segunda-feira, 13 de novembro de 2017

COM JESUS VOU ATÉ O FIM


Hebreus 2:1
“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos”.

Hebreus 6:10-12
10 Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciastes para com o seu nome, pois servistes e ainda servis aos santos.
11 Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando, até ao fim, a mesma diligência para a plena certeza da esperança;
12 para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas.

Introdução: Eu quero compartilhar contigo nesta noite uma Palavra de encorajamento a fim de que você continue firme no Evangelho de Cristo e permanecendo na Palavra de Deus.

Hebreus 2:1 nos fala justamente sobre essa firmeza:

“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos”.

Sabemos que existem muitos impedimentos e investidas do Maligno a fim de nos desviar da verdade, mas anime-se.

Não se deixe vencer pelo cansaço ou por distrações, não permita que ninguém o impeça de chegar ao lugar que Deus tem para você.

Em Gálatas, capítulo 5, verso 7, Paulo diz: “Vós corríeis bem; quem vos impediu de continuardes a obedecer à verdade”?

Pode ser que você estava no caminho certo, na corrida pelo prêmio, seguindo o Senhor, os princípios da Palavra dele, mas no meio do caminho alguém começou a colocar fardos sobre a sua vida, pesos, doutrinas erradas de homens, confusões.

Note que a Bíblia diz: “Vós corríeis bem; quem vos impediu de continuardes a obedecer à verdade”?

Quem impediu? Seu pai, sua mãe, seus amigos, namorado, as circunstâncias? Quem está impedindo você de continuar? Você estava indo tão bem!

Saiba que para Deus o mais importante não é o melhor desempenho, mas a fidelidade até o fim.

Mateus 24:13: "Mas quem perseverar até o fim este será salvo"

O contexto desta palavra de Jesus nos ensina onde a perseverança deve ser exercida!

9 Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome.
10 Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros;
11 levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.
12 E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.
13 Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.

“A perseverança é exercida na tribulação, em meio ao ódio perseveramos em amar, em meio a traição perseveramos em ser fiel; em meio aos enganos perseveramos na verdade; em meio a iniquidade, perseveramos em santidade”

Voltando para Hebreus 6:10-12, vamos analisar quais são os princípios estabelecidos por Deus que nos ajudarão a permanecermos firmes até o fim.

O primeiro princípio estabelecido por Deus que nos ajudará a permanecermos firmes até o fim.

I-QUANDO O NOSSO TRABALHO E AMOR SÃO INTENSOS. ( VS.10)
“Porque Deus não é injusto para ficar esquecido do vosso trabalho e do amor que evidenciastes para com o seu nome, pois servistes e ainda servis aos santos.”

Quando o crente está envolvido intensamente no trabalho do Senhor e no compromisso de amar ao Senhor e aos irmãos, ele tem demonstrado uma fé sólida e não tem tempo para aquilo que não é importante!

Há muitos crentes que participam da Igreja com a mentalidade consumista. Ele pensa apenas em receber a bênção, mas não em abençoar, em receber o amor, mas não em amar. Sacrifício, cooperação e engajamento não fazer parte de seu vocabulário.

O problema é que este tipo de cristão se enfraquece facilmente porque o foco de sua vida é ele mesmo.

(il) A mulher que olhava a roupa suja no varal da vizinha. Um dia seu marido limpou a janela da sala de sua casa. Ela disse então: “Querido veja!
- A nossa vizinha aprendeu a lavar suas roupas, veja como estão branquinhas? – Ele respondeu: Querida você está enganada eu é que limpei as janelas de nossa casa.

O Cristão que tem como foco a Glória de Deus, sabe que se não for honrado pelos irmãos pelo seu trabalho ao Senhor,  Deus não é injusto para se esquecer de seu trabalho. 1 Coríntios 15:58  “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.”

Ele sabe que a maior marca de um Cristão é o amor: O Nosso amor pelos nossos irmãos deve ser intenso e não tenso!

João 13:35 “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.”

1 Pedro 4:8  “Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados.”

Demonstre o seu amor pelos irmãos encorajando e não criticando!

 “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima. ”Hebreus 10:24,25

(il) Jovem é acusada de encorajar o namorado a cometer suicídio nos EUA. A jovem havia sido acusada de manipular o namorado e levá-lo a cometer suicídio por meio de mensagens de texto.

Charles H. Spurgeon, conhecido como o príncipe dos pregadores:

“A repreensão não deve ser um balde de água fria para congelar o irmão, nem água fervente para queimá-lo”.

O segundo princípio estabelecido por Deus que nos ajudará a permanecermos firmes até o fim.

II-QUANDO O NOSSO COMPROMISSO COM DEUS É CONSTANTE.(VS.11)
“Desejamos, porém, continue cada um de vós mostrando, até ao fim, a mesma diligência)para a plena certeza da esperança;”

Diligência = cuidado aplicado na execução de uma tarefa; zelo

Deus espera que toda firmeza que já manifestamos em nossa fé até este momento seja preservada até o fim.

Precisamos manter o fervor, não podemos deixar apagar o amor e devemos sustentar nossa firmeza.

A expressão chave em nosso texto de referência é: “até o fim”, o que revela a dimensão e extensão de nosso compromisso com Jesus.

O compromisso que assumimos com Ele é para o resto de nossas vidas. Alguns não param para pensar nisso, mas quando entregamos nossa vida a Jesus, o fizemos para sempre!

(i) Música: “Em nome do Senhor Jesus, eu quero me entregar pra sempre ao meu Deus, Eu sei que tentações virão, mas Cristo já venceu, morrendo em meu lugar”.

Nosso Senhor Jesus Cristo se preocupou em deixar claro este tipo de mensagem em seus ensinos: “Mas aquele que perseverar ATÉ O FIM será salvo.” Mateus 24:13

A salvação não está ligada apenas ao que faço e experimento hoje, mas ao meu posicionamento de perseverar e permanecer firme até o fim. Jesus mostrou que esperava seguidores que não desistissem.

Apocalipse 2:26 “Ao que vencer, e guardar ATÉ O FIM as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações”

Fica claro que o fim tem mais peso que o começo na vida cristã. Alguns no início de sua fé se tornam “turbinados”. Correm mais que todos, oram mais, buscam mais, lêem mais a Palavra, evangelizam mais e se destacam. Porém, o tempo passa e elas não têm constância. Desanimam-se. Distraem-se. Alguns até desviam-se da fé.

Outros, começam meio que na “marcha lenta”, mas com o tempo crescem, amadurecem e correspondem cada vez mais com Deus. Certamente isto vale mais!

É claro que se alguém começar bem e permanecer firme até o fim é melhor ainda.

O que quero dizer é que não podemos perder a mentalidade de que precisamos completar a carreira que nos foi proposta. Assumimos um compromisso com Deus para o resto de nossas vidas.

O terceiro princípio estabelecido por Deus que nos ajudará a permanecermos firmes até o fim.

III- QUANDO IMITAMOS OS BONS EXEMPLOS DE FÉ E PACIÊNCIA. (VS.12)
“para que não vos torneis indolentes, mas imitadores daqueles que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas.”

Algumas pessoas acabam se desviando da fé por causa de maus exemplos dentro da Igreja.

1 Coríntios 15:34  “Tornai-vos à sobriedade, como é justo, e não pequeis; porque alguns ainda não têm conhecimento de Deus; isto digo para vergonha vossa.”

Outros usam o mau exemplo de alguns Cristãos como um desculpa para não seguir o Senhor. São pessoas que não enxergam os bons exemplos entre os Cristãos.

Apesar de existirem maus exemplos no meio da igreja, temos que valorizar os bons exemplos que existem em nosso meio e também na Palavra de Deus!

O Exemplo de Jesus: João 13:15  “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.”

O Exemplo de Paulo: 1 Coríntios 11:1 “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.”

O Exemplo de Cristo: Efésios 5:1 “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;”

O exemplo dos Profetas: Tiago 5:10 “Irmãos, tomai por modelo no sofrimento e na paciência os profetas, os quais falaram em nome do Senhor.”

Escolha o bom exemplo: 3 João 1:11  “Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.”

CONCLUSÃO:

O progresso é construído pelos perseverantes. O Reino de Deus é para os que permanecem e vão com Jesus até o fim!

Os desistentes não constroem nada. Desistentes sentam na beira das estradas e lamentam as distâncias, as condições, a falta de dinheiro, de oportunidade, de educação.

Desistentes se escondem, por trás das circunstâncias, da pobreza, das dificuldades.

“Mas nós não somos dos que retrocedem para perdição; mas dos que têm a fé para a salvação da alma”. Hebreus 10:39



Pr. Gilberto Oliveira Rehder

Igreja Metodista Catalão

terça-feira, 24 de outubro de 2017

DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ? (2ª Parte)


“Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha”. Lucas 11:23

Introdução: Hoje vamos dar sequencia na palavra ministrada no domingo passado sobre o tema: DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ?

Através desta palavra de Jesus aprendemos que é impossível ficarmos neutros em relação a Ele. Ou estamos com Ele ou não estamos!

Aprendemos também que o tempo pós-moderno que estamos vivendo é desafiador para a nossa fé porque, nós cristãos somos atacados com ideologias e conceitos que vão contra ao que nos é ensinado na Palavra de Deus. Esse é um tempo onde o pensamento relativista e o hedonismo (que é a busca do prazer a qualquer preço) são marcas presentes na sociedade.

As pessoas que são influenciadas por essa forma de pensar, não acreditam mais em verdades absolutas e universais. Cada uma tem sua própria verdade.

Eles dizem: “Você tem sua verdade e eu tenho a minha”. Mesmo que essas verdades sejam opostas e conflitantes, não importa.

Quando este tipo de pensamento prevalece, há uma verdadeira inversão de valores:

Em Isaías 5.20 está escrito: “Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal! Que fazem da escuridade luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo!”

Bíblia King James Atualizada
“Ai dos que usam o mal como sinônimo de bem e chamam o bem de mal, que fazem das trevas luz e da luz, trevas, do amargo, doce e do doce, fel!”

Com esta inversão de valores, o conceito de casamento e de família tradicional como conhecemos tem sido duramente atacado, assim como outras ideias tem adquirido força nestes dias como: a descriminalização do aborto e da maconha e agora a ideologia de gênero.

Por isso precisaremos decidir de que lado nós estamos! Precisamos decidir se estaremos do lado de Jesus e da Palavra de Deus ou das ideologias humanas.  

Não dá para viver em cima do muro. Necessitamos escolher de que lado do muro queremos estar.

Jesus disse: “Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha”. Lucas 11:23

Por isso ministramos aqui sobre duas verdades absolutas da Palavra de Deus que nos colocam ao lado de Jesus Cristo.

1ª VERDADE INEGOCIÁVEL:
“TODA A HUMANIDADE FOI AFETADA PELO PECADO”
- "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Rom 3:23)

Há quem pense que a corrupção seja um fenômeno recente na sociedade. Se o fosse, não haveria tantas advertências bíblicas contra ela.

A corrupção em termos bíblicos é ter um coração (cor) rompido (ruptus, de rompere).

Somos portadores, portanto, de uma rachadura interna que equivale a uma dilaceração do coração. E essa rachadura foi provocada pelo pecado em nossa natureza humana.

"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?" (Jr 17.9).

É comum as pessoas dizerem: "Ouça o seu coração ou Siga o seu coração ou Aja conforme o seu coração."

Outra frase comum de nossos tempos é: “Não se pode condenar nenhuma forma de amor. Condenável é não amar. E o mundo precisa urgentemente de mais amor”.

Na verdade estes comportamentos de uma sociedade pós moderna se baseia na filosofia  hedonista.

A palavra “hedonismo” vem do grego Ihdonh, “prazer”. É a busca do prazer a qualquer custo.  Esse sistema ensina que o certo é aquilo que é agradável.

Porque o seu coração é tão enganoso e mau, você não consegue avaliar o tamanho do perigo que é para você tomar decisões e viver sem levar em conta os avisos da Palavra de Deus.

Provérbios 14:12 – “Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte”.

Romanos 6:23 -  “o salário do pecado é a morte”

“Pecado é pecado em qualquer tempo, em qualquer cultura. Transigir com esses princípios, aceitar o que Deus proíbe, aplaudir o que Deus abomina, amar o que Deus rejeita é insensatez”. Rev. Hernandez Dias Lopes

Não existe nenhuma cultura sagrada e pura. Todas elas estão contaminadas pelo vírus do pecado. Não é a cultura que determina o que é santo e profano, o que é certo e errado, mas a Palavra de Deus.


2ª VERDADE INEGOCIÁVEL:
“A PALAVRA DE DEUS PERMANECE ETERNAMENTE”.

"Seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente." Isaías 40.8

Embora as circunstâncias nos sacudam e nos abalem, embora sejamos jogados de um lado para o outro e embora o tempo passe rapidamente, uma coisa é certa: a Palavra de Deus permanece!

Jesus disse quase a mesma coisa que está em Isaías 40:8:

 “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão.” Mateus 24:35

Porque cremos na bíblia como a Palavra de Deus?

- Por causa da sua unidade na diversidade. - Por causa do cumprimento das profecias; Por causa transformação que ela opera; Por causa de sua indestrutibilidade. 

Hoje vamos conhecer mais uma verdade absoluta que para nós cristãos é inegociável:

3- VERDADE INEGOCIÁVEL:
JESUS CRISTO É DEUS

Antes de eu falar porque creio que Jesus Cristo é Deus é importante entendermos que doutrinariamente no mundo religioso há modos diferentes de ver a Jesus.

Esse é um problema que persiste também dentro da igreja de Cristo nestes últimos tempos: Muitos estão pregando um Jesus que não chega nem de perto do Jesus Bíblico real.

Não sei se já aconteceu contigo, mas comigo já aconteceu! Nesta semana mesmo, a Margarete e eu estávamos falando a respeito de um mesmo nome. Eu achava que ela estava falando de uma pessoa, mas ela estava se referindo a uma pessoa totalmente diferente de quem eu pensava que ela estava falando.

As duas pessoas tem o mesmo nome, mas são pessoas diferentes, têm sobrenome diferente! Têm uma identidade diferente!

Paulo quando escreveu a sua segunda epístola aos Coríntios no capítulo 11:3,4 nos mostra claramente que já em seu tempo haviam pessoas que ensinavam sobre Jesus, mas que não era o mesmo Jesus anunciado pelos apóstolos:

2 Cor. 11:3,4
3 Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo.
4 Se, na verdade, vindo alguém, prega outro Jesus que não temos pregado, ou se aceitais espírito diferente que não tendes recebido, ou evangelho diferente que não tendes abraçado, a esse, de boa mente, o tolerais.
Hoje isso

As perguntas que eu quero lhe fazer nesta noite são:

1-   Você sabe de qual Jesus a Bíblia se refere?

2-   Será que o mesmo Jesus que nós Cristãos que cremos na bíblia acreditamos é o mesmo Jesus, por exemplo, dos espíritas, dos muçulmanos, das Testemunhas de Jeová e dos Mórmons? Estamos falando da mesma pessoa?

O Jesus segundo o espiritismo é um mero “espírito evoluído” um homem moralmente perfeito. Não veio para expiar, mas para exemplificar o amor. E, não sendo Deus, suas palavras não têm valor definitivo, podem ser relativizadas – e foi exatamente isso que Kardec fez quando escreveu “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.

O Jesus segundo os muçulmanos Jesus foi apenas um grande profeta de Alá. Jesus também para os muçulmanos não morreu numa cruz pelos nossos pecados. Eles creem que Alá o levou para o céu logo antes da crucificação. Judas é quem morreu na cruz.

O “Jesus Cristo” dos mórmons, por exemplo, não poderia estar mais longe do Jesus da Bíblia. O Jesus inventado por Joseph Smith, que a seguir inspirou o nome de sua igreja, é o primeiro filho de Elohim, tal como todos os humanos, anjos e demônios são filhos espirituais de Elohim. Este Jesus mórmon se tornou carne através de relações físicas entre Elohim (Deus, o Pai, o qual tinha um corpo físico) e a virgem Maria. O Jesus mórmon é meio-irmão de Lúcifer. Ele veio à terra para se tornar um deus. Sua morte sacrificial dará imortalidade para qualquer criatura (incluindo animais) na ressurreição.

O Jesus Cristo das Testemunhas de Jeová também não é o Jesus da Bíblia. Antes de nascer nesta terra, Jesus era Miguel, o Arcanjo. Ele é um deus, mas não o Deus Jeová. Não houve ressurreição física do Jesus dos Testemunhas de Jeová; Jeová suscitou o seu corpo espiritual, escondeu os seus restos mortais, e agora, novamente, Jesus existe como um anjo chamado Miguel.

O Jesus dos Hindus é apenas um dos milhões de deuses.

É bem interessante notar que está registrado na Bíblia um diálogo entre Jesus e Seus discípulos exatamente sobre quem Ele era. Ele questiona seus discípulos:

“Indo Jesus para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem?” (Mateus 16. 13)

A resposta das pessoas é bem parecida com o tipo de resposta que vemos hoje em dia sobre quem é Jesus Cristo: “E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas.” (Mateus 16.14).

Ou seja, as pessoas estavam confusas sobre quem Ele era. Muitos tinham suas opiniões:

A resposta de Pedro nos dá o caminho para respondermos quem é Jesus Cristo, pois o próprio Jesus diz que a resposta de Pedro era verdadeira e vinha de Deus:

Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 16. 16-17).

Partindo da confissão de Pedro, gostaria de uma forma simples, apresentar quem é Jesus Cristo de verdade e porque cremos em sua divindade:

3.1- JESUS É O CRISTO.

No Antigo Testamento muitos profetas profetizaram a vinda de um Messias. Escrevemos aqui tempos atrás um artigo mostrando textos que profetizaram a vinda de um Messias.

A palavra Messias em hebraico significa Ungido. Cristo na língua grega também significa ungido. Messias e Cristo significam a mesma coisa. Mas o que é um ungido? Alguém ungido é alguém escolhido por Deus para uma missão especial. Esse escolhido era consagrado por Deus a realizar essa missão, daí Jesus ser chamado de Cristo (ungido). Mas qual era essa missão especial?

3.2- JESUS É O SALVADOR.

Essa era a missão de Jesus! Ser o nosso Salvador! Somente alguém sem pecado, sem mancha, sem imperfeições poderia se sacrificar em lugar dos pecadores e dar-lhes salvação. Por isso, Jesus é o Salvador daqueles que creem Nele. Foi o que o evangelista Lucas registra quando do nascimento de Jesus: “é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor.” (Lucas 2.11).

3.3- JESUS É O SENHOR.

Quando Pedro identifica Jesus como “o Filho do Deus vivo”, está apontando para a divindade e domínio de Cristo sobre todas as coisas.

A palavra Senhor na língua grega quer dizer dono. Vários dos apóstolos referiam-se a Jesus como o  Kyrios “Senhor”, ou seja, o dono de todas as coisas, o que incluía suas vidas e fé. Por isso chamavam-se a si mesmos de servos Dele.
No Novo Testamento existem mais de 300 referências a Jesus como Senhor e apenas 3 referências a Ele como Salvador.

Isso não diminui o fato de Ele ser nosso salvador, mas mostra que acima de todas as outras coisas, Jesus é o Senhor e é esse o lugar que deve ocupar em nossas vidas.

Fp 2:6-8 “Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”.

Cristo tem vários nomes preciosos: Lírio dos Vales, Rosa de Saron, Estrela da Manhã, Resplendor da Sua Glória, Sol da Justiça, Bom Pastor, Redentor, Emanuel, Conselheiro, Deus Forte, Príncipe da Paz, Jesus, Salvador.

Mas entre todos os seus nomes, há um que está acima de todos os outros, o título que o Pai lhe deu: SENHOR.

Romanos 10:9 “Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo”

João 20:26-31

26 Passados oito dias, estavam outra vez ali reunidos os seus discípulos, e Tomé, com eles. Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco!
27 E logo disse a Tomé: Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente.
28 Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu!
29 Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.
30 Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não estão escritos neste livro.
31 Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.

Tito 2:11-14
11 Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens,
12 educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente,
13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,
14 o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.
Quem é Jesus pra você? Admirar Jesus não é suficiente. É preciso adorá-Lo na beleza da Sua santidade. E reconhece-Lo como “Senhor meu e Deus meu” (Jo 20:28).


CONCLUSÃO: NÓS, CRISTÃOS, CREMOS EM VERDADES ABSOLUTAS. Defendemos verdades absolutas. É verdade que somos pecadores. Sua Palavra é a verdade. Existe o certo e o errado, o bem e o mal, a luz e as trevas. Precisamos ter coragem para nos posicionar! 

Para nós Jesus Cristo não é apenas um mestre ou espírito evoluído, nem tão pouco um curandeiro ou milagreiro. Jesus Cristo é o Deus que se fez homem! Seu destino foi a cruz! Ali se tornou o sacrifício perfeito pelos nossos pecados! Ele tem o Nome que é sobre Todo Nome! 


A fragilidade da fé põe em perigo a estabilidade da igreja. Sem convicções estabelecidas, o povo de Deus se torna refém dos ensinos mais estranhos,  comprometendo a saúde espiritual das pessoas e a glória de Deus. 

Precisamos nos firmar nas verdades do evangelho. Mesmo vivendo em tempos pós-modernos, onde não se acredita mais em verdades absolutas, devemos afirmar claramente que “céus e terra passarão, mas a palavra de Deus permanece eternamente”.

Estar fortalecido na fé não é somente ter convicções doutrinárias, mas é permitir que tais convicções transformem todo nosso ser, inflamem nosso amor por Deus, nos façam verdadeiros adoradores, nos mova de compaixão pelos prisioneiros do erro.

Pr. Gilberto Oliveira Rehder

Igreja Metodista Catalão

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ? ( 1ª Parte)


“Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha”. Lucas 11:23

Introdução: No texto que acabamos de ler, o Senhor Jesus faz uma afirmação nos mostrando que é impossível ficarmos neutros em relação a Ele. Ou estamos com Ele ou não estamos!

Nesse versículo, Jesus enfatiza o princípio de que precisamos fazer a nossa escolha.  Por isso o tema da ministração de hoje é: De que lado você está?

Creio que esta pergunta é muito importante para os dias que estamos vivendo, porque nas escolas, universidades e na mídia constantemente, nós cristãos somos atacados com ideologias e conceitos que vão contra ao que nos é ensinado na Palavra de Deus.

Infelizmente vários crentes têm sucumbido a esta pressão social e abandonado a fé em Cristo.

Por isso, precisamos discernir o tempo que estamos vivendo. Nós vivemos atualmente em um tempo que se chama de “pós modernidade.”

Desde a queda dos muros de Berlim, em 1989, é que deixamos a modernidade e entramos na Pós-Modernidade. Um dos pilares da pós-modernidade é o relativismo.

No tempo pós-moderno as pessoas que são influenciadas por essa forma de pensar, não acreditam mais em verdades absolutas e universais. Cada uma tem sua própria verdade.

Eles dizem: “Você tem sua verdade e eu tenho a minha”. Mesmo que essas verdades sejam opostas e conflitantes, não importa.

Biblicamente falando o tempo que estamos vivendo é um tempo de apostasia: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (1 Tm 4. 1).

Por isso, algumas pessoas vivem hoje sem assumir posições na vida.  O pensamento relativista nos influenciou tanto que agora se considera anti-intelectual crer na verdade absoluta. Grande parte dos educadores e estudantes considera a verdade obsoleta, não absoluta.

Eles não querem saber da verdade da Palavra de Deus porque a Palavra de Deus confronta o ser humano com os seus pecados enquanto muitos não querem se se sentir incomodados com isso!

Por isso, a virtude que mais se espera hoje é a tolerância. Eles afirmam que é intolerância dizer a alguém que a sua moralidade esteja errada, e o relativismo tolera todas as posições. A única intolerância é com a verdade absoluta.

Por isso o conceito de família tradicional como conhecemos tem sido duramente atacado, assim como outras ideias tem adquirido força nestes dias como: a descriminalização do aborto e da maconha e agora a ideologia de gênero.

A pergunta que não quer calar é: por que aqueles que promovem a tolerância são tão intolerantes com as pessoas que acreditam na verdade absoluta?

A resposta a esta pergunta está em 2 Timóteo 4:2-4 que diz:

“prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas”.

A verdade é que sempre precisaremos decidir de que lado nós estamos! Precisamos decidir se estaremos do lado de Jesus e da Palavra de Deus ou das ideologias humanas.  

Não dá para viver em cima do muro. Necessitamos escolher de que lado do muro queremos estar.

Jesus disse: “Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha”. Lucas 11:23

Por isso eu quero conversar contigo nesta noite sobre as verdades absolutas da Palavra de Deus que nos colocam ao lado de Jesus Cristo. Essas verdades são princípios imutáveis (que não se pode alterar ou modificar)

1ª VERDADE INEGOCIÁVEL:
“TODA A HUMANIDADE FOI AFETADA PELO PECADO”
- "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Rom 3:23)

Há quem pense que a corrupção seja um fenômeno recente na sociedade. Se o fosse, não haveria tantas advertências bíblicas contra ela.

A corrupção em termos bíblicos é ter um coração (cor) rompido (ruptus, de rompere).

Somos portadores, portanto, de uma rachadura interna que equivale a uma dilaceração do coração. E essa rachadura foi provocada pelo pecado em nossa natureza humana.

"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?" (Jr 17.9).

É comum as pessoas dizerem: "Ouça o seu coração ou Siga o seu coração ou Aja conforme o seu coração."

Outra frase comum de nossos tempos é: “Não se pode condenar nenhuma forma de amor. Condenável é não amar. E o mundo precisa urgentemente de mais amor”.

Na verdade estes comportamentos de uma sociedade pós moderna se baseia na filosofia  hedonista.

A palavra “hedonismo” vem do grego Ihdonh, “prazer”. É a busca do prazer a qualquer custo.  Esse sistema ensina que o certo é aquilo que é agradável.

Porque o seu coração é tão enganoso e mau, você não consegue avaliar o tamanho do perigo que é para você tomar decisões e viver sem levar em conta os avisos da Palavra de Deus.

Provérbios 14:12 – “Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte”.

Romanos 6:23 -  “o salário do pecado é a morte”

“Pecado é pecado em qualquer tempo, em qualquer cultura. Transigir com esses princípios, aceitar o que Deus proíbe, aplaudir o que Deus abomina, amar o que Deus rejeita é insensatez”. Rev. Hernandez Dias Lopes

Não existe nenhuma cultura sagrada e pura. Todas elas estão contaminadas pelo vírus do pecado. Não é a cultura que determina o que é santo e profano, o que é certo e errado, mas a Palavra de Deus.


2ª VERDADE INEGOCIÁVEL:
“A PALAVRA DE DEUS PERMANECE ETERNAMENTE”.
"Seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente." Isaías 40.8

Embora as circunstâncias nos sacudam e nos abalem, embora sejamos jogados de um lado para o outro e embora o tempo passe rapidamente, uma coisa é certa: a Palavra de Deus permanece!

Jesus disse quase a mesma coisa que está em Isaías 40:8:

 “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão.” Mateus 24:35

Porque cremos na bíblia como a Palavra de Deus?

1º - Por causa da sua unidade na diversidade.

Ela foi escrita durante 1600 anos. De Moisés a João na ilha de Patmos.

Ela foi escrita por cerca de 40 escritores. De lugares diferentes, de culturas diferentes, para destinatários diferentes.

Ela foi escrita em idiomas diferentes: Grego , hebraico e Aramaico

Entretanto, em momento algum sua harmonia foi afetada. Há uma coesão, sintonia, uma concordância absoluta. Hoje a Bíblia é mais atual do que o jornal do dia.

Tanto o A.Testamento como o N.Testamento falam à respeito de Jesus Cristo.

2º - Por causa do cumprimento das profecias. (2 Pedro 1:19-21)
19 Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração,
20 sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação;
21 porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.

Só no Velho Testamento há mais de 2000 profecias que já se cumpriram literalmente.

A Bíblia escreve história antes dela acontecer.  

3º Por causa transformação que ela opera.
”pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente”. 1 Pedro 1:23

A Inglaterra do século XVIII = Estava num caos. Davi Hume, John Locke e Voltaire era os homens lidos. Os país naufragava. A sabedoria humana sem Deus estava levando o país ao caos. - Wesley e Whitefield se levantaram com a Bíblia na unção do Espírito e o país foi salvo.

Eu creio na Bíblia porque através dela eu conheci o amor de Deus e recebi a Jesus como meu Salvador e Senhor.

4º Por causa de sua indestrutibilidade. 

Quanto se mexeu e remexeu na Bíblia durante os séculos! Forças destruidoras tentaram atingi-la, mas a Bíblia permaneceu!

Exemplo: VAOLTAIRE = Combateu implacavelmente a Bíblia e o Cristianismo. Disse que acabaria sozinho com a Bíblia e com o Cristianismo. Morreu louco. Sua casa tornou-se logo numa sede de distribuição da Bíblia.

CONCLUSÃO:

NÓS, CRISTÃOS, CREMOS EM VERDADES ABSOLUTAS. Defendemos verdades absolutas. É verdade que somos pecadores. Sua Palavra é a verdade. Existe o certo e o errado, o bem e o mal, a luz e as trevas. Precisamos ter coragem para nos posicionar!


“Não podemos amar a Deus sem odiar aquilo que Ele odeia. Não somente devemos evitar o mal, recusando-nos a continuar nele, mas também devemos declarar guerra contra ele, voltando-nos contra ele com indignação no íntimo” (C.H. Spurgeon).


Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

A LOUCURA DA APOSTASIA


TEXTO: “Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre. Mas ele respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.”  Jó 2:9-10

Introdução:

Eu quero falar de um assunto nesta noite que considero de grande relevância para os nossos dias. Trata-se da Loucura da Apostasia.

A Palavra Apostasia significa o abandono e a negação da fé. De uma forma bem simples, apostasia na Bíblia é a negação da verdade bíblica e resultando em um afastamento das pessoas da vontade de Deus.

A apostasia acontece quando a pessoa renega sua fé e deixa para trás tudo aquilo que cria, abandonando totalmente os princípios básicos da fé cristã.

Pessoalmente creio que a apostasia configura em um dos sinais que prenunciam o arrebatamento da Igreja do Senhor. (2 Tess. 2:1-3)

Por isso sinto-me responsável por alertar a igreja sobre este grande perigo espiritual.

Para entendermos melhor esta questão, vamos usar como exemplo a mulher de Jó. Jó e sua mulher estavam passando por um período de grande sofrimento.

Eles haviam perdido, num curto espaço de tempo, os bens, os dez filhos e, agora, aquele chefe de família perdera completamente a saúde.

Seu mundo estava de cabeça para baixo e parecia que Deus os havia abandonado.

Em meio à tanta dor, a esposa de Jó lhe propõe a apostasia como alternativa. “Amaldiçoa a Deus e morre”, é o seu conselho.

Muitos à semelhança da mulher de Jó acabam se revoltando contra Deus e se entregando à descrença, por não entenderem porque um Deus de amor permite o sofrimento do justo?

Professor Felipe Aquino (Canção Nova) “Os materialistas e ateus não entendem o sofrimento e não sabem sofrer; pois, para eles o sofrer é uma tragédia sem sentido. Os seus livros levaram o desespero e o desânimo a muitos”.

Os seus livros levaram o desespero e o desânimo a muitos. ‘O Werther”’, de Goethe, induziu dezenas de jovens ao suicídio.

Depois de ler ‘A Nova Heloísa’”, de Rosseau, uma jovem estourou os miolos numa praça de Genebra. Vários jovens também se suicidaram, em Moscou, depois de ler ‘Os sete que se enforcaram”’, de Leonid Andreiv.

A grande verdade irmãos é que esses filósofos, sem fé, levam muitos à intoxicação psicológica, ao desespero e à depressão, por não conseguirem entender o sofrimento à luz da Palavra de Deus.

Só Jesus Cristo pode nos fazer compreender o significado do sofrimento.

Há uma distância infinita entre o Calvário de Jesus Cristo e o nosso; ninguém sofreu tanto e tão injustamente como Ele. Por isso, Ele é o Senhor do sofrimento, como disse Isaías 53:3  “homem de dores e que sabe o que é padecer...”

Voltando ao nosso texto...Percebemos uma certa revolta nas palavras da mulher de Jó. A apostasia tem suas raízes na revolta contra Deus!

Não vamos, aqui, julgar a mulher de Jó. Ela estava em profundo sofrimento e, talvez, tenha reconsiderado mais adiante o que falou.

Não há indícios de que Deus a tenha punido. Entretanto, sua expressão neste momento de vida revela a lógica da apostasia, que afasta muitos da presença de Deus.

Por outro lado, ainda que sofrendo intensamente, Jó classifica como “loucura” a ideia de abandonar a Deus, negando sua fé.

“Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?”

Jó não aceita a lógica da apostasia. Ele tem uma estrutura de valores que não abre brechas para a rebelião e revolta. E, muito embora, com o estender da aflição, em certos momentos ele tenha fraquejado, foram as convicções que ele manifestou neste episódio que o levaram a permanecer na fé e, por fim, provar uma virada em sua vida.

Naquele momento, qual a diferença da lógica de Jó para a lógica de sua mulher? Por que, para ela, rebelar-se contra Deus era justificável, enquanto para ele era uma loucura?

1- A APOSTASIA É LOUCURA PORQUE NÃO ACEITA QUE
O SOFRIMENTO FAZ PARTE DA EXISTÊNCIA HUMANA.

Quantas pessoas se desviaram da fé porque não aceitam que o sofrimento faz parte da nossa existência?

Quantos se revoltam com Deus e atribuem a Ele a causa das tragédias que acontecem na humanidade?

Ao perguntar ironicamente a Jó, no versículo 9: “Ainda conservas a tua integridade?”, sua esposa sugere que a sua lealdade do ao Senhor deveria torna-lo imune ao sofrimento.

Na lógica de Jó, porém, a fidelidade é a única resposta que o homem pode dar ao caráter amoroso e soberano de Deus.

A nossa fidelidade a Deus não tem nada a ver com o que Ele faz, mas com o que Ele é. Aconteça o que acontecer na terra, seu trono está firmado para sempre no céu e Ele é digno, É Soberano!

Jó dá uma resposta que quando a lemos pela primeira vez pode nos causar uma estranheza:

“Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?”

Em outras palavras ele estava dizendo: “Devemos aceitar o bem de Deus e não aceitar a adversidade?”

Jó está pensando: “Deus não tem esse direito”? Ele não é o Oleiro e nós, o barro? Ele não é o Pastor e nós, as ovelhas? Ele não é o Mestre e nós, os servos?

Jó entendia que servimos a um Deus que tem o direito de agir como quiser e que não é obrigado a dar explicações ou pedir nossa permissão. Ele é o nosso Senhor e Deus!

Precisamos lembrar que o Deus que servimos tem um plano além da nossa compreensão, apesar dos tempos difíceis como estes.

 “Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios” (Jó 2:10).

Nossa sujeição não pode ser um prêmio que damos a Deus por fazer a nossa vontade, mas nossa obrigação como suas criaturas, absolutamente dependentes d'Ele.

Quem crê em Deus apenas nos bons momentos e não nos maus engana a si mesmo sobre sua fé.

2- A APOSTASIA É LOUCURA PORQUE REBAIXA
A DEUS AO NÍVEL DOS HOMENS.

Jó também considera a proposta de sua esposa uma loucura porque ela ousa colocar Deus no status de qualquer um. 

“Amaldiçoá-lo” seria tentar o absurdo de rebaixá-lo ao nível dos homens, como se pudesse ser confrontado, questionado ou condenado.

Perguntaram a Robert de Niro, num programa se TV: "Se o céu existe, o que você gostaria que Deus lhe dissesse quando chegasse lá?". Resposta: "Se o céu existe, Deus terá muito o que explicar!".

Como muitas pessoas, inclusive cristãs, ele estava indisposto com Deus por causa do sofrimento.

Qual a gênese (origem) do sofrimento?

"E a Adão disse: visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida" (Gn 3.17).

O sofrimento tornou-se parte da condição humana quando o pecado entrou na humanidade! 

O ato da humanidade teve implicação cósmica. Toda a criação foi imersa num ambiente de sofrimento. O ser humano tornou-se frágil, propenso a enfermidades e o ambiente tornou-se perigoso, depósito de vírus e demais anomalias que podem ser fatais à existência humana e demais criaturas.

Por isso é que Jesus Cristo veio a este mundo! Para trazer salvação e redenção a cada um de nós!

Um dia este sofrimento terá fim! Apocalipse 21:3,4

3 Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.
4 E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.

Enquanto este dia não chega precisamos ter convicção da soberania e do amor de Deus para conosco e nunca ousará medir forças com Ele!

Como diz Isaías 45:9 e 11: “Ai daquele que contende com o seu Criador! E não passa de um caco de barro entre outros cacos. Acaso, dirá o barro ao que lhe dá forma: Que fazes? Ou: A tua obra não tem alça... Assim diz o SENHOR, o Santo de Israel, aquele que o formou: Quereis, acaso, saber as coisas futuras? Quereis dar ordens acerca de meus filhos e acerca das obras de minhas mãos?”

Para Jó, Deus não era um acessório, um amuleto que pudesse ser descartado caso não estivesse “funcionando”, mas a essência da sua vida.

Será sempre muito mais difícil para qualquer crente negar a Deus quando Ele é o “seu” Deus, quando a sua vida só faz sentido n'Ele, quando, sem a sua presença, tudo o que resta é um imenso vazio!

Quem, de coração, diz como Paulo: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21); não consegue seguir sem o Senhor.

3- A APOSTASIA É LOUCURA PORQUE SEPULTA TODA ESPERANÇA.

A perspectiva que a mulher de Jó lhe apresenta é a de negar sua fé e esperar a morte.  

Ela descrê de qualquer possibilidade de uma ação de Deus que revertesse o sofrimento em alegria.

Só desiste quem nada mais espera do Todo-Poderoso, e isso é um grande equívoco!

Embora Jó estivesse com sua alma abatida e extremamente desanimado, ele resistia a fechar a única porta de ação sobrenatural em seu favor.

No capítulo 19, verso 25, por exemplo, ele busca fôlego para afirmar, ainda no fundo do poço:

“Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra”.

Nós, que hoje conhecemos a história toda, sabemos que Deus mudou a sorte deste homem e lhe devolveu o que havia perdido.

Mas, como terminaria Jó, se desse ouvidos à loucura da sua mulher?

Isso me faz pensar que, infelizmente, muitas das pessoas que, em meio à decepção, abrem mão da fé, estão abortando o que se tornaria o tempo mais feliz de suas vidas!

CONCLUSÃO:

Tenho pra mim que a maior de todas as bênçãos que Jó recebeu por permanecer fiel e integro ao Senhor, foi o conhecimento profundo que ele adquiriu de Deus.

"Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem" (Jó 42.5)

O último estado de Jó se tornou melhor que o primeiro e o último estado de alguém que apostata de sua fé se torna pior...

Vale a pena permanecer!



Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO

Culto de Ceia do Senhor