder


terça-feira, 26 de novembro de 2013

O Pardal KamiKaze

Em uma mensagem episcopal do Bispo João Carlos Lopes, intitulada “E a família vai bem?”, o Bispo fez o seguinte comentário: “Outro dia, vi um “pardal KamiKaze”. Aquele pequeno pardal voou diretamente para o vidro da janela. 
O vidro era transparente e, aparentemente o pardal estava convencido de que conseguiria atravessá-lo.
Eu pensei que a dor da primeira tentativa o convenceria a não mais tentar. Entretanto, por um bom tempo ele deu continuidade àquele comportamento autodestrutivo, obviamente colhendo o mesmo resultado: frustração e dor. A lição que aprendi com o pardal kamikaze é que se eu continuo a agir da mesma maneira estúpida, continuarei colhendo os mesmos resultados estúpidos. Se eu desejo que a dor seja aliviada e que a ferida seja curada, preciso abandonar a atitude que me fere e fere as outras pessoas.
Não precisamos, nem desejamos uma família ou igreja machucada e sangrando. Assim, “se possível, quando depender de vós tende paz com todos os homens...” Rm.12:8
Compartilho do mesmo questionamento do Bispo. Que cristianismo é este? Certamente não é o cristianismo ensinado por JESUS CRISTO. E não adianta culpar o diabo por este tipo de dor e feridas. É carne mesmo!  É como disse o apóstolo Tiago: “De onde procedem as guerras e contendas que há entre vós? De onde, senão dos prazeres que militam na vossa carne? Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras..” Tiago 4:1,2. 
Perceba que este tipo de atitude faz que não experimentemos o melhor que Deus quer nos dar. Por isso; não adianta pedir a Deus por bênçãos, se não estamos dispostos a obedecer. Espiritualidade não substitui obediência. 
Deus tem nos abençoado grandemente; mas temos que vigiar. Vigiar a nossa língua e ações. Precisamos abandonar toda soberba e arrogância. Aliás; existem três passos para nos manter abençoados: humildade, humildade e humildade.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder


terça-feira, 19 de novembro de 2013

CAMPANHA DO NATAL SOLIDÁRIO!

"...De graça recebestes, de graça dai." Mateus 10:8b

Neste final de ano queremos convocar a todos os irmãos para comemorar o Natal com os ingredientes da solidariedade. Esses ingredientes são: repartir, amar, doar, perdoar orar e espalhar as boas novas de salvação principalmente aos menos favorecidos.
Foi justamente esse o desafio de Jesus aos seus discípulos: “Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça dai”. Mateus 10.8.
Através da arrecadação de brinquedos e roupas, queremos fazer com que o Natal de crianças e adultos carentes seja mais feliz. É impossível fechar os nossos olhos para a dor de tantos, que nem sequer sabe que o Natal existe. A Igreja Metodista em Catalão através de seu ministério de Ação Social estará arrecadando e organizando esta importante campanha. Quando você vier para o culto, traga a sua doação. O sucesso desta campanha depende do coração solidário de cada um. Pequenos gestos geram grandes transformações.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder


quinta-feira, 14 de novembro de 2013

PREPARE-SE PARA UMA VIRADA EM SUA VIDA!


No dia 22 de novembro às 07h00min, começa na Igreja Metodista em Catalão, mais uma edição da campanha de oração Virada com Deus. E no dia 31 de dezembro, no será o encerramento com o Culto da Virada. Você não pode ficar de fora desta, pois o Senhor já preparou grandes bênçãos para você. Vamos nos preparar para 2014 para uma nova história escrita por Deus em nossas vidas. A Campanha possui cinco pilares:








1- Oração
“De manhã, SENHOR, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando”. Salmos 5.3

Deus pôs no meu coração que nestes dias nos esforcemos por dar a Ele o primeiro lugar em nossas vidas começando o dia em oração. Das 7 às 8 horas (de segunda a sábado) e no domingo (das 18 a 19 horas) estaremos em oração em nosso templo. O nosso objetivo é reunirmos o maior número possível de irmãos para um tempo de oração. Precisamos perceber que, sem oração, sem dependência constante de Deus, não chegaremos a lugar nenhum. Portanto, hoje, antes de qualquer coisa, precisamos compreender a importância da oração em nossa vida diária e na vida da igreja. O pouco que fazemos com oração vale mais do que todo o nosso ativismo sem oração.

2- Jejum
“Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos perante o nosso Deus, para lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo o que era nosso”. Esdras 8:21
 
Você pode jejuar pelo menos uma refeição do seu dia. Para aqueles que estão fazendo algum tipo de tratamento, devem buscar outro tipo de jejum que possam oferecer diante de Deus. O jejum de televisão, muitas vezes é mais forte do que o de alimento. Você também pode optar por isso. Seja o que for, deve ser dirigido pelo Espírito Santo. O verdadeiro jejum é uma atitude espiritual e, não, propriamente física. Apenas deixar de comer não é jejum espiritual. Em nada adianta abster-se das refeições e, por exemplo, assistir a certos programas na televisão. Nesse caso, o corpo fica sem comida enquanto o espírito é contaminado pelo alimento do mundo. “Pela fé e pela oração, fortaleça as mãos frouxas e firme os joelhos vacilantes. Você ora e jejua? Importune o trono da graça e seja persistente em oração. Só assim receberá a misericórdia de Deus” John Wesley.


3- Santificação
“Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós.” Josué 3:5.

Este será um tempo de separação para Deus. Não deve haver em nós nenhum pecado que venha impedir o fluir das bênçãos do Senhor. Este será um tempo de busca de restauração, de perdão e reconciliação com Deus e com as pessoas. Santidade significa purificar-se. Purificar-se não quer dizer vestir uma túnica branca para cobrir tudo o que não é santo em você. Significa pedir a Deus, que é santo, para purificar seu coração. E lá que começa tudo o que não é santo. Purificarmo-nos significa fazermos um balanço de nossa vida, nossos pensamentos, nossas ações, nossos relacionamentos e negócios e limparmo-nos de qualquer coisa que nos contamine. É um processo que realizamos ativamente. Isso significa que decidimos ser moral e eticamente puros. "E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro" (1 Jo 3:3). “A necessidade mais premente de nossos dias é de um batismo de santidade, uma demonstração de um viver santo”. Duncan Campbell


4- Oferta de Gratidão
“Oferecer-te-ei sacrifícios de ações de graças e invocarei o nome do Senhor” Salmo 116.17. 

Neste texto vemos que Davi veio diante do Senhor com uma oferta de gratidão especial, de coração agradecido por tudo o que Deus lhe fizera. O salmista não entregou a sua oferta a Deus por querer algo de volta. Através desta oferta específica Deus é reconhecido como Fonte de todas as bênçãos. Esta oferta específica de gratidão deverá ser entregue no último culto deste ano.   
Não se limite a agradecer a Deus somente através de uma oferta; expresse sua gratidão, louvando, ajudando os necessitados, dando presentes. Quer agradar a Deus, seja fiel à sua Palavra, obediência é sinal de gratidão. Ganhe almas, busque-o e tenha fé (Hebreus 11.6).

5- Carta de Oração
“O SENHOR me respondeu e disse: Escreve a visão..” Hc 2:2a  


Faça uma carta para Deus que descreva a sua luta e o que deseja que o Senhor faça por você. Você precisa saber o que quer. Deve ser claro e objetivo em seus pedidos. Faça uma relação deles diante de Deus. Peça com fé. Todos os dias esta carta deve ser apresentada diante do Senhor e nas quintas-feiras no culto de campanha. Identifique a carta com o seu nome e no ultimo culto do ano entregue no altar do Senhor. Lembre-se, porém que as cartas que Deus mais gosta de ler são em forma declarações de amor, e elas se manifestam em cada apresentação nossa diante de Deus como sacrifício vivo, santo e agradável.
As cartas mais lindas que podemos escrever para Deus não são escritas com canetas e letras caprichadas, mas com lágrimas de renúncia, de espera, de entrega, de amor.

Prepare-se para uma virada em sua vida, pois o Senhor honrará o seu esforço e fidelidade!

Em Cristo e Por Cristo!


Pr. Gilberto Oliveira Rehder

terça-feira, 12 de novembro de 2013

A SÉTIMA CHAVE PARA A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL

O PODER
“Uma vez falou Deus, duas vezes ouvi isto: Que o poder pertence a Deus” Salmos 62:11  

Não poderemos ter um correto conceito de Deus, se não pensarmos nEle como onipotente. Quem não pode fazer o que quer e não pode realizar o que lhe agrada, não poder ser Deus. É por essa razão que dizemos que só Deus tem todo o poder!

Mas o que significa o poder de Deus? "O poder de Deus é aquela capacidade e força pela qual Ele pode realizar tudo que Lhe agrade, tudo que a Sua sabedoria dirija, tudo que a infinita pureza da Sua vontade resolva. O poder de Deus é como Ele mesmo: infinito, eterno, incompreensível; não pode ser refreado, nem restringido, nem frustrado pela criatura" (S.Charnock).

O Poder de Deus se manifesta de diversas formas; veja algumas:

(1) Na Criação: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos”. Salmos 19:1
(2) Na Preservação: “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder..” Hebreus 1:3
(3) Na Salvação: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.” Romanos 1.16  
(4) Na Cura: “a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar.” 1 Coríntios 12.9  
(5) Na Libertação: “Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano”. Lucas 10.19

Para entendermos melhor sobre este poder de Deus como uma chave para a Renovação Espiritual gostaria de falar sobre um confronto interessante entre dois “poderes”. O Poder do Espírito Santo na vida do apóstolo Paulo e o poder das trevas através das artes mágicas na vida de Elimas (ou Barjesus) em Atos 13:6-12.

13.6   “Havendo atravessado toda a ilha até Pafos, encontraram certo judeu, mágico, falso profeta, de nome Barjesus,
13.7  o qual estava com o procônsul Sérgio Paulo, que era homem inteligente. Este, tendo chamado Barnabé e Saulo, diligenciava para ouvir a palavra de Deus”.
13.8   “Mas opunha-se-lhes Elimas, o mágico (porque assim se interpreta o seu nome), procurando afastar da fé o procônsul”.
13.9 “Todavia, Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fixando nele os olhos, disse:
13.10  “Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perverter os retos caminhos do Senhor?”
13.11  “Pois, agora, eis aí está sobre ti a mão do Senhor, e ficarás cego, não vendo o sol por algum tempo. No mesmo instante, caiu sobre ele névoa e escuridade, e, andando à roda, procurava quem o guiasse pela mão”.
13.12   “Então, o procônsul, vendo o que sucedera, creu, maravilhado com a doutrina do Senhor”.

Deste texto podemos tirar algumas lições importantes sobre o Poder de Deus.

1- O PODER DE DEUS NÃO PODE SER MANIPULADO.
13.6   “Havendo atravessado toda a ilha até Pafos, encontraram certo judeu, mágico, falso profeta, de nome Barjesus,

O texto nos fala de um judeu de nome Barjesus, conhecido também como Elimas, o mágico (vs 8). Lucas o identifica também como um falso profeta.
Hoje em dia, quando pensamos em "mágicos", logo visualizamos aqueles profissionais da ilusão que animam auditórios em festas infantis. Mas Elimas, não era esse tipo de mágico.
Na verdade, tratava-se de um praticante de magia. Eram pessoas que dominavam técnicas de manipulação de poderes sobrenaturais, efetuando feitos notáveis por meio de alquimia, astrologia, mediunidade, necromancia, rituais, feitiços, amuletos, pedras, plantas, palavras misteriosas etc.
Nos dias de hoje, a situação não é diferente. Os magos e falsos profetas da atualidade também exercem um tipo de poder causando um verdadeiro fascínio sobre as pessoas. Muitos procuram o auxílio de feiticeiros para destruírem inimigos, para conquistarem a pessoa amada, para conhecerem o futuro; e algumas vezes, obtêm o seu intento.
Até mesmo em algumas igrejas, a tentativa de se manipular o poder de Deus em benefício próprio tem sido uma prática muito comum.
Deus, por outro lado, nos deixa claro que o poder pertence a Ele. Quando nos submetemos ao senhorio de Cristo, o Seu precioso Espírito passa a viver em nós. Mas isso não nos torna poderosos, e é aqui que muitos cristãos erram. O Poder não é do cristão: Ele apenas habita no cristão para uma finalidade específica: sermos testemunhas eficientes de Cristo em todas as nações. Então entendemos que somos capacitados pelo poder de Deus para sermos usados por Ele e não para usarmos a Ele.
“Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra". (Atos 1:8)



2- O PODER DE DEUS NÃO É DADO PARA A PROMOÇÃO HUMANA.
13.8   “Mas opunha-se-lhes Elimas, o mágico (porque assim se interpreta o seu nome), procurando afastar da fé o procônsul”.

Elimas se tornou um opositor ferrenho da pregação da Palavra de Deus (vs. 7) procurando afastar da fé o procônsul. Na realidade, ele não queria perder o seu prestígio e influência sobre este importante procônsul.
Jesus, falando sobre o poder do Espírito Santo que ele enviaria sobre os seus discípulos foi claro em mostrar a quem devemos atribuir toda a glória: “Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar”. João 16.14
No A.T o Senhor condenou esta atitude humana de idolatria que nada mais é do que promover o ser humano a um status de poderoso ou milagreiro. "Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura".(Is.42:8)
Talvez você até pense que a idolatria é uma marca presente apenas no Catolicismo, mas não é; no meio evangélico também existe idolatria. Enquanto que no catolicismo se adora pessoas mortas, no meio evangélico se adora os vivos; estes são os famosos do mundo gospel, os “grandes” pregadores da mídia, e etc..
Toda esta promoção humana tem levado as pessoas para mais longe do verdadeiro Poder de Deus.
 


3- O PODER DE DEUS É INFINITAMENTE MAIOR QUE O PODER DAS TREVAS.
13.9 “Todavia, Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fixando nele os olhos, disse:
13.10  “Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perverter os retos caminhos do Senhor?”
13.11  “Pois, agora, eis aí está sobre ti a mão do Senhor, e ficarás cego, não vendo o sol por algum tempo. No mesmo instante, caiu sobre ele névoa e escuridade, e, andando à roda, procurava quem o guiasse pela mão”.

Paulo, cheio do Espírito Santo desmascarou todo o engano e perversidade que havia em Elimas, como fruto de um poder maligno. O Espírito de Deus, que habita em nós, só pode revelar o seu poder ao mundo quando nós saímos de cena. Não foi o "poderoso Paulo" que venceu Elimas; foi o Todo-Poderoso Deus, usando o "enfraquecido Paulo". Em 2 Coríntios 12:9-10 o apóstolo Paulo já havia ouvido do Senhor “..o  meu poder se aperfeiçoa na fraqueza..”
Por conta de suas fraquezas, Paulo havia se tornado mais dependente da graça e do poder de Deus.
Sabemos que em nossas lutas, há também uma dimensão espiritual. Em Efésios 6:12 ele declarou:   “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”.
Conheço vários crentes que só de ouvir falar na palavra diabo se apavoram como se estivéssemos em uma luta contra ele e seus demônios por igual.
A verdade é que nesta luta já somos mais que vencedores “Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.” Romanos 8:37  e “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”.

CONCLUSÃO: “Só existe uma maneira pela qual o homem pode ajudar a Deus, é permitindo que Deus o ajude.” Stanley Jones   


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A SEXTA CHAVE PARA A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL

INTIMIDADE

 “A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança”. Salmos 25.14.

A intimidade é o elemento espiritual fundamental que todo o cristão deve buscar, pois se trata de um relacionamento profundo com Deus.
É interessante observar a definição da palavra “intimidade”, segundo o Dicionário Aurélio: “Vida íntima; vida particular”; “Que está muito dentro; que atua no interior”...
Intimidade implica em uma ação afetiva e proximidade entre as pessoas. Da mesma forma como temos pessoas com quem temos afinidade e liberdade para abrir o coração e compartilhar dos nossos sonhos, conquistas e fracassos. Deus espera que nos acheguemos a ele com confiança e liberdade para compartilhar tudo o que somos a fim de sermos ajudados por ele. Deus deseja comunhão e intimidade conosco.
Intimidade com Deus não se encontra nas grandes reuniões ou em um “show gospel”, mas na privacidade e no silêncio do quarto.
A Intimidade do Senhor é um privilégio de poucos. Ela é apenas para aqueles que temem ao Senhor. Temer a Deus não é ter medo dEle e sim honra-lo e respeita-lo como nosso Senhor, aquele que governa sobre nós. Para esses ele dará a conhecer a sua aliança.
Quando temos uma vida de intimidade com Deus somos renovados.
Para conhecermos melhor este tema, abra a sua bíblia no Salmo 63.
Neste, Davi nos dá uma preciosa lição de como podemos desenvolver a intimidade com Deus. Quando Davi escreveu este Salmo ele estava em uma fase de sua vida de grande solidão e angústia. Ele não estava em um ambiente de paz, ou no palácio, mas, no deserto de Judá, fugindo dos seus ferozes inimigos.
É interessante notarmos neste texto que é exatamente em meio a tais circunstâncias tão desfavoráveis e opressivas que Davi desenvolve a intimidade com Deus.
Logo no início do Salmo ele coloca um princípio fundamental para o exercício da intimidade com Deus. Ele afirma no versículo 1, “Ó Deus, tu és o meu Deus forte“.
O princípio fundamental para o exercício de nossa intimidade com Deus é a convicção de que ele pertencia a Deus. Nós precisamos ter esta convicção bem forte em nossos corações. A convicção de que pertencemos ao Senhor.
Há um texto lindo de Isaías 44:5 que nos mostra a convicção de um povo que receberia em suas vidas o derramar do Espírito Santo. Este povo tinha esta convicção e orgulho de pertencer ao Senhor. “Um dirá: Eu sou do SENHOR; outro se chamará do nome de Jacó; o outro ainda escreverá na própria mão: Eu sou do SENHOR, e por sobrenome tomará o nome de Israel”. Isaías 44:5.  

A- NESTE TEXTO VAMOS APRENDER QUE A INTIMIDADE COM DEUS SE DESENVOLVE POR MEIO DE UM PROCESSO.

1. BUSCAR A DEUS COMO UMA NECESSIDADE VITAL.
 “Ó Deus, tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água ” (VS 1).
Assim como não podemos viver sem água, não podemos ter vida espiritual se não buscarmos a Deus. De que forma Davi buscou ao Senhor? R: ANSIOSAMENTE “eu te busco ansiosamente”.
Ansiosamente nos dá a ideia de algo que não se pode esperar. A única ansiedade que o Senhor permite a seus filhos é a ansiedade por Ele. Ansiedade por Deus é uma expectativa por sua presença.
Salmos 130.6   “A minha alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas pelo romper da manhã. Mais do que os guardas pelo romper da manhã.” Salmos 42.2 “A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus?”
Davi confessa a sua tremenda carência de intimidade com Deus ao afirmar que a sua alma tinha sede, estando em terra seca e sem água.
Quantas vezes nos sentimos assim, como num deserto e ainda assim não o buscamos.
É como aquela pessoa que tem acesso à agua, mas não bebe. Ela pode chegar a um estado de desidratação e até ser internada por isso.
A solução para esse desesperador estado de alma é “buscar” o Senhor. São muitas as passagens bíblicas que nos levam a essa atitude essencial para vivermos em intimidade com Deus, tão necessária para o sucesso de nossa vida espiritual (Jeremias 29:13). Como afirma Davi essa busca permanente deve ser intensa (ansiosamente).

2. CONTEMPLAR A DEUS PARA MUDAR NOSSA VISÃO.
Diz Davi nos vs. 2 e 3... “Assim eu te contemplo no santuário para ver a tua força e a tua gloria. Porque a tua graça é melhor do que a vida; os meus lábios te louvam”.
Que belo texto! Não há intimidade profunda com o Senhor sem o exercício constante da Sua contemplação! Não se trata de nos valermos de imagens, representações ou figuras. A “contemplação” se dá pelos olhos da fé e deve ser pessoal e direta.
2 Coríntios 3.18 “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”.
A palavra "contemplando" em grego neste versículo é uma expressão muito forte. Ela não fala de "dar uma olhada", mas de "fixando o olhar". Significa decidir o seguinte: "Não vou sair dessa posição. Antes de fazer qualquer outra coisa, antes de tentar seja o que for, preciso estar na presença de Deus".
Através da contemplação, Davi transformou o deserto em santuário!
Salmo 27.4 Uma coisa peço ao SENHOR, e a buscarei: que eu possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do SENHOR e meditar no seu templo”.
Há quatro experiências que vivemos nessa contemplação:
1) A experiência do poder de Deus (“para ver a tua força”);
2) A experiência da glória de Deus (“e a tua glória")
3) A experiência da graça de Deus (“porque a tua graça é melhor do que a vida”);
4) A experiência do autêntico louvor a Deus (“os meus lábios te louvam”).

A Contemplação muda a nossa visão de Deus e de nossas circunstâncias.

3. MEDITAR EM DEUS PARA CONHECÊ-LO MELHOR.
Diz mais Davi no v. 6... “no meu leito, quando de ti me recordo e em ti medito, durante a vigília da noite”.
A “meditação” é fundamental para termos intimidade com Deus.
Através da meditação na Palavra do Senhor Davi tem um encontro com Deus na vigília da noite. E neste encontro ele é renovado.
O que é meditar? Meditar é o ato ou efeito de ponderar, refletir, estudar...É o ato voluntário de refletir sobre a Palavra de Deus, expondo-se a Ela para receber os seus benefícios.
A Meditação Bíblica é bem diferente das práticas orientais e do “Movimento Nova Era”.
Meditação para essas religiões é esvaziar a mente, deixando-a à mercê da atuação de espíritos demoníacos. Este tipo de meditação é nociva. 
A meditação bíblica parte da Palavra de Deus
Meditação é ouvir Deus falar através da sua Palavra. Esse exercício nos encoraja, nos estimula, nos fortalece e nos abençoa, pois nos faz conscientes de que temos um Deus real, sempre presente para nos lembrar de suas preciosas promessas.  
“Assim diz o SENHOR, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar”. (Isaías 48:17)

B. A INTIMIDADE COM DEUS TRAZ OS SEGUINTES BENEFÍCIOS.

1. QUEM TEM INTIMIDADE COM DEUS RECEBE SUPRIMENTO – No v. 5 Davi faz uma declaração que põe em destaque um excelente resultado da intimidade com Deus: “como de banha e de gordura farta-se a minha alma”.  A expressão “farta-se” significa satisfação plena. As expressões “banha” e “gordura” falam do alimento que satisfaz plenamente. Em Cristo temos plena satisfação em todas as áreas de nossa vida. Ele é pão da vida, a água viva, o bom Pastor, nEle temos vida abundante e sabemos que sem Ele nada podemos fazer (João 15:5).

2. QUEM TEM INTIMIDADE COM O SENHOR RECEBE AUXÍLIO– No v. 7 Davi declara: “Porque tu me tens sido auxílio; a sombra das tuas asas eu canto jubiloso”. Davi canta em seu lindo hino afirmando a certeza do amplo “auxílio” ou ajuda do Senhor em qualquer circunstância da sua vida.

3. QUEM TEM INTIMIDADE COM O SENHOR RECEBE VITÓRIA – Os vs. 9 e 10 trazem a descrição da segurança de “vitória” que tem aquele que mantém intimidade com o Senhor. Como já afirmei, Davi foi um constante perseguido pelos inúmeros inimigos que teve pela frente. Mas veja o que ele afirma: “Os que me procuram a vida para a destruir abismar-se-ão nas profundezas da terra. Serão entregues ao poder da espada e virão a ser chacais”. O inimigo de nossas almas não dá tréguas e constante procura nos derrotar (1 Pedro 5:8). Mas podemos ter a certeza da vitória. “Em todas essas coisas, somos mais  que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Romanos 8:37).

4. QUEM TEM INTIMIDADE COM O SENHOR RECEBE A SUA ALEGRIA.
A nota marcante deste lindo hino de Davi é a menção que faz da experiência da verdadeira “alegria” como resultado da intimidade com Deus, mesmo em meio às circunstâncias tão adversas. Ele proclama: “O rei, porém, se alegra em Deus”. Já no Salmo 16:11 afirmara: “Na tua presença há plenitude de alegria”. Essa alegria, fruto do Espírito, só é experimentada pelos que são cheios do Espírito. O Senhor Jesus afirmou que vai converter a nossa tristeza em alegria, que essa alegria, ninguém tirará, não importam as circunstâncias que ocorram, e que será alegria completa. (João 16:20, 22 e 24).

Conclusão:  Antes de buscar as bênçãos busque intimidade com Deus. 

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO