quarta-feira, 21 de junho de 2017

A TERAPIA DA PALAVRA PARA A AMARGURA


TEXTOS:
“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados” Hebreus 12:14,15

“Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.” Colossenses 3:13

Introdução: Quando recebemos a Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador, passamos a fazer parte do Reino de Deus e nesse Reino, há princípios básicos que renovam a nossa vida. Semana passada, aprendemos que temos que ter uma autoimagem equilibrada e boa para termos uma vida em abundância.

Hoje eu quero conversar contigo sobre a Terapia da Palavra para a amargura. 

Podemos dizer com certeza que a amargura é um dos sentimentos e pecados mais comuns seja na família, na sociedade e também na igreja.

A amargura conforme o texto aos Hebreus tem uma singularidade. Ela é como uma raiz que não fica exposta aos olhos humanos, pois ela é interna.

A amargura é aquele sentimento escondido de raiva, de indignação, tristeza e desejo de vingança. Quando nos deparamos com pessoas críticas, maliciosas, pessimistas e duras, estamos apenas enxergando a árvore, a raiz disso tudo pode ter a origem na amargura.     

Embora ela seja comum ela traz consequências terríveis para nós:

a- ELA CAUSA SEPARAÇÃO: atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus..”  

- Ela nos separa da Graça de Deus! Qual a relação entre separar-se da graça e entrar no ressentimento?

R: Na verdade, é bem simples. Toda pessoa ressentida é cheia de justiça própria. Ela se julga merecedora de coisas boas e, quando alguém erra com ela, pensa que tem o direito de cobrar justiça própria.

Mas aprendemos pela Palavra de Deus que somente pode desfrutar da graça aquele que reconhece que não tem merecimento algum.

Hebreus 4:15,16

“Pois não temos um sumo sacerdote que não seja capaz de compadecer-se das nossas fraquezas, mas temos o Sacerdote Supremo que, à nossa semelhança, foi tentado de todas as formas, porém sem pecado algum. Portanto, acheguemo-nos com toda a confiança ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e encontremos o poder que nos socorre no momento da necessidade”.

Pense comigo!! Qual a condição para nos achegarmos ao trono da graça?

Simplesmente não merecer nada de Deus. Não possuir nenhuma justiça própria. Se você se acha merecedor, então esse trono não é para você. O problema é que somente a partir do trono da graça podemos receber misericórdia. Se alguém não vier a esse trono, para onde ele irá?

Uma vez que fomos tão generosamente perdoados, devemos estar prontos para perdoar os outros também. Assim, se estamos na graça, não há lugar em nós para amargura.

- A amargura separa as pessoas que deveriam viver bem em unidade. Até mesmo grandes amigos, pais e filhos, Esposa e Marido, e irmãos em Cristo.

Provérbios 18:19 “O irmão ofendido resiste mais que uma fortaleza; suas contendas são ferrolhos de um castelo”.

A ofensa é capaz de colocar um irmão numa atitude de resistência permanente. O seu coração, se fecha e se tranca. Satanás sabe que mágoas guardadas no coração em decorrência das ofensas sofridas acabam se constituindo em verdadeiras muralhas de resistência, que se consolidam ainda mais com o passar do tempo.

b- ELA TRAZ PERTURBAÇÃO: “..nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe..”
Depois de ficar guardada por muito tempo, armazenada, a amargura brota trazendo perturbação emocional e espiritual. Essa perturbação em alguns casos pode se transformar em uma opressão maligna que é capaz de roubar a nossa alegria, a paz e também o nosso sono. Quando não perdoamos, Satanás de alguma forma alcança vantagem sobre nós.

2 Cor 2.10,11 “A quem perdoais alguma coisa, também eu perdoo; porque, de fato, o que tenho perdoado (se alguma coisa tenho perdoado), por causa de vós o fiz na presença de Cristo; para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios”.

c- ELA É CONTAGIOSA porque o amargurado vive buscando aliados para a sua amargura, e quem se nega a ser esse aliado, torna-se automaticamente seu inimigo. Toda pessoa amargurada gosta de compartilhar com os outros as razões do seu ressentimento. A amargura simplesmente destrói os relacionamentos.

Os hebreus chamavam de “amarga” toda planta venenosa; quanto mais amarga, maior a sua dose de veneno. A metáfora utilizada evidencia esse grande poder de contaminação. A planta amarga e venenosa espalha suas raízes por toda parte e logo surgem plantinhas secundárias. (Por isso que o autor de Hebreus diz que muitos por ela são contaminados)

d- ELA É FATAL porque cega a pessoa e a torna em um assassino.

1 João 2:11 “Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos”.

1 João 3:15 “Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino; ora, vós sabeis que todo assassino não tem a vida eterna permanente em si”.

Diante do que foi exposto, se quisermos ter saúde precisamos colocar em prática a Terapia da Palavra para vencermos a amargura.

Qual é a terapia da Palavra de Deus para a amargura?

1- EXAMINE O SEU CORAÇÃO.
“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.” (Sl 139.23,24.)

Nas palavras de um grande pregador: “Não há dúvida alguma! Se há amargura, o problema está em você”. Ou você errou em palavra, pensamento ou ação – ou errou em sua reação à pessoa que o ofendeu.

Você já pediu a Deus para sondá-lo e purificá-lo do pecado de amargura?

Na maioria das vezes achamos que uma amargura é justificável, mas é preciso reconhecer que a amargura é um pecado contra Deus.


2- CONFESSE AO SENHOR.
“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1Jo 1.9.)

Se o médico lhe dissesse que uma verruga de aparência benigna em seu braço É um melanoma – a forma mais maligna de câncer de pele –, capaz de espalhar-se para seu fígado, pulmões ou cérebro, o que você diria?

“Ah, deixe ficar e crescer mais um pouco?” Ou você pediria que a removesse imediatamente?

E por que você permite que uma raiz de amargura permaneça em sua alma?

3- CONFRONTE O OFENSOR.
“Se teu irmão pecar contra ti, vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão.” (Mt 18.15.)

Depois de examinar a SI MESMO e depois de confessar SEU pecado, então – e somente então – é que você pode confrontar com compaixão, no espírito de Cristo, aquele ou aqueles que o ofenderam.

Converse com ele (ou eles) em particular. “vai argui-lo entre ti e ele só.”

“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta” (Mt 5. 23-24).

Em outras palavras... Deus está dizendo:

“Não aceito o culto de um coração magoado- Trate logo a ferida - Não espalhe o veneno da amargura - Vá à pessoa que te magoou”.

Você como se origina a ofensa? Ele pode ter duas causas:
(1) voluntária: quando premeditada e consciente;
(2) involuntária: quando ocorre inconscientemente;

Muitos cristãos nunca perceberam que ofenderam alguém com palavras ou ações.

Você já feriu alguém sem perceber o que fez? Eu já.

Portanto, converse com quem o ofendeu, ou que você sabe que está ofendido com você! É assim que Jesus agiria, e é isso que ele espera de nós!


4- FIQUE EM PAZ!
“Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens.” (Rm 12.18.)

Observe que Mateus 18.15 diz: “Se ele te ouvir…” Há a possibilidade do ofensor não te ouvir.

Diante deste confronte de amor, pode acontecer que algumas pessoas não se arrependam do que fizeram a você.

Se não agiram corretamente, e você fez tudo o que deveria ter feito então, você pode ficar em paz.

Não se aflija; agora é problema do ofensor. O importante é você não agir por conta própria, entregue a sua causa ao Senhor e lembre-se: “Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus”. Tiago 1:20


5- DISPONHA-SE A PERDOAR.
“Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós.” Colossenses 3:13

O perdão é um dos princípios mais importantes do Reino de Deus. “Jesus o ensinou em sua oração dominical: ”...e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores”. Mateus 6.12.

Nosso bem espiritual e emocional depende da disposição de perdoarmos aqueles que nos magoaram. Na realidade, o perdão é a única dádiva que o Senhor nos oferece, que não podemos receber a não ser que o ofereçamos.

O que significa perdoar?

5.1- Perdoar significa parar de culpar alguém por alguma ofensa; é cancelar ou anular alguma dívida. Biblicamente falando o perdão traz as seguintes ideias: cobrir, levar para longe, usar da graça com alguém, cancelar, remir. "Quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" Sl 103:12

5.2- Perdoar é um ato de obediência; é mandamento e não sentimento.

“Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão”. Mateus 18.35

5.3- Perdoar é dar ao ofensor aquilo que ele precisa e não o que ele merece.

“Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores”. Rm 5:8

5.4- Perdoar é assumir o compromisso de não mais levantar o assunto depois que foi acertado. É preciso virar a página e começar a escrever uma nova história.

“...esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão.” Fp.3:13.

Quando perdoamos verdadeiramente somos libertos da dor e das feridas da experiência; podemos até nos lembrar da situação, mas não a utilizamos mais contra a pessoa; é como a cicatriz na pele: é visível, mas não dói.

CONCLUSÃO: Não sei se você pensa igual a mim, mas não vejo o ato de perdoar como uma tarefa fácil.

Pensamos até em nos livrar da mágoa, e, mais do que depressa, reverter a situação que parece nos sufocar. Mas colocar em prática é outra questão, que exige uma disposição do nosso coração, que nem sempre está tão disposto assim.

Por isso precisamos do Espírito Santo que nos capacita a colocarmos em prática este princípio terapêutico. Peça a Ele que o ajude e comece orando pelo seu ofensor.

O perdão é a compreensão de que o sofrimento pode fazer parte da nossa vida, mas não precisa durar para sempre. Só porque alguém o fez sofrer não significa que tem que sofrer indefinidamente.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catação

4ª Ministração: Série- Curados pela Palavra.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A TERAPIA DA PALAVRA PARA A NOSSA AUTOIMAGEM.


“Os bens do rico lhe são cidade forte e, segundo imagina, uma alta muralha.” Provérbios 18:11

 “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é; ele te diz: Come e bebe; mas o seu coração não está contigo”. Provérbios 23:7

“Naamã, porém, muito se indignou e se foi, dizendo: Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o nome do SENHOR, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso.  12 Não são, porventura, Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles e ficar limpo? E voltou-se e se foi com indignação.” 2 Reis 5:11-12

“Porém os homens que com ele tinham subido disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.  32  E, diante dos filhos de Israel, infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra que devora os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.  33  Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos. ” Números 13:31-33

INTRODUÇÃO: Nestes dias temos aprendido através destas ministrações que muitas enfermidades que temos em nosso corpo, podem ter como causas as feridas da alma. Hoje a ministração será sobre a Terapia da Palavra para a nossa autoimagem.

Antes de falarmos sobre estes textos é importante que saibamos que Deus criou os seres humanos parecidos com Ele... Isso não é dito de nenhum outro animal, de nenhum outro ser vivo.

É dito apenas e tão somente do homem e da mulher: Deus os criou à sua imagem e semelhança.

Mas afinal, em que somos semelhantes a Deus?

Resposta: O que nos faz diferentes dos animais e nos torna imagem de Deus é a capacidade de ter comunhão com Ele.

Só os seres humanos podem se relacionar com Deus face a face, de maneira íntima e pessoal.

João Wesley (fundador do metodismo) detectou três aspectos de imagem dos seres humanos com seu Criador:

         a) A IMAGEM MORAL - ao ser criado, o ser humano possuía a santidade, a pureza e o amor de Deus. Sua verdadeira natureza é ser santo, misericordioso, puro, livre, incorruptível e eterno.

         b) A IMAGEM NATURAL - isto significa que Deus criou o ser humano com perfeita liberdade de escolha não só em pequenas questões da vida, mas também naquelas que determinam seu destino. No estado de inocência ele poderia escolher obedecer a Deus ou não, sem qualquer interferência sobre sua capacidade de escolha (Gn 2:15-17).

         c) A IMAGEM POLÍTICA - Deus delega poderes aos seres humanos quando ordena o domínio sobre os habitantes do mar, dos céus e da terra (Gn 1:28) e a incumbência de dar nomes às outras criaturas (Gn 2:19-20; Sl 8:6-7).

Contudo, sabemos que o ser humano, usando a liberdade dada por Deus, escolheu DESOBEDECÊ-LO, ou seja, pecou. Este pecado acarretou terríveis consequências para toda a criação:

Com o pecado, a imagem de Deus no homem foi totalmente danificada.

         a- Na imagem moral o ser humano perde a sua pureza, santidade e amor. O seu coração torna-se totalmente corrompido.

         b- Na imagem natural ele perde a capacidade de escolher entre o Bem e a Vida, por si mesmo. (Rm 7:14b-15).

         c- Na imagem política, ele não consegue exercer pleno domínio sobre a natureza, porque ela torna-se hostil e em várias situações incontroláveis; como no caso, os terremotos, secas, enchentes...(Rm 8:22,23).

A NOSSA AUTOIMAGEM TAMBÉM FOI AFETADA PELO PECADO!

Através de Gênesis 3:8-10 aprendemos que com a entrada do pecado em seus corações eles se escondem de Deus por medo. Este medo desequilibra, limita e impede o homem de conquistar seus sonhos e ideais, esse medo traz frustrações, infelicidade e derrota; O homem que vive se escondendo de Deus, sofre com seus medos.

Para entendermos melhor sobre este assunto precisamos saber o que é autoimagem?

R: Autoimagem é o que eu penso e o que eu sinto a meu respeito. É a minha atitude para comigo mesmo.

- Autoimagem é a minha avaliação sobre meus valores pessoais (físicos, intelectuais, habilidades, etc).

- Autoimagem é a ótica pela qual enxergamos a vida. Algumas pessoas têm óculos tão negativos que dão perspectiva pessimista à vida toda, enquanto outros têm óculos otimistas demais que chegam a perder o senso da realidade.

Podemos dizer então que a nossa autoimagem tem tudo haver com a nossa imaginação!

Imaginação é a fantástica capacidade que Deus nos deu de produzirmos imagens mentais. Por vezes, essas imagens, representam um mundo que só existe dentro de nós. Quando geramos imagens mentais passamos a crer nelas como verdade.

Provérbios 23:7confirma isso: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é...” 

A VERDADE É QUE NÓS SOMOS E AGIMOS COMO PENSAMOS.

Como nós somos pecadores e temos uma natureza pecaminosa, precisamos que a nossa autoimagem também seja restaurada pela Palavra de Deus!

Precisamos ter uma autoimagem saudável para sermos pessoas saudáveis!

Como podemos ter uma autoimagem sadia segundo a Palavra de Deus?

1- PARA TER UMA AUTOIMAGEM SADIA GUARDE O SEU CORAÇÃO.
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.” (Provérbios 4:23)

A palavra “coração” usada neste versículo não se refere simplesmente ao órgão principal do corpo humano.  Quando faz menção do coração, a Bíblia está se referindo ao lugar onde se alojam as ideias, emoções e pensamentos. É de onde saem as coisas boas e ruins, e que podem contaminar o homem.

Alguém disse uma vez, "você quer mudar os resultados, mude as suas ações, e se você quer mudar as suas ações, você deve mudar os seus pensamentos; e se você quer mudar os seus pensamentos, você deve guardar o seu coração”.

Quando este versículo nos fala para guardar o coração, nos está dizendo para cuidar do que entra no nosso coração, para que não entrem pensamentos errados. Às vezes nos rendemos a pensamentos que não são os pensamentos de Deus.

Para guardar o seu coração não seja refém de suas imaginações!!!

Um refém é aquele, que contra sua vontade, fica em poder de alguém como garantia. Também nos tornamos reféns de nossas imagens mentais quando estas não têm como base a verdade. Lembre-se que um refém: fica preso, escondido e isolado; não se alimenta direito; fica instável emocionalmente; sofre ameaças; não pode fazer o que deseja; e se sente inseguro.

Tanto Naamã, o general siro, como os dez espias, por causa de suas imagens mentais, se tornaram reféns.

(a) “Naamã, porém, muito se indignou e se foi, dizendo: Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o nome do SENHOR, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso.  12 Não são, porventura, Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles e ficar limpo? E voltou-se e se foi com indignação.” 2 Reis 5:11-12

(b) Porém os homens que com ele tinham subido disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.  32  E, diante dos filhos de Israel, infamaram a terra que haviam espiado, dizendo: A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra que devora os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura.  33  Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos. ” Números 13:31-33

Os espias, se viam como gafanhotos diante do povo que habitava a Terra da Promessa. E se convenceram de que o povo da Terra, os viam assim também. Isto é autoimagem depreciativa.

Qual a imagem mental que você tem produzido de você mesmo?

2- PARA TER UMA AUTOIMAGEM SADIA PENSE COM EQUILIBRIO.
“Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um”. Romanos 12:3

Li há alguns dias uma historinha que traduz bem o que quero falar hoje. Um garotinho diz para sua mãe:

- Mãe, eu tenho três metros de altura.
A mãe com um sorriso responde:
- Não, meu amor, você já é um homenzinho, mas não é tão alto assim.
- Sou sim, mãe. Eu medi!
- É mesmo, meu amor. E com que você se mediu?
- Com este "metro" aqui. Então, o garotinho mostra para a mãe uma régua de 30 cm.

Na historinha o garotinho pensava que uma régua de 30 cm era um metro.

A ingenuidade do garotinho o fez pensar que tinha três metros!

Em Romanos 12:13 está dizendo para que as pessoas não se achem melhores e nem piores do que realmente são, muito pelo contrário, que tenham equilíbrio nesse julgamento e que cada um faça esta avaliação de si próprio em consonância com a Palavra de Deus.

Você não deve pensar de si nem mais nem menos. Não deve gerar em seu coração orgulho, auto exaltação e nem depreciação!

• Se pensarmos nos nossos defeitos além do que convém, exagerando-os, teremos uma autoimagem negativa, algo como um complexo de inferioridade.

• Se pensarmos nas nossas virtudes além do que convém, exagerando-as, teremos uma autoimagem positiva, sim, mas demais, algo como um complexo de superioridade.

Por isso, pensar equilibradamente a nosso respeito é um bom remédio para a nossa autoimagem!

3- PARA TER UMA AUTOIMAGEM SADIA VALORISE O QUE VOCÊ É E TEM EM CRISTO!

 “Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem.” Salmo 139:14

Em Cristo adquirimos uma Nova Identidade que muda a nossa maneira de pensar:

3.1- Somos novas criaturas. (2 Cor. 5:17)
3.2- Fomos eleitos e amados por Deus, predestinados para uma grande futuro.
3.3- As coisas erradas em nós, que provocaram uma autoimagem negativa, fazem parte da natureza pecaminosa do Homem caído, e sobre ela podemos ter vitória através do Espírito Santo que habita em nós.
3.4- Temos dons espirituais, dados por Deus, que nos capacitam e nos tornam úteis e importantes em seu Reino.
3.5- Não estamos no mundo para competir, mas para servir.
3.6- Temos a nossa disposição um potencial ilimitado de crescimento, que não depende de nossas habilidades naturais.
3.7 Deus nos chamou para a liberdade e a abundância (Jo 8:36, 10:10, Gl 5:1).
O dono de um pequeno comércio, amigo do grande poeta Olavo Bilac, abordou-o na rua:

 - “Sr. Bilac, estou precisando vender o meu sítio, que o senhor tão bem conhece.  Será que o senhor poderia redigir o anúncio para o jornal?”

Olavo Bilac apanhou o papel e escreveu:

"Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer, no extenso arvoredo, cortada por cristalinas e marejantes águas de um ribeirão. A casa banhada pelo sol nascente, oferece sombra tranquila das tardes, na varanda".

Meses depois, topa o poeta com o homem e pergunta-lhe se havia vendido o sítio.

“Nem pensei mais nisto, disse o homem. Quando li o anúncio, é que percebi a maravilha que tinha!”

Às vezes, não descobrimos as coisas boas que temos e vamos longe, atrás da miragem de falsos tesouros.

Valorize o que você tem, o que você é, a pessoa que está ao seu lado, os filhos, os amigos que estão perto de você, o emprego que Deus lhe deu, o conhecimento que você adquiriu, a saúde, o sorriso...  Estes são os seus verdadeiros tesouros.

O que é que Deus tem nos dado que não estamos valorizando devidamente?

CONCLUSÃO: Deus tem poder para mudar sua autoimagem e a sua historia, não permita que Satanás o aprisione com uma autoimagem negativa. Assuma hoje mesmo uma nova postura diante da vida e permita que a Palavra de Deus molde a sua maneira de pensar!

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO
3ª Ministração: Série: Curados pela Palavra



domingo, 11 de junho de 2017

10 DICAS PARA AJUDAR SEU FILHO PEQUENO A SE COMPORTAR NA IGREJA


Uma das grandes dificuldades de todos os pais é fazer com que seus filhos aprendam a se comportar nos lugares. Principalmente em lugares que requerem silêncio e que eles fiquem quietos. As experiências difíceis (birras, choros, inquietação, etc.) acabam fazendo pais desistirem de participar de certos eventos e de irem a lugares devido ao mau comportamento dos filhos, que os fazem passar vergonha. Na igreja não é diferente! Muitos pais desistem de levar seus filhos à igreja porque têm muitas dificuldades de mantê-los em uma postura que o lugar exige. Mas será que é possível fazer os filhos pequenos se comportarem na igreja?

(1) COMECE A ENSINAR EM CASA

É em casa que os maiores ensinos que as crianças precisam acontecem. Por isso, converse com seu filho (caso ele já entenda) e fale sobre o que vão fazer. Por exemplo: filho, hoje nós vamos à igreja, vamos orar ao papai do céu, cantar músicas lindas e ouvir o pastor contar algumas historinhas da Bíblia. O papai e a mamãe querem que você se comporte assim…”. Isso já gera na criança uma expectativa de como precisará agir. Ela vai começar a entender aquele ensino mas, claro, seja paciente, pois ela não vai aprender isso logo na primeira vez.

(2) FAÇA CULTOS EM CASA

Muitas crianças não conseguem se comportar na igreja simplesmente porque é um ambiente em que elas não sabem se comportar. É quase um absurdo os pais exigirem algo de uma criança que simplesmente ela não sabe e que não aprendeu. É por isso que a estratégia de fazer um micro culto em casa é muito boa. Faça um culto doméstico parecido com a programação que sua igreja tem, mas com um tempo menor. Coloque música, oração e uma historinha e busque ensinar seu filho a se comportar ali. O objetivo é que a criança acostume e aprenda a se portar. Se sua igreja tiver reunião de oração, é também uma boa forma de ensinar levando seu filho e ensinando-o em um ambiente com menos pessoas.

(3) NÃO DEIXE O MAU COMPORTAMENTO FAZER VOCÊ DESISTIR

Sim, é chato quando nosso filho faz birra na igreja, chora, se joga no chão, fica querendo andar toda hora. Ficamos envergonhados e pensamos: o que as pessoas vão achar de mim como pai? Mas entenda que muito mais importante do que o que as pessoas vão achar, é você investir no crescimento do seu filho, expondo ele ao aprendizado também na prática. Essas situações revelam para os pais que eles precisam atuar de uma forma mais específica com o filho. Ou seja, fazem parte do aprendizado. Não se preocupe com o que as pessoas pensam. Todos já foram filhos um dia e aqueles que já tem filhos passam por situações parecidas.

(4) ABUSE DAS CONVERSAS AO PÉ DO OUVIDO E LÁ FORA

Se seu filho insiste em se comportar mal na igreja, adote um sistema de advertência e disciplina caso ele insista no mau comportamento. Diante de um comportamento ruim, dê uma advertência ali mesmo, falando ao pé do ouvido. Na negativa dele obedecer, leve-o até um lugar tranquilo (lá fora para não atrapalhar o culto), olhe nos olhos dele e dê a segunda advertência e alerte que, se mais um comportamento errado acontecer, ele sofrerá uma disciplina (que você deve estabelecer qual é e em qual momento irá aplicar).

(5) SEJA SÁBIO NAS DISCIPLINAS IMPOSTAS

Alguns pais disciplinam os filhos não os levando mais a igreja. Pode isso? Isso está extremamente errado. Tente usar o método do cantinho da disciplina em casa, quando chegarem. Conversem com ele, pontuem os momentos em que se comportou bem, elogie, mas também mostrem o que fez de errado e aplique as disciplinas que prometeu “naquela conversa ao pé do ouvido”. Isso dará peso a sua palavra e fará ele respeitar mais quando você disser algo.

(6) PREPARE-SE PARA O CULTO COM SEU FILHO

Você realmente espera que seu filho fique uma hora e meia sentado quietinho, cantando as músicas, orando e ouvindo o pastor pregar? Isso é impossível. Por isso, é preciso que você planeje o culto. Que tal levar uma Bíblia especial para ele, com desenhos? Incentivá-lo a fechar os olhinhos para orar para o papai do céu, orar pertinho dele, falando com ele? Mostrar a ele alegria na hora do louvor, cantarem as músicas, levantar as mãos juntos? Isso fará que seu filho não ache o culto algo chato. Se sua igreja tiver um culto infantil por um tempo durante o culto, ótimo. Incentive-o a participar. Fique atento nas estratégias que seu filho usa para não se comportar. Às vezes, uma simples Bíblia de colorir pode ajudá-lo a ter a atenção preenchida naquele momento.

(7) AJUDE ELE A FAZER AS NECESSIDADES EM CASA

Um dos grandes trunfos das crianças é o banheiro ou o bebedouro. Quando estão entediadas em um lugar logo descobrem que o argumento perfeito para sair é pedir para ir ao banheiro ou beber água. Seja atento, faça seu filho ir ao banheiro antes do culto e leve também uma garrafinha de água ou mesmo leite caso for pequeno ainda. Isso te fará avaliar melhor se o que ele tem é uma vontade real ou apenas uma estratégia para sair.

(8) CRIE O HÁBITO DE ELOGIAR A IGREJA

Muitas crianças odeiam ir à igreja porque o que ouvem dos pais são apenas críticas. Criticam no carro e em casa o pastor, o louvor, o tempo do culto, o irmão fulano, etc. Procure elogiar a igreja para seus filhos, para que eles possam ver os pontos positivos. Como ainda não pequenos, eles ainda não têm maturidade suficiente para lidar com os pontos de crítica. Por isso, o melhor é fazê-los enxergar o quão bom é cultuar a Deus (como de fato é).

(9) SEJA ASSÍDUO EM SUAS PARTICIPAÇÕES

Não é incomum que pais que vão à igreja uma vez ao mês queiram que seus filhos, como que magicamente, se comportem e aproveitem o culto. Isso não vai acontecer. A assiduidade é muito importante, pois expõe as crianças a mais oportunidades de aprendizados. Por isso, os pais devem ser mais assíduos, não só porque é bom para eles próprios, mas porque, também, é importante para que seus filhos comecem a amar a obra de Deus, a se sentirem parte dela.

(10) PRESENTEIE O BOM COMPORTAMENTO
Métodos de incentivo são muito proveitoso para as crianças. Com eles começa-se a ensinar a meritocracia, ou seja, eles terão coisas quando tiverem mérito e perderão coisas quando não tiverem mérito. Converse com seu filho, identifique algo que ele queira muito e, caso ele se comporte segundo as condições, ele ganhará aquilo. Mas cuidado! O objetivo não é transformar seus filhos em interesseiros, por isso, não dê apenas coisas financeiras. Trabalhe com outros “prêmios” também como um passeio, uma brincadeira que ele gosta muito, etc. O objetivo é premiar o bom comportamento, fazendo-o perceber que o bom comportamento gera bênçãos em nossas vidas.


www.esbocandoideias.com

quinta-feira, 8 de junho de 2017

AS CARACTERÍSTICAS DE UMA ALMA RESTAURADA


Salmo 19
1 Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. 
2 Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. 
3 Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som;
4 no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol,
5 o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho. 
6 Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso; e nada refoge ao seu calor. 
7 A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. 
8 Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos. 
9 O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos. 
10 São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos. 
11 Além disso, por eles se admoesta o teu servo; em os guardar, há grande recompensa. 
12 Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas. 
13 Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão. 
14 As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!

Introdução: Neste salmo o Espírito Santo nos ensina a amar a Palavra de Deus, nos mostrando o quanto ela é poderosa em trazer bênçãos para nossa vida: ela restaura nossa alma, nos dá sabedoria, alegra nosso coração, ilumina os nossos olhos, isto é, nos dá discernimento, compreensão.

A Palavra de Deus é mencionada de diversas formas, e cada uma delas revela um dos seus aspectos: (versículos 7,8)

É a lei do Senhor: “A Lei do Senhor é perfeita e restaura a alma” - literalmente, “instrução”, a orientação de Deus, sobre como devemos viver.

Ela é “o testemunho do Senhor”: “o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices”.  O testemunho do Senhor nos fala quem é Deus, o seu caráter, as suas obras.

Ela é chamada também de “os preceitos do Senhor”: “Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração.” A palavra "preceitos" é semelhante em significado a estatutos e mandamentos; instruções dadas para orientar o comportamento. Os preceitos de Deus devem ser "cumpridos à risca" (119:4).

Ela é chamada de: “o mandamento do Senhor”. “o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos”.  Os mandamentos não foram dados para nos reprimir, mas para nos dar discernimento daquilo que é o melhor para nós.

Ela é também, “O Temor do Senhor”.O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre”.  Ela nos ensina amar e respeitar a Deus.

Ela é chamada também de “Juízos do Senhor”. “os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos”.  Juízos são pronunciamentos judiciais, que advertem contra determinadas linhas de conduta.  A palavra de Deus sublinha suas decisões e punições contra aqueles que insistem em desobedecer a Sua Palavra.

A lei do Senhor, além de ser perfeita, restaura a nossa alma: restaura nossa alma porque nos conduz à fé em Jesus Cristo, nos dá novas esperanças, nova razão de viver, nos ensina a enxergar as coisas do ponto de vista de Deus, aquele cujos pensamentos são melhores, cujo entendimento é perfeito; a palavra do Senhor nos ensina a amar a Deus.

O TERMO ALMA, refere-se a sede de todas nossas emoções e pensamentos. É o nosso “Eu”. É onde guardamos tudo aquilo que aprendemos (na mente) e os sentimentos que nos afetam (para o bem e para o mal).

“O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. 1ª Ts 5:23

Se está escrito que a lei do Senhor restaura nossa alma, isto quer dizer que, sem a Palavra de Deus, a nossa alma está precisando de restauração. Sem a Palavra de Deus, nossa psique está enferma. Há feridas interiores carentes de serem pensadas. O óleo curador do Espírito precisa ser derramado, mas Ele o faz por meio da Palavra!

Ora, todos os seres humanos, em maior ou menor medida, têm suas feridas interiores: seus sentimentos de inferioridade, complexos, culpas pelos pecados cometidos, sentimentos de ansiedade, de depressão, de rejeição, até de solidão, de auto aceitação e de abandono.

Mas há remédio para a alma enferma: a lei do Senhor restaura a alma!

A Palavra de Deus é o meio através do qual ele penetra em nosso coração para nos curar.

E quando a Palavra de Deus começa a penetrar, é como um tratamento que se inicia, de sorte que a cada dia nossa alma vai se tornando mais robusta, vigorosa, resistente. Ela se torna feliz, satisfeita, capaz de enfrentar as reveses da vida.

EU GOSTARIA DE MENCIONAR ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DE ALMAS RESTAURADAS PELA PALAVRA DE DEUS

1- ALMA RESTAURADA É AQUELA QUE APRENDEU LIDAR COM AS FRUSTRAÇÕES QUE A VIDA OFERECE.

Porque, o que é frustração? É desapontamento, é decepção causada pela privação de um desejo ou de uma necessidade. É quando desejamos ou necessitamos algo que não acontece. É quando nossas expectativas não são alcançadas.

Ora, neste sentido, todos nós somos pessoas sujeitas constantemente às frustrações: às vezes a frustração do desemprego; às vezes a frustração de uma enfermidade; às vezes a frustração de um relacionamento mal resolvido; e muitas outras coisas.

E quando nossa alma não está curada, a nossa reação também é insana – é a murmuração, é a amargura, é o ressentimento, é a depressão.

Amados, Deus não quer isso para nossa vida. Jesus morreu na cruz, Jesus foi ferido em nosso lugar para que nossas almas sejam sadias, fortes. Ele morreu por nós, não para que vivamos cheios de dores na alma, de problemas não resolvidos. Ele se entregou por nós para que tenhamos vida em abundância.[3]

Quero citar um exemplo da alma sadia neste sentido
(Fp 1:15-18)

15 Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade; 16 estes, por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho; 17 aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulação às minhas cadeias.  18 Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei.

Quando Paulo escreveu estas coisas, os irmãos sabem, ele estava preso, acusado do “crime de pregar o evangelho”.

E isto motivou muitas pessoas de boa índole a ter coragem para pregar também. Mas nem todos o fizeram de boa mente.

Havia aqueles que, movidos de inveja e partidarismo, o faziam para de alguma deixar o apóstolo atribulado, pois poderia parecer que Paulo fracassava, enquanto eles prevaleciam no ministério.

Mas Paulo não se deixou manipular por estas pessoas. A opinião dos outros a seu respeito não o afetou!

Ao contrário, viu nisto mais uma maneira de o seu grande desejo se cumprir: o nome de Jesus estava sendo pregado, e assim, honrado. E isto é o que lhe importava. Isto é ter uma alma sadia: enxergar as reveses, do ponto de vista de Deus.

Fp 4:11-13

11 Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação.  12 Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; 13 tudo posso naquele que me fortalece.

Alma satisfeita. Mesmo na prisão, mesmo passando por privações, desconforto e necessidades, uma alma satisfeita, em toda e qualquer situação, que não se sentia derrotada.

2. ALMA RESTAURADA É AQUELA QUE APRENDEU A LIDAR COM A DOR DA REJEIÇÃO.
Muitas pessoas sofrem porque são rejeitadas ou porque pensam que não tem nenhum valor para Deus. Mas a Bíblia diz exatamente o oposto

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16)

Deus te ama e por isso não há motivos para você pensar que não tem valor. Jesus morreu pelos seus pecados para que você não precisasse sofrer a condenação de Deus. Se você aceitar este presente da salvação, você receberá uma nova vida.

Mas, para você andar nos caminhos de Deus, você deverá abandonar todo sentimento de rejeição e acreditar que Ele te aceita como você é.

Se você olhar para a vida de Jesus, você verá que Ele foi muito rejeitado pelas pessoas. No livro de Isaías 53:3 diz: "Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer, e  como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso".

Jesus foi rejeitado para que pudéssemos ser aceitos por Deus, e o que nos faz ser aceitos hoje é exatamente o fato dEle ter assumido o nosso lugar - a nossa rejeição. A Bíblia mostra que mesmo depois que Ele realizava os milagres, as pessoas O rejeitavam. Veja o que diziam:

"Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E não vivem aqui entre nós suas irmãs? E escandalizavam-se nele" (Marcos 6:3).

Você já foi zombado por alguém? Já riram ou duvidaram de você? Muitas vezes as pessoas não suportam passar por essas situações ruins, mas Jesus não era assim. Ele foi rejeitado até mesmo pelas pessoas que o conheciam, porém, não se deixou abater.

Às vezes, a rejeição faz com que as pessoas sofram uma dor tão grande na alma, que acabam desistindo dos seus sonhos. Principalmente quando vem de pessoas tão próximas a nós. Jesus também enfrentou esse dilema:

“Então, ele foi para casa. Não obstante, a multidão afluiu de novo, de tal modo que nem podiam comer. E, quando os parentes de Jesus ouviram isto, saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si”. Mc 3:20-21
No começo do seu ministério, aos trinta anos, nem mesmo a família de Jesus cria nele como o Messias (o Enviado de Deus).

Diga o que o salmista disse: "Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá" (Salmos 27.10).

3. UMA ALMA RESTAURADA É AQUELA QUE APRENDEU A LIDAR COM A COMPETIÇÃO E A COMPARAÇÃO. 

Vivemos numa sociedade altamente competitiva, na qual as pessoas são estimuladas constantemente a se comparar com as outras, e incentivadas a se colocarem acima das outras.

A competição pode ser uma forma válida de interação no mundo, mas não dentro da igreja ou na família.

Podemos ler em João 4.1-3, que o Senhor Jesus fugiu da competição e não permitiu que os fariseus o comparassem com João Batista.

1 Quando, pois, o Senhor veio a saber que os fariseus tinham ouvido dizer que ele, Jesus, fazia e batizava mais discípulos que João
2 (se bem que Jesus mesmo não batizava, e sim os seus discípulos),
3 deixou a Judéia, retirando-se outra vez para a Galiléia.

Os fariseus adoravam a competição, então começaram discutir para saber quem fazia mais discípulos, quem batizava mais, a quem o povo queria seguir; João Batista ou Jesus?

Quando o Senhor percebeu aquele espírito de competição ele se retirou e foi pregar na Galiléia.

João Batista também não aceitou nenhum espírito de competição.

Veja João 3:26-30

26 E foram ter com João e lhe disseram: Mestre, aquele que estava contigo além do Jordão, do qual tens dado testemunho, está batizando, e todos lhe saem ao encontro.
27 Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada.
28 Vós mesmos sois testemunhas de que vos disse: eu não sou o Cristo, mas fui enviado como seu precursor.
29 O que tem a noiva é o noivo; o amigo do noivo que está presente e o ouve muito se regozija por causa da voz do noivo. Pois esta alegria já se cumpriu em mim.
30 Convém que ele cresça e que eu diminua.

Em João 3.27, ele disse: “O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada.”

- Tudo que você tem foi Deus que lhe deu. Tudo que o irmão tem foi Deus que deu para ele. Mas ainda assim há irmãos que pensam que aquilo que possuem procede deles mesmos e por isso vivem se comparando com outros e competindo com eles.

Onde existe competição, existe o ego; e onde o ego se levanta, o diabo tem espaço para atuar.

Saul é um exemplo de alguém que se deixou levar pelo espírito de competição e o resultado é que um espírito maligno entrou nele, conforme o relato de (I Samuel 18.7-10).

“As mulheres se alegravam e, cantando alternadamente, diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares. Então, Saul se indignou muito, pois estas palavras lhe desagradaram em extremo; e disse: Dez milhares deram elas a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão o reino? Daquele dia em diante, Saul não via a Davi com bons olhos. No dia seguinte, um espírito maligno, da parte de Deus, se apossou de Saul, que teve uma crise de raiva em casa”. I Sm. 18:7-10

Toda competição gera inveja, pois estou sempre invejando o outro que tem algo que e eu não tenho, que consegue realizar algo que eu não consigo. A inveja produz todo tipo de pecado.

O diabo estimula a inveja, o Espírito Santo estimula a admiração e o respeito.

A admiração e a inveja estão muito perto uma da outra, mas estão separadas por um mundo de diferença. Na admiração eu fico motivado e contente pelo sucesso do outro, mas na inveja o sucesso do outro me irrita, ao ponto de não conseguimos nem ouvir falar daquele assunto, pois não é admiração, é apenas inveja.

Mas a alma que está bem com Deus, não sente necessidade de estar acima dos outros, não sente necessidade de competir – sua satisfação é a de estar no lugar onde Deus quer!


CONCLUSÃO: As Frustrações da vida, as rejeições que sofremos, as competições e comparações que enfrentamos não devem e não podem ferir a nossa alma se aprendermos lidar com estas questões pela Palavra de Deus nos submetendo ao Espírito Santo a cada dia de nossas vidas! 

Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista Catalão
Série: 2ª Ministração: Curados pela Palavra