segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

COMO TRAREI A MIM A PRESENÇA DO SENHOR?


“Temeu Davi a Deus, naquele dia, e disse: Como trarei a mim a arca de Deus? 1 Crônicas 13:12

Introdução: Eu gostaria de falar de um assunto hoje que com certeza vai nos ajudar a mudarmos a nossa postura como cristãos diante da presença de Deus. A presença de Deus então será o nosso foco nesta palavra.

Segundo o Dicionário, a palavra presença é o comparecimento de alguém em determinado lugar.

Ou seja, a presença é quando alguém está naquele lugar, mas isso não significa que esta pessoa está “envolvida” com o que acontece ali.

Por Exemplo: Tem gente que chega ao templo fica na porta só observando tudo o que está acontecendo, mas não participa, não louva, não ora, etc.

A pessoa pode até estar presente no culto, mas sua presença não foi manifesta naquele lugar.

Esta analogia serve para compreendermos a diferença entre a presença de Deus constante (sua onipresença) em todos os lugares ao mesmo tempo e a manifestação de Sua presença.

A Bíblia diz que Deus está em todos os lugares, mas isso não significa que o poder e a glória Dele é percebido pelas pessoas em todos os lugares.

É bem diferente Deus estar em um lugar, do manifestar de Sua presença!

Mas Deus deseja manifestar Sua presença! Amém!!

Quando o povo de Deus se reúne em Nome de Jesus para adorá-lo aqui   deve ser um lugar onde Deus manifesta a Sua presença! Sabe por quê?

Porque aqui, existem corações sedentos por Deus. Aqui e um lugar que Deus encontra adoração verdadeira!

Deus só manifesta sua presença quando existem corações desejosos por Ele.

“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós, diz o SENHOR..” Jeremias 29:13,14ª

A PARTE ESSENCIAL DE TODA A NOSSA ORAÇÃO, LOUVOR E ADORAÇÃO, NÃO É SOMENTE BUSCAR A DEUS, MAS SIM O ACHA-LO! 

Qual o valor que damos pela presença de Deus em nossa vida?

Por um período na história do povo de judeu, a arca da aliança (símbolo da presença de Deus) ficou esquecida.

Davi confirma isso no versículo 3 tornemos a trazer para nós a arca do nosso Deus; porque nos dias de Saul não nos valemos dela”.

A presença de Deus é maravilhosa, ela nos garante uma boa jornada em nossa vida, mas ainda assim, mesmo com esta oportunidade, as vezes a desprezamos com fez Saul!

Davi percebeu o que eu e você devemos perceber! Sem a manifestação da presença de Deus em nós, não podemos ir muito longe...

ATRAVÉS DA PERGUNTA DE DAVI NO VERSÍCULO 12 VAMOS APRENDER COMO TRAZER A MANIFESTAÇÃO DA PRESENÇA DE DEUS A NÓS.

“Temeu Davi a Deus, naquele dia, e disse: Como trarei a mim a arca de Deus?" 1ª Crônicas 13:12

1- A PRIMEIRA CHAVE QUE ABRE O CAMINHO DA PRESENÇA DE DEUS EM NOSSA VIDA CHAMA-SE TEMOR.

“Temeu Davi a Deus, naquele dia..”

É importante que saibamos que esta é a primeira vez que Davi tenta levar a Arca da Aliança para Jerusalém. E nesta primeira tentativa ele fracassou porque havia nele muita empolgação, mas faltava o temor a Deus.

Quando não o tememos, passamos a fazer como Davi fez! Fazemos as coisas do nosso jeito e não achamos nada de mais desobedecer a Sua Palavra!

A bíblia diz que os filhos de Abinadabe, Uzá e Aiô carregavam a Arca em um carro de boi, quando em um determinado momento houve um problema; os bois tropeçaram e Uzá foi dar uma “mãozinha” para Deus e tentou segurar a Arca, e logo foi fulminado.

Podemos em um primeiro momento nos chocar com essa historia, mas vamos entender que ela não tem nada a ver com um suposto deus tirano que mata os seus servos, mas sim com um Deus zeloso se relacionando com um povo santo.

O que ocasionou a morte de Uzá foi a desobediência de uma ordem expressa pelo próprio Deus!

(Números 4:15) “Quando Arão e seus filhos, ao partir o arraial, acabarem de cobrir o santuário e todos os seus móveis, os filhos de Coate virão para levá-lo; mas nas coisas sagradas não tocarão, para que não morram; esse é o cargo dos filhos de Coate na tenda da revelação.”

Logo após a morte de Uzá, Davi entristeceu-se profundamente com Deus, como talvez muitos de nós também faríamos, mas sabe qual era o principal problema?

A arca não foi feita para ser levada em carros de bois, mas sim pelos levitas! 

Sabe com quem Davi aprendeu a levar a Arca em carros?

R: Os filisteus, em (1 Samuel 6:7) podemos ver onde a Arca em um determinado momento foi levada pela primeira vez em um carro de boi.

Davi poderia ter pensado, mas se os filisteus podem, por que nós não podemos levar a arca em um carro?  Por que não podemos fazer como eles fazem?

Davi, se esqueceu de que ele não era um filisteu, ele era um hebreu, israelita, separado, diferente.

Em nossa caminhada cristã nos deparamos todos os dias com essa situação!

Naquele dia, diz o texto, Davi temeu a Deus. Não que Davi não temesse a Deus, mas agora ele aprendeu a ter um zelo ainda maior pela presença de Deus!

Por temor ao Senhor Davi corrigiu e consertou os seus erros.

Precisamos aprender a ter mais Temor a Deus e buscar o respaldo de Sua Palavra em tudo o que fizermos!

Não adianta “boas intenções”, precisamos aprender a obedecer os seus mandamentos à risca!

“Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniquidade e andam nos seus caminhos. Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca”. Salmo 119.2-4.

Mais tarde, a bíblia diz que Davi se tornou um homem segundo o coração de Deus. Certamente que o Temor foi uma das qualidades que Deus encontrou na vida de Davi.

2- A SEGUNDA CHAVE QUE ABRE O CAMINHO DA PRESENÇA DE DEUS EM NOSSA VIDA CHAMA-SE SANTIFICAÇÃO.

“Chamou Davi os sacerdotes Zadoque e Abiatar e os levitas Uriel, Asaías, Joel, Semaías, Eliel e Aminadabee lhes disse: Vós sois os cabeças das famílias dos levitas; santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a arca do SENHOR, Deus de Israel, ao lugar que lhe preparei”. 1 Crônicas 15:11,12

Davi fez agora o que ele não havia feito na primeira vez em que tentou trazer a arca. Ele trouxe a consciência de que aqueles que desejam a manifestação da presença de Deus precisam se santificar!

Dentre todas as definições de santificação eu quero destacar uma bem simples:

Santificação é estar disposto a viver uma vida diferente da que a maioria das pessoas vivem, abrindo mão até de coisas lícitas, para agradar ao meu Deus.

A bíblia diz que todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convém.

Precisamos voltar a perguntar: “O que Jesus faria em meu lugar”?

Quando estivermos dispostos a viver dessa maneira, estaremos vivendo em santidade e aí, a presença do Senhor será um resultado das minhas escolhas e de sua graça sobre minha vida.

3- A TERCEIRA CHAVE QUE ABRE O CAMINHO DA PRESENÇA DE DEUS EM NOSSA VIDA CHAMA-SE ADORAÇÃO.

 “Disse Davi aos chefes dos levitas que constituíssem a seus irmãos, os cantores, para que, com instrumentos músicos, com alaúdes, harpas e címbalos se fizessem ouvir e levantassem a voz com alegria”. 1 Crônicas 15:16

Quando Davi chega em Jerusalém a primeira decisão que toma é separar 288 ministros de louvor e 4000 músicos separando-os em turnos para que houvesse adoração contínua na Casa do Senhor.


Precisamos ativar a chave da adoração se desejamos trazer a manifestação da presença do Senhor.

Precisamos aprender alguns princípios sobre adoração que nos levem a experimentar a manifestação da presença de Deus.

a- O primeiro é que o Louvor pode fazer parte de nossa adoração a Deus. Mas louvar não é adoração em si. Adorar não é louvar e nem cantar. ADORAÇÃO É UM ESTILO DE VIDA!

Eu posso adorar ao Senhor sem dizer uma só palavra. Eu posso adorá-lo em qualquer hora e em qualquer lugar! Eu reconheço a Sua presença e me ajoelho ou me prostro com o rosto no chão, levanto as mãos, eu danço na Sua presença, levanto ou abaixo a cabeça, meu corpo se curva diante Dele, etc…

b- O segundo princípio é que Adorar é reconhecer a realidade da presença de Deus. De maneira simples, o adorador diz: “Eu tenho certeza de que Deus está comigo. Eu sei que Ele está neste lugar. Vou render cada parte do meu corpo a Ele – vou aplaudir, levantar minhas mãos, curvar meu corpo, me ajoelhar, vou saltar de alegria, vou dançar, vou levantar minha voz, enfim, quero que Ele fique alegre comigo e saiba que eu encaro a Sua presença como realidade neste lugar”.

O adorador também diz: “Os meus problemas e necessidades pessoais não estão acima da realidade da Sua presença em minha vida”

c- O terceiro princípio é que Adoração não é um ministério restrito aos músicos. Adoração é o ministério de toda a igreja!

Muitas vezes, os ministros de louvor e músicos evangélicos são chamados de “levitas”. Tal costume não é muito antigo, mas parece que já está se tornando tradição.

No Novo Testamento não temos referência a ministros de louvor nem a instrumentistas na igreja.

Jesus disse que o Pai procura adoradores que o adorem... (João 4:24). O ensino apostólico, por sua vez, incentiva todos os cristãos a prestarem culto ao Senhor, com salmos, hinos e cânticos espirituais!

Entenda algo importante! Originalmente, “levita” significa “descendente de Levi”, que era um dos 12 filhos de Jacó.

No tempo de Moisés, os levitas não eram responsáveis pela música no tabernáculo.  Afinal, não havia uma parte musical no culto estabelecido pela lei de Moisés, embora as orações e sacrifícios incluíssem o sentido de louvor, adoração e ações de graças.

O levita era aquele que executava qualquer serviço ligado ao culto. O levita era simplesmente um servo!

Muito tempo depois, Davi inseriu a música como parte integrante do culto. Afinal, ele era músico e compositor desde a sua juventude. (1Sm 16:23). Então, atribuiu a alguns levitas a responsabilidade musical.

CONCLUSÃO: Espero que, a cada dia, acordemos com a mesma pergunta de Davi: Como trarei a mim a manifestação da presença do Senhor? E, ao acordar, confirmemos a nossa aliança com Deus e Sua palavra de vivermos: em Temor, vivendo em santidade e adorando-O em todo o tempo. 


Pr. Gilberto Oliveira Rehder
Igreja Metodista em Catalão-GO

Um comentário: