sexta-feira, 12 de agosto de 2011

PESCAR EM AQUÁRIOS ?


“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”. Marcos 16:15

Sempre me empolguei desde criança quando era convidado para fazer uma pescaria. Embora não me considere um pescador com “P” maiúsculo, já tive a felicidade de pegar grandes peixes. Mas nem sempre as pescarias que fiz foram maravilhosas. Já peguei muito enrosco, já me feri com anzol, já embaracei muitas linhas e já peguei muito, mas muito mesmo, sol na cabeça. As conversas sobre pescaria me animam bastante. Jesus e os seus discípulos gostavam de pescar e de comer um peixinho assado. O próprio Senhor quando chamou os seus discípulos pescadores para a missão de evangelizar disse-lhes: ” Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”. Mateus 4:19
Falarmos de Jesus para as pessoas, nem sempre é algo bem visto pelo mundo. A maioria dos não crentes acha muito chato ouvir a Palavra de Deus. Mesmo quando somos mal vistos,e até mesmo mal recebidos, a Bíblia nos lembra que devemos pregar, quer seja oportuno ou não (2 Timóteo 4:2).
Agora, duro mesmo não é nos depararmos com quem não quer nos ouvir, mas com os que só querem pescar em aquário. Esses ouviram dizer que seriam pescadores de homens, mas não prestaram atenção ao fato de que a atividade deveria ser exercida em mar aberto. A nossa missão não é arrebanhar pessoas de outras denominações cristãs. A nossa missão é pregar o evangelho aos perdidos e levá-los a ser um discípulo de Jesus. No entanto, o que temos visto?
São determinadas denominações evangélicas tentando converter ou arrebanhar pessoas de outras denominações evangélicas. Para se ajuntarem a eles, prometem o mundo inteiro. Cargos, lideranças, tentam demonstrar que em suas igrejas a galera é “mais animada”, o trabalho é mais “avivado”, mais interessante e acabam levando essas pessoas a abandonarem o ministério em que atuam, o grupo com quem congregava.
Eles não querem converter ninguém a Cristo, querem é converter à sua denominação e, especialmente, à sua igreja local; trazendo muitas vezes divisões e confusões para o Reino de Deus. O apóstolo Paulo já advertia a igreja no primeiro século sobre este assunto: “...não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro”. Efésios 4:14(NVI)
Encerro esta palavra citando uma frase de Oscar Cullmann, muito propícia para os nossos dias: “Os cristãos necessitam de três conversões: a primeira, do mundo para Cristo em arrependimento, a segunda, para a Igreja em compromisso; e a terceira, para o mundo, em testemunho”

Pr.Gilberto Oliveira Rehder

Um comentário: